Seguir o O MINHO

Actual

Henrique e Juliano vão dar concerto em Braga e O MINHO oferece bilhetes

PASSATEMPO

em

Foto: O MINHO

A dupla brasileira Henrique e Juliano vai dar um concerto, no próximo dia 12 de outubro, no Altice Forum Braga.

Em parceria com a Associação UAI-União, Apoio e Integração e a empresa Giroprice Promoções & Eventos, O MINHO está a oferecer um bilhete e dois CDs da dupla aos seus leitores.

Para concorrer, basta seguir os perfis da UAI, de Alexandra Gomide (presidente da associação) e da Giroprice no Instagram, e comentar na publicação daquela rede social abaixo, marcando dois amigos [não serão considerados perfis sem fotografia, famosos, lojas ou figuras públicas] e utilizando as hashtags #ominho e #uai.

View this post on Instagram

Nosso I Dia do Brasil em Braga registrado pelo O Minho. Confira a matéria completa: https://ominho.pt/dia-do-brasil-em-braga-juntou-centenas/ #uai #uaipt #associaçãouai #diadobrasilembraga #diadobrasil #olharbrasileiroemportugal #olharbrasileiroembraga #brasileirosembraga #brasileirosemportugal #morarembraga #moraremportugal #alexandragomide #ominho @uai_associacao @fornalhamatosinhos @adamasttor_saude_e_sabor @cricrilayne @queijocoalhoportugal @longametragem.pastel @saborbrasileiro.portugal @mbphotographicstudio @mbbrigadeirogourmet @grandsabor.oficial @xicotico_porto @sabores_da_amazonia_porto @emporiocolonial.braga @brasiocapt @ale_capoeirasdb_ @djverinhapinheiro @cambrespaco @projetocincocantosdobrasil @bracarateam @megaplayparque @asmeninasgulosaria @divinacoxinhapt @tangara_29

A post shared by UAI ASSOCIAÇÃO (@uai_associacao) on

Os comentários têm de ser publicados até segunda-feira (07 de outubro). O MINHO vai premiar duas pessoas com um bilhete e dois CD’s.

Os irmãos do estado brasileiro do Tocantins já lançaram sete CDs e possui sucessos como “Quem Pegou, Pegou”, “Vidinha de Balada”, “Não Tô Valendo Nada” e “Gordinho Saliente”.

A dupla também atua em Lisboa, no Altice Arena, no dia 13 de outubro.

Anúncio

Actual

Mãe e filho menores feridos em acidente em Barcelos

Em Lijó

em

Foto: Vítor Vasconcelos / O MINHO

Uma mulher e um menor ficaram feridos, esta terça-feira à tarde, na sequência de uma colisão entre duas viaturas ligeiras, na rua dos Caminheiros de Santiago, junto ao campo de futebol de Lijó, em Barcelos, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

As vítimas, mãe e filho, foram transportadas para o Hospital de Barcelos com ferimentos considerados ligeiros.

Foto: Vítor Vasconcelos / O MINHO

No local da ocorrência estiveram duas ambulâncias dos Bombeiros de Barcelinhos.

Os Bombeiros de Barcelos fizeram a limpeza da via, que esteve parcialmente cortada.

Continuar a ler

Actual

António Costa felicita Pedro Sánchez pela vitória dos socialistas nas legislativas espanholas

Diplomacia

em

Foto: Divulgação

O primeiro-ministro, António Costa, felicitou, este domingo, o seu homólogo espanhol, Pedro Sánchez, pela vitória dos socialistas do PSOE nas eleições gerais de Espanha, disse à agência Lusa fonte do executivo português.

A mesma fonte adiantou que António Costa transmitiu a mensagem de felicitações ao primeiro-ministro de Espanha e líder do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), Pedro Sánchez, numa breve conversa telefónica.

Com cerca de 95% dos votos escrutinados, o PSOE lidera a contagem com cerca de 28% dos votos, correspondentes a 120 deputados eleitos, estando em segundo lugar os conservadores do Partido Popular (PP) com 88 lugares e em terceiro o partido de extrema-direita Vox com 52 lugares.

A coligação de extrema-esquerda Unidas Podemos elegeu até agora 35 deputados e o Cidadãos obtém apenas 10 lugares.

Com estes resultados, o bloco dos partidos de esquerda (PSOE, Unidas Podemos e Mais País) totaliza 158, enquanto o bloco de direita (PP, Vox e Cidadãos) alcança 150 lugares. A participação eleitoral é de 69,96%.

Nas eleições de 28 de abril, os socialistas do PSOE tiveram 28,7% dos votos, seguidos pelo PP com 16,7%, o Cidadãos (direita liberal) com 15,9%, o Unidas Podemos (extrema-esquerda) com 14,3% e o Vox (extrema-direita) com 10,3%.

As eleições de hoje foram convocadas em setembro pelo Rei de Espanha, depois de constatar que o primeiro-ministro socialista em funções, Pedro Sánchez, não conseguiu reunir os apoios suficientes para voltar a ser investido no lugar na sequência das eleições de abril.

Continuar a ler

Actual

PSD: Montenegro promete devolver o ‘D’ ao partido e baixar impostos

Eleições diretas

em

Foto: Facebook

Luís Montenegro apresentou, este domingo, a sua candidatura à liderança dos social-democratas com as promessas de uma baixa de impostos, IRS, IRC e IVA, e de “devolver o ‘D’ ao PSD”, porque o país já tem “PS a mais”.

O candidato fez um discurso de 40 minutos, dirigido aos militantes, mas também a todos os portugueses, numa sala decorada e com luzes laranja, num espaço junto ao Tejo, em Lisboa, em que falou de tudo, com críticas à estratégia do líder, Rui Rio, ao Governo, passando pela situação mundial e na União Europeia.

O social-democrata revelou que, se for eleito, nas diretas de janeiro de 2020, uma das suas primeiras propostas é de política fiscal e prevê uma baixa de impostos para “impulsionar o crescimento da economia, desafogar a classe média, aumentar os rendimentos das famílias, contribuir para melhorar salários e pensões”.

Luís Montenegro, o ex-líder parlamentar do PSD durante o tempo do Governo PSD/CDS-PP, prometeu uma “redução gradual faseada ao nível do IRS e IRC” e a simplificação do regime do IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado), de “fusão da taxa intermédia e mais elevada”, que estimou não ser “superior a 20%”.

Internamente, falando para o partido e sobre a sua estratégia, o antigo líder parlamentar disse que quer “devolver o ‘D’ ao PSD”, o que causou sorrisos e palmas na sala, porque “o país já tem PS a mais”, o “Estado já tem PS a mais” e não precisa de ter um “PSD subalterno ao PS”.

O ‘D’ do PSD representa, segundo afirmou, o ‘D’ da “democracia, da diferença, da dignidade, desenvolvimento, dinamismo, disrupção”.

No deu discurso, apontou ao Governo do PS de António Costa, que acusou de ser primeiro-ministro de um país “do poucochinho” por dizer que Portugal está a convergir com a União Europeia, mas que tem “20 países à frente” em termos de indicadores económicos.

O resultado é que o Governo “passou a viver da herança [dos resultados] do Governo do dr. Pedro Passos Coelho”, afirmou, arrancando uma salva de palmas dos apoiantes, entre eles muitos ex-deputados do ‘passismo’, como Carlos Abreu Amorim, Teresa Morais, Paula Teixeira da Cruz ou a antiga ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque.

Mais uma vez, recusou que o partido, sob a sua liderança, venha a ser “a bengala suplente do PS” quando falham os apoios da esquerda, BE e PCP, para “caucionar mais ou menos discretamente as habilidades deste Governo”.

E deu o exemplo dos acordos entre a direção do PSD de Rui Rio, sobre fundos europeus e descentralização, que, segundo disse, serviram para ajudar a “simular a moderação e o recentramento” do PS quando ainda era apoiado pelos partidos de esquerda, na anterior legislatura.

O novo Governo de António Costa é “grande” em número de ministros e secretários de Estado, com “promessas e banalidades a mais” e com resultados que “são perigosamente pequenos”, numa altura em que “as pessoas e as empresas” vivem “atulhados em impostos”.

Montenegro teve a seu lado o ex-líder do partido e ex-ministro Rui Machete, a militante n.º 2 do PSD, Conceição Monteiro, e ex-deputados como Hugo Soares, o presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, Nuno Serra ou Amadeu Albergaria.

A sala estava decorada em tons laranja, cor do partido, com imagens de todos os líderes que foram primeiros-ministros, de Sá Carneiro, Carlos Mota Pinto, Pinto Balsemão, Cavaco Silva, Durão Barroso, Pedro Santana Lopes e Pedro Passos Coelho.

As eleições diretas para a escolha do presidente do PSD foram agendadas para 11 de janeiro e congresso nacional realiza-se entre 07 e 09 de fevereiro, em Viana do Castelo.

Até ao momento, há três candidatos: Rui Rio, o atual presidente; Luís Montenegro, ex-líder parlamentar; e Miguel Pinto Luz, vice-presidente da câmara de Cascais, distrito de Lisboa, e que apresenta formalmente a sua candidatura no dia 18 de novembro.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares