Seguir o O MINHO

Desporto

Guimarães: Vanina Oliveira é esperança do slalom nos Jogos Olímpicos de Inverno

Pequim2022

em

Foto: Arquivo

A um mês do início dos Jogos Olímpicos de Inverno Pequim2022, Portugal tem garantida a presença de três esquiadores – uma delas com raízes em Guimarães – e tenta a qualificação do primeiro snowboarder, Christian Oliveira.

Vanina Oliveira Guerillot, de 19 anos, nascida em França mas com raízes em Atães, Guimarães, já apurada, é a esperança no slalom, prova em que é mais forte, e encontra-se atualmente no 595.º lugar do ‘ranking’ de slalom feminino e na 964.ª posição da tabela de slalom gigante, segundo informação do COP.

A jovem, que tem nacionalidade portuguesa desde que nasceu, representa a Federação de Desportos de Inverno de Portugal desde os 12 anos, depois de ver fechadas algumas portas na federação francesa.

Aos dois anos começou a esquiar aproveitando o facto de viver a 50 metros de uma instância de esqui em França. O pai, Yannick Guérillot, é instrutor da modalidade e representou França na Taça da Europa de esqui. A mãe, Alice, nasceu em Grenoble, França, mas tem as raízes familiares em Atães, Guimarães.

Pequim 2022

A comitiva portuguesa vai estar representada com dois atletas, um masculino e um feminino, no esqui alpino e tem uma vaga no esqui de fundo, aberta por José Cabeça, o mais bem colocado no ranking mundial para disputar os 15 km estilo livre na competição, que decorre na China entre 04 e 20 de fevereiro.

“O snowboarder Christian Oliveira continua a disputar uma vaga até ao fecho da qualificação, no dia 16 de janeiro”, sublinhou hoje, em comunicado, o Comité Olímpico de Portugal (COP).

O ‘rider’ lusodescendente, nascido na Austrália há 22 anos e com raízes no Covelo, freguesia de Valadares, no concelho de São Pedro do Sul, quer ser o primeiro snowboarder português nos Jogos Olímpicos e compete na Taça do Mundo em 08 de janeiro em Scuol, na Suíça, em 11 e 12 em Bad Gastein, na Áustria, e em 18 em Simonhöhe, igualmente na Áustria.

O atleta de snowboard alpino, que compete em slalom gigante paralelo e em slalom paralelo, tem assim mais três oportunidades para obter a qualificação, caso fique numa das provas entre os 30 primeiros, uma vez que já tem uma pontuação acima dos 100 pontos necessários da Federação Internacional de Esqui (FIS).

A vaga masculina no esqui alpino é disputada pelos covilhanenses Ricardo Brancal e Manuel Ramos e por Baptiste Aranjo, residente em França e com família em Braga.

Baptiste Aranjo é 1.144.º classificado em slalom no ranking da FIS e 3.060.º em slalom gigante. Ricardo Brancal ocupa o 2.906.º lugar em slalom e o 1.982.º em slalom gigante, enquanto Manuel Ramos está na 3.885.ª posição em slalom e na 2.679.ª em slalom gigante.

Selecionador confiante

O selecionador nacional de esqui, Sérgio Figueiredo, destacou, em declarações à agência Lusa, a evolução na modalidade, a existência de mais “atletas com potencial” do que no passado e informou que a escolha do representante português será feita em conjunto com a estrutura da Federação de Desportos de Inverno de Portugal.

“Ter três a disputar uma vaga aumenta a competitividade. Os três estão a dar o melhor de si para chegarem aos Jogos Olímpicos com a melhor pontuação possível. Vai ser difícil escolher, e isso é bom”, acentuou Sérgio Figueiredo, em declarações à agência Lusa, quando faltavam 100 dias para o início de Pequim2022.

A mesma decisão terá de ser tomada no esqui de fundo, modalidade em que Portugal compete nos 15 km clássicos, embora José Cabeça se destaque em relação a Filipe Cabrita.

No Campeonato do Mundo de esqui nórdico, em Oberstdorf, na Alemanha, em fevereiro de 2021, o eborense, de 25 anos, conseguiu uma pontuação que abriu uma vaga para Portugal nos Jogos Olímpicos de Inverno Pequim2022, na prova de 10 km estilo livre.

No ranking da FIS, José Cabeça é o 1.997.º classificado na distância e 3.848.º no ‘sprint’, enquanto Filipe Cabrita ocupa a 3.046.º posição em distância e é 3.990.º em ‘sprint’, de acordo com a informação hoje divulgada pelo COP.

Fora dos Jogos Olímpicos de Inverno está o patinador de velocidade Diogo Marreiros, que não conseguiu apuramento para Pequim2022, mas garantiu a presença no Campeonato da Europa.

Em Sochi2014, competiram Camille Dias e Arthur Hanse, ambos em esqui alpino, e em PeyongChang2018 Arthur Hanse, em esqui alpino, e Ke Quyen Lam, no esqui de fundo.

Populares