Seguir o O MINHO

Ave

Guimarães vai rastrear saúde mental de alunos dos 3 aos 10 anos

Educação

em

Foto: Ilustrativa

Guimarães vai fazer rastreios à saúde mental de todas as crianças, dos 3 aos 10 anos, a frequentar o ensino público no concelho, anunciou hoje a câmara, em conferência de imprensa para apresentação das principais linhas de orientação do novo ano escolar.

Em comunicado, a autarquia afirma que se trata de um iniciativa inédito a nível nacional: “Guimarães é o único município do país que irá promover rastreio da saúde mental a todas as crianças, dos 3 aos 10 anos, a frequentar o ensino público”.

A vereadora da Educação, Adelina Pinto, citada no comunicado, afirma que “este é um trabalho muito importante a ser acompanhado por psicólogos das Universidades do Minho, do Porto e Coimbra, no âmbito do laboratório colaborativo ProChild. Pretendemos fazer uma avaliação e ter intervenção, pois não sabemos como as crianças estão neste tempo de pandemia e importa perceber muito bem essa situação para definir políticas públicas”.

O início do ano letivo está a ser preparado no âmbito de “estreita cooperação” com os agrupamentos escolares, salientou o presidente da Câmara. Domingos Bragança, também citado no comunicado, referiu que “estão definidos planos de contingência, seguindo as normas do Ministério da Educação e Direção Geral da Saúde, com um forte sentido de responsabilidade de todos os intervenientes”, dando conta da importância da “educação para a cidadania”, reforçando ainda uma forte crença no poder da escola na alteração e ajustamento dos comportamentos cívicos à situação atual, nos alunos e respetivas famílias.

Através da articulação com a Câmara Municipal de Guimarães, as escolas funcionarão com horários desfasados, condicionamento no acesso a cantinas, criação de grupos de alunos em espaços de recreio e complemento curricular.

Guimarães mantém as Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC), bem como Componente de Apoio à Família (CAF) e as Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF).

A vereadora da Educação realça a importância da aposta nas artes performativas e na atividade física e desportiva, com alterações neste ano a fim de adequar às orientações das organizações de saúde.

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Os técnicos superiores das duas áreas estarão em permanências nas escolas entre as 15:30 e as 18:30, criando projetos de trabalho com os alunos mais contextualizados e evitando a circulação por várias escolas.

Há um aumento do número de alunos matriculados no ensino pré-escolar em Guimarães em comparação com o ano anterior, verificando-se ainda uma estabilidade ao nível dos 1,º, 2.º e 3.º ciclos.

Os projetos educativos mantêm-se, com reforço na área digital onde estão definidos os projetos Hypatiamat, Plataforma Mais Cidadania, Plataforma Ensinar e Aprender Português (Mais Cidadania) e a Plataforma Educação Financeira – “No poupar é que está o ganho”.

No âmbito dos transportes, Sofia Ferreira destacou a articulação com os Agrupamentos de Escolas e Escolas Secundárias para ter acesso à listagem de alunos, trajetos e horários, para desenhar uma resposta nesta área, sendo complementada com a CIM do Ave. “O Município de Guimarães está a criar as respostas necessárias, com base nas necessidades identificadas, sendo sempre um processo em construção”, referiu.

Neste momento, decorrem obras de requalificação nas Escolas de Vermis (Moreira de Cónegos), Casais (Brito) e ainda Pinheiro. O projeto de requalificação da EB2,3 de São Torcato está na sua fase última de elaboração para ser lançado o concurso de obra, que se prevê começarem no início de 2021.

EM FOCO

Populares