Seguir o O MINHO

Guimarães

Guimarães vai cobrar taxa turística de 1,50 euros por dormida no concelho

Turismo

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

O regulamento da taxa turística municipal de Guimarães, que fixa o pagamento de 1,50 euros por dormida no concelho, foi hoje publicado em Diário da República.

Segundo o regulamento, a taxa vigorará durante os meses de maio a outubro e apenas será cobrada pelas primeiras duas dormidas consecutivas em empreendimentos turísticos ou estabelecimentos de alojamento local situados no concelho de Guimarães.

Só pagarão a taxa os hóspedes com idade igual ou superior a 21 anos.

Ficam totalmente isentos da taxa municipal turística hóspedes cuja estadia seja motivada por tratamentos médicos, uma isenção que se estende a um acompanhante.

Para o efeito, deverá ser apresentado documento comprovativo de marcação ou prestação de serviços médicos ou documento equivalente.

Igualmente isentos ficam hóspedes portadores de deficiência, ou seja, que apresentem qualquer incapacidade igual ou superior a 60%, desde que apresentem documento comprovativo dessa condição.

Também não pagam a taxa hóspedes que se encontrem alojados em empreendimentos turísticos ou estabelecimentos de alojamento local por expressa determinação de entidades públicas, decorrente de declaração de emergência social ou da proteção civil.

Os clubes desportivos sedeados em Guimarães, durante a época desportiva, no quadro dos estágios de preparação para jogos de competições oficiais em que participem, ficam igualmente isentos.

No texto do regulamento, lê-se que, em 2018, o número de dormidas nos estabelecimentos de alojamento do concelho subiu de 178.429 em 2013 para 342.300.

A introdução da taxa turística surge “como meio de contribuição das despesas dos destinos, nomeadamente limpeza urbana, segurança de pessoas e bens, reforço das infraestruturas e equipamentos públicos, conservação do património local, reforço de transportes públicos e das condições de mobilidade, entre outros”.

“A implementação da Taxa Municipal Turística de Guimarães visa promover e garantir um conjunto de novas atividades e investimentos diretamente relacionados com o turismo, que acarretam despesas acrescidas, seja ao nível dos materiais e ações de promoção, da oferta cultural, artística e de lazer, seja as destinadas a prevenir e a mitigar a degradação e a sobreocupação, mormente nas áreas do concelho mais procuradas, face ao desgaste inerente à ?pegada turística’, no plano da segurança de pessoas e bens, da manutenção e qualificação urbanística, patrimonial, territorial e ambiental do espaço público, que requerem meios financeiros avultados”, acrescenta.

A taxa é tida, assim, como “um pequeno valor” a imputar a nacionais através de um pequeno valor a imputar a nacionais e estrangeiros que “comprovadamente” visitam o concelho com intuitos turísticos, “como contrapartida das utilidades públicas gerais e dos serviços municipais que lhes são concretamente propiciados e dirigidos e que são geradores das novas despesas”.

Anúncio

Ave

Guimarães cancela todos os eventos desportivos

Covid-19

em

Multiusos de Guimarães. Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Câmara de Guimarães anunciou hoje o concelamento de todas as atividades e eventos desportivos em curso e agendados, casos da Gala do Desporto, a Liga Mini, os Jogos da Comunidade e a Meia Maratona Cidade de Guimarães – Corrida dos Conquistadores.

Em comunicado, a autarquia realça que “esta decisão decorre na linha das medidas de prevenção determinadas pelo presidente do Município, Domingos Bragança, anunciadas a 10 de março, como o encerramento dos pavilhões Multiusos e INATEL e Academia de Ginástica, a restrição dos pavilhões escolares a uso externo, a suspensão de todos os eventos, atividades e projetos municipais de grande escala, a suspensão de todas as feiras no território concelhio, o cancelamento das visitas de lazer, turismo ou âmbito cultural ao edifício da Câmara Municipal e ainda o encerramento de todos os equipamentos culturais”.

Continuar a ler

Guimarães

Vitória, Cristiano, Jorge Mendes e Nuno Espírito Santo doam equipamento a Guimarães

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O Vitória de Guimarães ajudou os cuidados intensivos do Hospital Senhora da Oliveira, em Guimarães, no âmbito da pandemia da covid-19, numa parceria com outros agentes do futebol, confirmou hoje à Lusa fonte oficial do clube.

A iniciativa do emblema da I Liga portuguesa, em conjunto com o treinador Nuno Espírito Santo, que iniciou a carreira de guarda-redes em Guimarães, em 1993, e orienta hoje os ingleses do Wolverhampton, com o jogador Cristiano Ronaldo, da Juventus (Itália), e com o empresário Jorge Mendes, garantiu uma central de monitorização para a nova unidade cuidados intensivos do hospital.

O Hospital Senhora da Oliveira, explicou fonte oficial da instituição do hospital à Lusa, garantiu, com esta ação, oito monitores fixos, oito monitores de transporte e “uma ligação à monitorização central” para a unidade de cuidados intensivos criada no âmbito da pandemia.

“Com este equipamento, um médico pode monitorizar os estados de oito doentes ao mesmo tempo”, explicou.

Os materiais oferecidos, realçou ainda a fonte do hospital, são uma “enorme mais-valia face aos meios atualmente existentes, permitindo otimizar os cuidados médicos prestados aos doentes”.

A iniciativa quadripartida garantiu também equipamento de proteção individual aos profissionais do hospital.

O Hospital Senhora da Oliveira serve, de forma direta, mais de 240.000 pessoas, dos concelhos de Guimarães, Vizela, Fafe, Cabeceiras de Basto e Mondim de Basto.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 68 mil e recuperaram mais de 238 mil.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, que se encontra em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 17 de abril, já se registaram 311 mortes, mais 16 do que na véspera (+5,4%), e 11.730 casos de infeção confirmados, mais 452 face a domingo (+4%), segundo a atualização de hoje da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Continuar a ler

Guimarães

95 condutores sem justificação para entrar em Guimarães voltaram para casa

Covid-19

em

Foto: O MINHO

Decorreu este domingo uma megaoperaçao levada a cabo pelo posto territorial da GNR de Guimarães, não só de fiscalização mas também de aconselhamento de condutores e passageiros face às regras de confinamento impostas devido à pandemia de covid-19.

A operação decorreu em quatro locais – eixos de entrada e saída do concelho – e serviu também para mentalizar os ocupantes das viaturas a ficarem em casa durante este domingo.

Foto: O MINHO

O MINHO falou com o capitão Orlando Rodrigues, comandante da GNR de Guimarães que liderou a operação rodoviária, de onde não resultaram condutores ou passageiros detidos.

Mas 95 condutores tiveram de acatar uma ordem de regresso, um acatamento, por não terem justificação válida para circular na estrada. Motivos de lazer não foram tolerados pelas autoridades.

“A nossa intenção era sensibilizar as pessoas para que fiquem em casa, não só os condutores mas também os passageiros”, explicou o comandante, revelando que foram fiscalizadas 804 viaturas e 1.026 passageiros.

Foto: O MINHO

“A maior parte ia às compras, às farmácias ou prestar assistência a familiares, mas mesmo a esses foi aconselhado que evitassem ao máximo as deslocações durante este período”, acrescentou o capitão Rodrigues.

“Apelámos também às pessoas para que se restrinjam às regras que estão a ser veiculadas pelas autoridades e pela comunicação social”, disse ainda.

Algumas viaturas seguiam com vários passageiros, pelo que lhes foi aconselhado a evitarem esse tipo de deslocação. “Quem ia às compras, foi recomendado que evitasse levar passageiros, até porque isso já foi várias vezes veiculado”, explicou a autoridade policial.

Foto: O MINHO

A operação dividiu-se em quatro pontos: rotunda de Silvares, junto à saída da A11, nas freguesias de Infantas e de Ponte (EN 101) e ainda na EN 105, na rotunda que dá acesso a Vizela.

De acordo com as restrições à circulação aprovadas por decreto do Governo sobre o Estado de Emergência, para além de motivos profissionais, só é permitida a circulação para aquisição de bens e serviços, por motivos de saúde, a estações e postos de correio, agências bancárias e agências de corretores de seguros ou seguradoras, para atividade física de curta duração e apenas sozinho e para passear animais de companhia.

Vão ser também proibidas deslocações para fora do concelho de residência no período da Páscoa, entre 09 e 13 de abril.

Continuar a ler

Populares