Seguir o O MINHO

Guimarães

Guimarães: Um em cada quatro adolescentes passa a maior parte do tempo livre nas redes sociais

Pediatras do HSOG alertam para a necessidade de informar os adolescentes sobre os riscos

em

Foto: Ilustrativa

Um estudo realizado por médicos do Serviço de Pediatria do Hospital da Senhora da Oliveira Guimarães (HSOG) concluiu que 28% dos adolescentes da região de Guimarães e Vizela tem nas redes sociais a atividade que ocupa a maioria do seu tempo livre.

Numa nota enviada a O MINHO, fonte daquele hospital refere que, no estudo, é notado, também, que os pais têm cada vez maior dificuldade em controlar o acesso dos filhos a estas plataformas, ainda que a maior parte dos adolescentes já mentiu sobre a idade para ter acesso a conteúdo limitado e entendem que os conteúdos publicados não prejudicam a sua privacidade.

“As redes sociais e o adolescente” é o nome do estudo realizado por Alícia Rebelo, Sofia Vasconcelos, Liliana Macedo e Miguel Salgado médicos do Serviço de Pediatria do Hospital de Guimarães. Os objetivos do estudo passaram por caracterizar a utilização de redes sociais entre os adolescentes, avaliar o conhecimento dos adolescentes sobre os riscos associados e identificar o tipo de monitorização parental. Para tal contaram com 3.518 questionários validados a alunos de idades entre os nove e os 21 anos do Agrupamento de Escolas Francisco de Holanda (Guimarães), do Agrupamento de Escolas de Infias (Vizela) e da Escola Secundária Martins Sarmento (Guimarães), durante o ano letivo 2017/18.

Dos resultados obtidos, no que se refere ao parâmetro de caracterização de utilização, destaca-se que 98% dos adolescentes são utilizadores de redes sociais, que iniciaram esta utilização entre os 10-12 anos e que o YouTube, o Instagram e o Facebook são as redes mais usadas. Ainda que utilizam estas redes várias vezes por dia, durante 1-2 horas, predominantemente à noite, que 28% tem nas redes sociais a atividade que ocupa a maioria do seu tempo livre, mas que 97% prefere estar com os seus amigos pessoalmente. No parâmetro da monitorização parental, é constatado que 85% dos adolescentes teve autorização dos pais para criar conta de acesso, mas também que 85% afirma que os pais não sabem a palavra-passe de acesso a essa conta.

No capítulo da perceção do risco, destaca-se nas respostas que 65% já contactou com desconhecidos, que 61% já mentiu sobre a idade para ter acesso a conteúdo limitado e que os adolescentes entendem que os conteúdos publicados não prejudicam a sua privacidade e ainda que 39% considera que os conteúdos que publica não influenciarão o seu futuro.

Uma das médicas responsáveis pelo estudo, Alícia Rebelo, refere a propósito que “enquanto pediatras cabe-nos não só tratar as doenças dos adolescentes, mas também prevenir e promover o seu bem-estar geral. O acesso às redes sociais é uma realidade. É um acesso fácil, temos a tecnologia desse acesso no bolso, através por exemplo do smartphone. Entendemos que as redes sociais não devem ser diabolizadas. Elas têm muitos benefícios e vantagens, como o desenvolvimento de capacidades técnicas ou a interação entre pares. Mas têm também obviamente os seus riscos. Com este estudo tentamos perceber como podemos ajudar e educar para uma utilização segura e positiva destas redes sociais. Importa por exemplo salientar que os adolescentes utilizam as redes para interação com amigos, para conversar, e que 10% as utiliza para promover capacidades artísticas, como por exemplo partilhar fotos ou vídeos da sua autoria. A utilização das redes é uma atividade que pode e deve ser aproveitada de forma construtiva e benéfica para o adolescente”.

As conclusões dos médicos apontam para que a tecnologia tem uma presença constante no quotidiano dos adolescentes, que o acesso às redes sociais é uma das atividades mais comuns entre os adolescentes, que o controlo parental é cada vez mais difícil no que diz respeito à monitorização dos conteúdos partilhados e das políticas de privacidade, mas também que o tema das redes sociais é atual e que requer intervenção na comunidade, alertando para os benefícios e riscos da sua utilização.

“O que temos que fazer é alertar os adolescentes, de uma forma aberta e honesta, dos riscos que correm nas redes. Se estiverem cientes disto, irão atuar de forma mais cautelosa, minimizando esses riscos e aproveitando os benefícios que estas redes sociais proporcionam”, finaliza Alícia Rebelo.

Anúncio

Guimarães

Dois menores feridos após colisão entre mota e carro em Guimarães

Em Azurém

em

Foto: DR / Arquivo

Dois jovens, de 16 e 17 anos, sofreram ferimentos na sequência de uma colisão entre a motorizada em que seguiam e uma viatura ligeira, em Azurém, Guimarães, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

Este acidente, que ocorreu perto das 15:00 desta quarta-feira, mobilizou duas viaturas de socorro dos Bombeiros de Guimarães.

Ambos os jovens sofreram ferimentos ligeiros e foram transportados para o Hospital de Guimarães.

As autoridades registaram a ocorrência.

Continuar a ler

Guimarães

Festival de Guitarra de Guimarães com “maior participação internacional de sempre”

De 21 a 29 de dezembro

em

Foto: Divulgação (Arquivo)

A sexta edição do Festival Internacional de Guitarra de Guimarães terá “a maior participação internacional de sempre” por parte de inscritos e apresenta um cartaz “recheado” de nomes nacionais e além-fronteiras que demonstram o “crescimento sustentado” do evento.

Apresentado esta quarta-feira, o Festival Internacional de Guitarra de Guimarães (FIGG), a decorrer entre os dias 21 e 29 de dezembro em três locais da cidade (Paço dos Duques, o Centro Cultural Vila Flor e Conservatório de Musica de Guimarães), promete “celebrar o Natal de Guitarra na mão”, trazendo a Guimarães nomes como Aniello Desiderio, David Carmona ou Pavel Ravel.

A apresentação do FIGG, que desde 2017 integra a plataforma europeia Eurostrings, serviu ainda para anunciar que a final do concurso europeu de 2021 daquela plataforma será em Guimarães.

Aos dez concertos que compõem o cartaz da edição deste ano acrescentam-se ‘masterclasses’ e o Concurso Internacional de Guitarra Cidade de Guimarães, “um dos momentos mais importantes deste festival”, segundo o diretor artístico, Nuno Cachada.

Nesta edição, o concurso conta com cerca de 100 competidores vindos de vários países: “É a edição com mais participantes internacionais de sempre, desde Estados Unidos, China, França, Espanha, Alemanha, Equador, México”.

“O vencedor da categoria sem limite de idade terá acesso ao Programa de Intercâmbio da Eurostrings, 1.500 euros mais a oportunidade de fazer uma ‘tour’ pelos vários festivais da Plataforma, bem como participar na Eurostrings Winners Competition, com um grande prémio monetário de 8.000 euros, mais uma ‘tour’ pelos Estados Unidos da América, Europa e China”, enumerou Nuno Cachada.

Sobre o cartaz, o responsável salientou “a cidade berço vai aconchegar num só evento o virtuosismo de Aniello Desiderio, o flamenco do quinteto de David Carmona e a juventude de Mateusz Kowalski, sem esquecer nomes emergentes em Portugal, como o Duo Sirius (Diogo João e Márcio Silva) e Francisco Luís”.

Oriundos do programa de intercâmbio Eurostrings, o FIGG vai contar com a presença de Pablo Menéndez, Cassie Martin, Pavel Ralev, Maja Karlj e Bruno Pino Mateos: “A participação na Eurostrings permite-nos não só aumentar o valor disponível para realizar o festival, este ano 40 mil euros, mas também trazer cá nomes que estão já inscritos na plataforma e que venceram edições anteriores do concurso internacional”.

As ‘masterclasses’, “aulas para alunos do ensino artístico especializado que podem ser assistidas pelo público”, é outra componente importante do FIGG.

“O objetivo continua a ser promover a guitarra clássica no setor cultural, quer no contexto pedagógico e formativo, quer no do espetáculo, visando potenciar uma nova atitude de aproximação à guitarra clássica, ainda pouco divulgada enquanto instrumento solista”, apontou.

Para a autarquia, representada na sessão pelo assessor de Cultura Paulo Silva, o FIGG é também uma “marca” do panorama cultural vimaranense.

“Este projeto assenta no conservatório, se não houvesse a semente lançada no território pela parte formativa, não teria sentido e tem já um papel cultural no nosso calendário cultural, pelo valor acrescentado que lhe dá”, disse.

O evento é organizado pela Sociedade Musical de Guimarães, com coprodução d´A Oficina, e tem os apoios do Município de Guimarães e do programa Europa Criativa, da União Europeia.

Continuar a ler

Guimarães

Jovem de 25 anos morre esmagado em obra em Guimarães

Um outro trabalhador ficou em estado grave

em

Foto: DR / Arquivo

Um jovem, de 25 anos, perdeu a vida na sequência duma queda numa obra, onde procedia a trabalhos de construção civil, em Guimarães, disse a O MINHO fonte dos bombeiros. Um outro trabalhador, com cerca de 60 anos, ficou em estado grave.

A tragédia ocorreu numa construção situada na Rua Quinta da Pereira, na freguesia de Fermentões, cerca das 09:00 horas desta manhã.

Segundo fonte do CDOS, as vítimas trabalhavam na construção de uma casa e foram atingidas por uma “estrutura” que se desprendeu.

O ferido grave foi levado para o Hospital de Guimarães.

Para o acidente foram mobilizadas duas ambulâncias e uma viatura médica de emergência e reanimação.

Ao teatro de operações acorreram duas ambulâncias dos Bombeiros de Guimarães com apoio da VMER, com o óbito a ser declarado no local.

A PSP registou a ocorrência.

Continuar a ler

Populares