Seguir o O MINHO

Ave

Guimarães inaugurou primeiro posto de carregamento rápido de carros elétricos em Portugal

em

Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal de Guimarães, acompanhado pelo Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente. Foto (27/01/2017): CM Guimarães

O primeiro Posto de Carregamento Rápido (PCR) de veículos elétricos da rede piloto “Mobi.E” foi inaugurado sexta-feira em Guimarães, na Alameda Dr. Alfredo Pimenta, numa cerimónia presidida por Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal, e pelo Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes.

A iniciativa resulta do compromisso assumido pelo Governo em concluir, no início do ano, a instalação dos 50 Postos de Carregamento Rápido da rede piloto “Mobi.E”, bem como da aposta da autarquia de Guimarães na promoção de políticas ambientalmente sustentáveis, como é disso exemplo a candidatura a Capital Verde Europeia, conforme escreve em comunicado enviado às redações.

“Este é um dia simbólico, porque é o primeiro de muitos pontos de carregamento. Todos os veículos que estamos a comprar são elétricos e o objetivo será ter uma concessão de transportes públicos urbanos 100% elétrica. É demasiado ambicioso, mas temos de criar todas as condições e infraestruturas para que sejamos bem-sucedidos”, considera Domingos Bragança, que aguarda o “apoio do governo e de apoios comunitários estruturais” para a concretização desse objetivo, tendo já apresentado candidaturas ao Fundo Ambiental.

“Queremos que o veículo elétrico seja progressivamente uma das melhores soluções no futuro, porque é aquele que contribui mais para a qualidade do ar a todos os níveis”, afirmou, referindo que, este ano, Guimarães terá um autocarro elétrico na frota dos TUG, sendo adquirido um outro para o Serviço Educativo da Câmara Municipal, depois da aquisição de viaturas elétricas para os Serviços Urbanos, Polícia Municipal e Divisão de Informática.

Para o Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, em palavras proferidas durante a inauguração e citadas por aquele comunicado, “esta cidade tem um ambicioso plano de personalização e de criação de percursos ciciáveis. Vale a pena fazer uma leitura diacrónica do percurso de Guimarães, que tem feito um caminho inigualável em Portugal, preservando o património, fazendo reabilitação urbana, apostando agora numa cidade descarbonizada. Como governante, sinto orgulho de Guimarães pelo caminho que tem realizado. Não é todos os dias que ouvimos autarcas dizer que querem investir na mobilidade elétrica. Guimarães é um Município que orgulha o país e é inspirador para outros municípios”.

 

Anúncio

Guimarães

Filho confirma que cadáver encontrado em Guimarães é de eletricista desaparecido há 2 semanas

No rio Ave

em

Foto: DR

O filho de um homem de 63 anos, de Guimarães, desaparecido desde 08 de janeiro confirmou, numa publicação no Facebook, que o cadáver hoje encontrado no rio Ave é do seu pai.

O corpo foi encontrado pelas 11:00, na freguesia de Barco, Guimarães.

A Polícia Judiciária esteve a fazer perícias ao cadáver no local, onde esteve também o filho do homem desaparecido.

O corpo foi removido ao início da tarde para o Instituto de Medicina Legal de Guimarães, para autópsia.

As autoridades ainda não confirmarm oficialmente a identidade da vítima.

Um homem de 63 anos, de Creixomil, Guimarães, estava desaparecido desde 08 de janeiro. Saiu de casa na noite desse dia, de carro, alegadamente para visitar um cliente em Caldas das Taipas, e desde então nunca mais foi visto.

O telemóvel foi entretanto encontrado, mas o carro ainda não.

As autoridades chegaram a promover buscas no rio Ave, mas sem sucesso. A Polícia Judiciária continua a investigar o caso.

Continuar a ler

Guimarães

Encontrado cadáver no rio Ave em Guimarães

Em Barco

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

O cadáver de um homem foi hoje encontrado num rio na freguesia de Barco, Guimarães, estando as autoridades a efetuar diligências para apurar se se trata da pessoa que está desaparecida desde 08 de janeiro, disse fonte dos bombeiros.

Segundo a fonte, o alerta para “um corpo a boiar no rio” foi dado cerca das 11:00.

Um homem de 63 anos, de Creixomil, em Guimarães, distrito de Braga, está desaparecido desde o dia 08 de janeiro.

Saiu de casa na noite desse dia, de carro, alegadamente para visitar um cliente em Caldas das Taipas, e desde então nunca mais foi visto.

Entretanto, o telemóvel do desaparecido foi, mas o carro ainda não.

Continuar a ler

Ave

Metalomecânica acentua tendência de crescimento em Famalicão

Economia

em

Foto: Divulgação / Famalicão Made IN

O volume de negócios da indústria metalomecânica cresceu 17% em Vila Nova de Famalicão, acima dos 312 milhões de euros, informou hoje o Famalicão MadeIN.

Dados macroeconómicos
• Número de Pessoas ao Serviço: 3.031
• Número de Empresas: 288
• Volume de Negócios: 312 M€
• Volume de Exportações: 171 M€
• Valor Acrescentado Bruto (VAB): 107 M€

De acordo com aquela agência de investimento da autarquia, trata-se de “um crescimento superior a dois dígitos, em linha com a tendência dos últimos anos, e que atesta o peso cada vez mais significativo do setor na economia do concelho. Resulta, aliás, da aposta numa estratégia de expansão e modernização da capacidade instalada em infraestruturas e tecnologia de vanguarda, que tem sido decisiva para a afirmação da indústria metalomecânica famalicense no plano nacional e internacional”.

De acordo com a fonte, a robustez do setor encontra também leitura no valor acrescentado bruto, que cresceu 14%, para os 107 milhões de euros, de acordo com os mais recentes dados macroeconómicos divulgados pelo INE, no Anuário Estatístico Regional 2018, bem como no número de empresas existentes no concelho (288 contra 286) e no número de pessoas ao serviço (3031 contra 2782), um aumento de 9%.

Quanto às exportações, há a registar um ligeiro decréscimo para os 171 milhões de euros (face aos 174 milhões em 2017), correspondendo a 8% do total das exportações do concelho, sendo Espanha (23%), França (21%), Alemanha (9%) e EUA (6%) os principais mercados das vendas internacionais.

“Em Vila Nova de Famalicão, empresas de dimensão mundial produzem o que outras não são capazes. Vantagem competitiva em todo o mundo e aspeto altamente diferenciador é precisamente o que estas empresas conquistam ao produzirem máquinas para setores tão diversos como o têxtil, naval, militar, químico, petrolífero e automóvel, entre outros”, destaca o Famalicão MadeIN.

Continuar a ler

Populares