Seguir o O MINHO

Ave

Guimarães: D. Ximenes Belo “honrado com receção” da cidade vimaranense

em

Domingos Bragança recebeu em Guimarães o Bispo Emérito de Díli. Depois da visita oficial, decorreu uma conferência na Sociedade Martins Sarmento.

 O Bispo Emérito de Díli (Timor) e Prémio Nobel da Paz, D. Carlos Ximenes Belo, que presidiu este domingo à 122ª Grande Peregrinação à Penha, disse sentir-se “honrado com a receção” do presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, realizada no dia 12 de setembro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

 “Agradeço a solidariedade e simpatia dos portugueses. Em Timor Leste, na nossa 4ª classe, conhecíamos melhor Portugal do que a nossa própria cultura. Sabíamos as dinastias, os rios, os vales, a importância de Guimarães, uma herança portuguesa que fica nas nossas almas”, enalteceu D. Ximenes Belo, que ofereceu a Domingos Bragança um livro sobre a história da Igreja timorense.

“Para nós, vimaranenses, é uma honra ter em Guimarães uma referência das causas humanitárias, uma ilustre personalidade com uma grande sabedoria, tranquilidade e coragem, que teve capacidade e competência para interceder na libertação de um povo, pondo fim à dor”, afirmou o presidente da Câmara Municipal, introduzindo na sessão o tema dos refugiados sírios.

 “A cultura europeia é de solidariedade e generosidade, mas de um modo organizado. A vida vale a pena, se não for vivida na indiferença. Guimarães é uma cidade de História e temos uma cultura que nos diferencia. Foi aqui que nasceu Portugal, somos um exemplo para o país como cidade fundadora e cidade europeia da cultura. Quanto mais damos e partilhamos, mais fortes somos”, referiu Domingos Bragança, cuja opinião foi partilhada por D. Ximenes Belo, “um homem do Mundo que dá força aos projetos sociais”.

 “Também trazemos na nossa carne a experiência de sermos refugiados!”, mencionou o Bispo Emérito de Díli (Timor), lembrando episódios da história, desde 1912, em que o povo timorense procurou acolhimento noutros países.

“Que as entidades europeias sejam generosas”, desejou, referindo que, em 2015, comemoram-se 500 anos do primeiro encontro de navegadores portugueses com timorenses e 450 anos em que decorreu a colonização. “São anos de cultura e tradições que queremos manter. Rezarei pela paz em Portugal e no mundo”, sintetizou.

 122ª Grande Peregrinação à Penha 

Depois da receção oficial, o responsável do Município promoveu uma visita ao Centro Histórico de Guimarães, participando depois na conferência “A Paz e os Direitos Humanos”, que D. Ximenes Belo proferiu no Salão Nobre da Sociedade Martins Sarmento. Esta iniciativa, organizada pelo grupo informal “Colóquios para a Cidade”, com o apoio da Assembleia de Guimarães, Sociedade Martins Sarmento e Câmara Municipal, inseriu-se no âmbito do ciclo de conferências realizadas ao longo de um ano, a fim de comemorar o 40º aniversário do 25 de Abril de 1974.

 Ainda no dia 12 à noite, D. Carlos Ximenes Belo presidiu à procissão de velas que transportou a imagem de Nossa Senhora do Carmo da Penha entre a Basílica de S. Pedro do Toural e a Igreja da Colegiada de Nossa Senhora da Oliveira, de onde saiu no domingo para a realização da 122ª Grande Peregrinação à Penha.

EM FOCO

Populares