Seguir o O MINHO

Ave

Guimarães comemora Semana da Mobilidade de 16 a 22 de setembro

em

Teatro num autocarro, cinema ao ar livre, exposição de veículos híbridos e elétricos, passeio noturno de bicicletas, música no centro da cidade, atividades desportivas, educativas e conferências vão preencher sete dias de eventos. Em nome do ambiente.

 

De 16 a 22 de setembro, Guimarães convida-o a descobrir alternativas ao uso do carro. Várias associações e empresas juntam-se à iniciativa com uma série de eventos que decorrem ao longo de toda a semana, como concursos de fotografia e curta-metragem, atividades plásticas e percursos de bicicleta com orientação mecânica.

No dia 17, as atividades arrancam no edifício da Arriva em Pinheiro onde decorrerá a apresentação do Teatro Bus, pelas 16:00 horas. No mesmo dia, às 21:00 horas, o Largo da Oliveira transforma-se numa agradável sala de cinema ao ar livre.

Na sexta-feira, dia 18, o Centro Histórico recebe durante o dia duas atividades de sensibilização. Nas Portas da Villa, decorre o “Final Countdown”, onde um conjunto de crianças irá sensibilizar os condutores para a velocidade através da ação “30 no meu bairro”. Em simultâneo, arranca uma exposição dedicada a veículos híbridos e elétricos que se mantém no local até domingo, dia 20.

À noite, os vimaranenses podem juntar-se a um passeio noturno de bicicleta pelas ruas da cidade, cujas inscrições (gratuitas) podem ser feitas no site da Associação de Ciclismo do Minho. O arranque está agendado para as 21:30 horas, no Largo Cónego José Maria Gomes, local onde também será possível assistir a uma demonstração de bicicletas elétricas.

As atividades desportivas dão mote à manhã de sábado. A partir das 10:00 horas, locais como o Largo do Toural, a Praça de S. Tiago ou o Largo da Oliveira recebem uma série de atividades desportivas que prometem dar mais vida à cidade.

Mais tarde, às 11:30 horas, o Largo da Oliveira recebe a iniciativa “Guimarães e Mobilidade”, uma ação que pretende unir os conceitos de café e ambiente.

O convívio continua às 17:00 horas com uma “Green Sunset”, que terá lugar na Praça de S. Tiago. O Teleférico de Guimarães será o ponto central da iniciativa “A Penha é Nossa”, agendada para as 19:30 horas. Os participantes podem subir gratuitamente de teleférico, para depois descerem numa caminhada até ao Parque da Cidade.

 

Música na Alameda, Dia Sem Carros e Mini Maratona

Apresentacao Semana da Mobilidade Guimaraes

No domingo de manhã, dia 20, um conjunto de bandas locais invade a Alameda S. Dâmaso para várias performances musicais.

Durante o fim de semana, o comércio abre as suas portas.

A partir das 9:00 horas, o Campo de Jogos de Atães transforma-se numa pista de corrida onde os participantes podem optar pelas modalidades de 12 ou 17 quilómetros. Às 10:00 horas, o Toural e a Alameda de S. Dâmaso recebem uma concentração de ciclistas, que vão fazer um passeio para apelar ao Dia sem Carros. À mesma hora, tem início a caminhada e mini maratona da APCG, com início no Campo de S. Mamede. Entretanto, no Jardim do Paço dos Duques, o Mercadinho – que decorre entre as 10:00 e as 16:00 horas – promete animar a cidade.

No dia 21, o Laboratório da Paisagem será palco para a apresentação do projeto Pedibus e da Rota dos 20, cujo enfoque é a comunidade educativa. Com o projeto Pedibus, pretende-se transmitir aos jovens vimaranenses boas práticas de segurança rodoviária, permitindo que estes façam o percurso casa/escola a pé e num ambiente seguro. Os alunos recebem, neste dia, um marcador de livros “Pai, Conto contigo”. Pelas 21:00 horas, será contada a história da cidade em passo de corrida, com saída da Plataforma das Artes.

A semana de atividades encerra na terça-feira, 22 de setembro, às 14:30 horas, no auditório da Fraterna, com uma conferência que se debruça sobre a temática “Território e a Mobilidade”. A Semana Europeia da Mobilidade é uma campanha anual sobre mobilidade urbana sustentável, organizada com o apoio da Direção Geral para o Ambiente e Transportes da Comissão Europeia. Este ano reúne 8.745 cidades de 34 países europeus, mas também o Japão e a Coreia do Sul. Pode seguir a semana da mobilidade em Guimarães no endereço eletrónico <www.mobilityweek.eu>.

[efsnotification type=”alert” style=”” close=”false” ]Para consultar o programa completo clique aqui[/efsnotification]

 

 

 

Anúncio

Guimarães

Guimarães: Manuel Heitor pede esforço coletivo para um novo ensino da era pós-Covid

UMinho

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior esteve esta manhã no auditório da UMinho, na iniciativa Skills 4 pós-Covid, que contou com a presença de Domingos Bragança.

Ao final da manhã, no Auditório Nobre da Universidade do Minho, teve lugar uma sessão de lançamento e promoção da iniciativa “Skills 4 pós-Covid – Competências para o futuro”, promovida pela Direção Geral do Ensino Superior (DGES), em estreita articulação com a OCDE, e em colaboração com as instituições de ensino superior e empregadores públicos e privados. No evento, esteve presente o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, o Reitor da Universidade do Minho, Rui Vieira de Castro, e várias personalidades convidadas, entre as quais o Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança. O objetivo da iniciativa “Skills 4 pós-Covid – Competências para o futuro” é estimular uma rápida adaptação em práticas e abordagens de ensino, aprendizagem, trabalho e investigação que, agora mais do que nunca, se mostram decisivas para a forma como deverá ser encarado o ensino no futuro imediato, bem como no futuro de médio e longo prazo.

Rui Vieira de Castro, na sua intervenção, relevou os novos desafios que se colocam à Universidade na era pós-Covid, e que passam por alterações do foro do emprego e da economia, o que faz com que seja necessário estreitar a ligação entre o Ensino Superior e o mercado de trabalho. O Reitor da UMinho disse ainda que a aceleração da transição digital, ambiental e energética que se espera trará também um novo quadro de desafios para as instituições de Ensino Superior, mostrando-se convicto de que são necessárias soluções inovadoras que dotem os alunos de novas competências e instrumentos, não colocando de parte a realização de cursos de curta duração, em estreita colaboração com os empregadores. Segundo o Reitor, são estes projetos inovadores e socialmente relevantes, para a Universidade do Minho, prioritários e estratégicos.

Manuel Heitor, Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, referiu ser importante um esforço coletivo, pois só dessa forma se encontrarão os caminhos mais adequados para a construção de uma sociedade mais bem preparada para reagir a crises como a que estamos a viver. Manuel Heitor considera que a questão crítica para o Ensino Superior é a capacidade de se adaptar as novas exigências de viver numa sociedade com risco. Ainda que não abdicando da sua matriz intrínseca, as Universidades devem estabelecer um diálogo permanente com as empresas, que dê origem a uma inovação pedagógica. Para Manuel Heitor, não se trata de olhar apenas para o Ensino a distância, pois “o processo de aprendizagem exige presença física”. Outro dos aspetos essenciais de uma nova abordagem para o Ensino, segundo o Ministro, é a criação de redes europeias, capazes de instituir uma nova cidadania de fronteiras mais alargadas. “O contexto de incerteza combate-se com o conhecimento”, disse.

A iniciativa “Skills 4 pós-Covid – Competências para o futuro” contou ainda com intervenções de vários convidados que partilharam a sua visão sobre a relação do Ensino com a empregabilidade, bem como com a presença de um conjunto de empresários dos mais variados setores de atividade.

Continuar a ler

Guimarães

Construtora de Guimarães faturou mais de 84 milhões em 2019

Empresas

em

Foto: Divulgação / Garcia e Garcia

A Garcia Garcia, construtora nacional especializada no ‘design and build’ de edifícios industriais, logísticos, residenciais e comerciais, fechou 2019 a faturar acima dos 84 milhões de euros, um crescimento de 16,1% face ao ano anterior, aunciou hoje a empresa.

Em comunicado, a empresa sediada em Guimarães indica que regista um crescimento acumulado de 58,8% nos últimos dois anos, com um investimento “na capacitação dos quadros da empresa, na agilidade organizacional e no desenvolvimento de uma estrutura flexível e polivalente”.

Cerca de metade dos clientes da Garcia e Garcia são empresas multinacionais, representando 70% do volume de negócios de 2019, que conta atualmente com 175 trabalhadores no grupo.

Continuar a ler

Guimarães

Lar em Guimarães acusado de exigir ‘joia’ de até 30 mil euros para admitir idosos

Crime

em

Foto: Ilustrativa / DR

O Ministério Público acusou dois responsáveis de uma instituição particular de solidariedade social (IPSS) de Guimarães de recebimento indevido de vantagem, por alegadamente exigirem entre mil e 30 mil euros pela admissão de idosos no lar.

Segundo nota hoje publicada na página da Procuradoria-Geral Distrital do Porto, um dos arguidos está ainda acusado de um crime de abuso de poderes, por alegadamente ter passado a viver, com a mulher, num dos lares da IPSS, sem pagar o que quer que fosse.

A IPSS também é arguida pelo crime de recebimento indevido de vantagem.

O Ministério Público considerou indiciado que o arguido desempenhava funções de direção na IPSS, com sede na cidade de Guimarães, cujo objeto passava, além do mais, pelo acolhimento de idosos em estruturas residenciais para pessoas idosas (ERPI).

A arguida desempenhava na mesma IPSS funções de diretora técnica.

Segundo a acusação, os dois arguidos singulares, agindo em representação da IPSS e no interesse desta, “decidiram solicitar, aquando da outorga dos sucessivos contratos com os utentes ou familiares, o pagamento de montantes variáveis, entre mil e 30 mil euros, como contrapartida necessária e obrigatória à admissão dos utentes, bem sabendo que tal ato não estava da mesma dependente, atendendo ao protocolo que tinham contratualizado com a Segurança Social”.

Ainda de acordo com a acusação, dando execução àquela deliberação, nos anos de 2016 e 2017 foi exigido aos utentes/familiares, e por eles entregue, como condição para a admissão na IPSS, o montante global de 283.500 euros, que reverteu para a instituição “mascarado sob a capa de donativos”.

O Ministério Público pediu ainda que os arguidos sejam condenados a pagar ao Estado aquele montante, por alegadamente constituir vantagem patrimonial da atividade criminosa que desenvolveram.

O arguido está ainda acusado de, aproveitando-se das funções de direção que desempenhava, ter, a partir de 01 de janeiro de 2017, por decisão exclusivamente sua, passado a residir numa das ERPI da IPSS com a sua mulher, “usufruindo de todos os serviços e estrutura do lar, sem pagar o que quer que fosse em troca”.

Continuar a ler

Populares