Seguir o O MINHO

Braga

Guerra Correia/Salvador prossegue no Tribunal de Famalicão

Na primeira sessão do julgamento, Salvador negou a dívida

em

Foto: DR/Arquivo

Deve ou não? Esta é a questão em análise no julgamento que opõe os empresários António Salvador e Domingos Correia, e que esta quarta-feira continua no Tribunal de Famalicão. Correia, que foi sócio de Salvador em Moçambique, diz que este lhe deve quase um milhão de euros.

Para os tentar recuperar pôs duas ações ao dono da Britalar e tem uma terceira pronta para entrar. A que está agora em causa tem o valor de 250 mil dólares, mas, com juros, pode chegar aos 300 mil. Na primeira sessão do julgamento, António Salvador negou a dívida e apresentou um e-mail, com o qual pretende provar que já pagou.

O queixoso contrapôs que o pagamento descrito no e-mail se prendia com outras dívidas, e apresentou, também, documentos contabilísticos, nesse sentido. Hoje serão ouvidas as testemunhas, algumas delas vindas propositadamente de Moçambique. Nas duas ações, António Salvador fez chegar ao Tribunal de Famalicão dois pedidos de caução, cada um de cerca de 300 mil euros. 600 mil, ao todo. Evitou, assim, a penhora das mobílias e equipamentos da casa onde vive em Braga, em vias de ser executada por uma alegada dívida de 300 mil euros.

“A minha postura sempre foi e será a de resolver quaisquer conflitos em sede judicial, como é desígnio de um Estado de Direito, nunca procurando qualquer espectáculo mediático”, afirma Salvador.

Face à entrada de cauções, Domingos Correia foi ao processo lembrar que Salvador diz nada ter, casas, automóveis ou dinheiro, mas é, direta ou indiretamente, administrador de 19 empresas, algumas no estrangeiro.

EM FOCO

Populares