Seguir o O MINHO

Braga

Grupo dst ganha obra de 20 milhões no aeroporto de Amesterdão

Nova obra representa a entrada do grupo de Braga na Holanda.

em

Foto: DR

A bysteel S.A., empresa do dst group, acaba de assinar o seu primeiro contrato na Holanda, no valor de cerca de 20 milhões de euros, para a construção de um novo Cais no Aeroporto de Schiphol, em Amesterdão. Segundo fonte da empresa, trata-se do maior contrato firmado pela empresa, em termos de estruturas metálicas, que representa um aumento considerável no volume de exportação da empresa e reforça, por isso, a sua posição no ranking das empresas exportadoras. Com esta operação, a bysteel alarga ainda a sua presença estratégica no mercado europeu, com a constituição de uma sucursal na Holanda, que se junta às existentes no Reino Unido, França e Bélgica.


Schipol é um dos maiores aeroportos da Europa. Foto: DR

A empreitada geral é da responsabilidade da joint venture Ballast Nedam (holandesa) e Tav Construction (turca), especializada na aviação, que entregaram à bysteel toda a Engenharia e Construção da Superestrutura do Novo Edifício, num total de cerca de seis mil toneladas de aço.

Com uma área de 55 mil m2, a empreitada inclui a construção do novo cais e respetivas portas de embarque, áreas de estacionamento para as aeronaves e um corredor de ligação a um terminal já existente. Esta nova área será em tudo semelhante a um terminal, uma vez que estará dotada de postos de segurança e de controlo de fronteiras, de uma área de lojas e espaços de restauração. A sua distribuição em três pisos, permitirá encaminhar os passageiros em função do seu destino, ou seja, dentro e fora do espaço Schengen, e assim alargar a oferta dos destinos e das companhias aéreas.

A construção do novo cais vai dotar este importante aeroporto de Amesterdão de melhores infraestruturas, aumentar a sua capacidade tornando-o mais eficiente e, ao mesmo tempo, oferecer às companhias aéreas e aos passageiros melhores condições e maior mobilidade. As obras serão realizadas sem comprometer a capacidade e a segurança do aeroporto.

Segundo Rodrigo Araújo, presidente executivo da bysteel “este contrato vem sublinhar o reconhecimento que os mais importantes players Europeus da Construção têm feito ao trabalho inovador desenvolvido pela bysteel ao longo dos últimos anos no segmento das obras de Engenharia e Construção de Superestruturas em Aço”. Para e responsável, “é a confirmação da vitoriosa aposta no conhecimento, no design e na ciência que temos implementado na empresa, e que posiciona a bysteel e o dstgroup no clube restrito das empresas europeias indicadas para desenvolver projetos de alta complexidade e dimensão”.

O novo cais, cuja data de conclusão está prevista para final de 2019, será o mais sustentável do Aeroporto de Schiphol, uma vez que serão utilizados elementos de design como biomaterial, vidro isolante e telhas reutilizáveis de plástico e mármore. Contará ainda com 5.000 m2 de painéis solares e usará a água da chuva nas casas de banho.

Anúncio

Braga

Filigrana da Póvoa de Lanhoso representa Braga nas 7 Maravilhas da Cultura Popular

7 Maravilhas da Cultura Popular

em

Foto: DR / Arquivo

A Filigrana da Póvoa de Lanhoso é a pré-finalista apurada para representar o distrito de Braga às 7 Maravilhas da Cultura Popular.

A iniciativa com votação decorreu esta terça-feira, precisamente no concelho de Póvoa de Lanhoso, cumprindo as normas da DGS e do município, e foi transmitida em direto na RTP1.

Vídeo: Filigrana da Póvoa de Lanhoso nas finais das 7 Maravilhas da Cultura Popular

Foto: Reprodução / RTP

O património povoense foi o mais votada pelo público, superando São João de Braga, Lenços de Namorados de Vila Verde, Galo de Barcelos, Banda Plástica de Barcelos, Figurado de Barcelos e Gigantones e Cabeçudos de Braga.

Foto: Reprodução / RTP

De acordo com o regulamento do concurso, este património vai representar o distrito nas meias-finais, podendo, no entanto, existir repescagem de finalistas do mesmo distrito.

Continuar a ler

Braga

Doméstica detida por suspeita de atear incêndio no Gerês

Terras de Bouro

em

Foto: O MINHO

A Polícia Judiciária (PJ) de Braga deteve uma mulher de 57 anos suspeita de atear um incêndio florestal registado em 04 de agosto no Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), no concelho de Terras de Bouro, anunciou hoje aquela força.

Em comunicado, a PJ refere que o local onde o incêndio teve início é uma zona de “difícil acesso”.

“Existiam condições de enorme risco de propagação à vasta mancha florestal envolvente, designadamente derivado a carga combustível do PNPG e pela orografia própria da região, o que se traduz num elevadíssimo perigo concreto para as pessoas, para os bens e para o ambiente, em particular para a área protegida em apreço”, acrescenta.

Segundo a PJ, o incêndio consumiu cerca de dois hectares de vegetação herbácea, mato e arvoredo, “não tendo atingido maiores proporções devido à rápida intervenção dos bombeiros”.

A PJ acrescenta que a arguida, doméstica, reside na freguesia onde ateou o incêndio, tendo recorrido a um artefacto retardante da ignição.

“Foram recolhidos substanciais elementos de prova, que conduziram à detenção”, lê-se ainda no comunicado.

Na operação, a PJ contou com a colaboração do Grupo de Trabalho do Norte de Redução das Ignições Florestais e da GNR.

A detida irá ser presente a tribunal, para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.

Continuar a ler

Braga

Jovem de 27 anos resgatada após queda em trilho no Gerês

Acidente

em

Foto: O MINHO

Uma jovem de 27 anos teve que ser resgatada num trilho no Gerês, após ter partido o braço numa queda, ao início da tarde desta sexta-feira.

“Sofreu uma possível fratura num membro superior e vai ser agora transportada para o hospital”, explicou a O MINHO o comandante dos Bombeiros de Terras de Bouro, José Amaro.

A queda deu-se no trilho do Poço Azul, em Vilar da Veiga, Terras de Bouro, numa zona de difícil acesso, o que dificultou o resgate, feito de forma apeada, tendo a ambulância ficado a um quilómetro de distância do local.

Os Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro mobilizaram dois operacionais e uma viatura.

Uma equipa dos GIPS da GNR também interveio.

Continuar a ler

Populares