Seguir o O MINHO

Guimarães

Grupo Casais investe 11 milhões num complexo de construção híbrida em Guimarães

É o primeiro da Península Ibérica

em

Foto: Grupo Casais / Facebook

O grupo Casais investiu 11 milhões de euros num complexo de construção híbrida, em Guimarães, que inclui um hotel, estúdios para arrendamento e um espaço comercial, foi anunciado.

“Em fevereiro de 2022 foi lançada a primeira pedra, estando nessa data metade do edifício totalmente fabricado […]. Trata-se de um projeto que conta com um investimento de cerca de 11 milhões de euros, com a assinatura do arquiteto Mário Fernandes, que será inaugurado ainda este ano”, indicou a empresa de Braga, em comunicado.

Em causa está um complexo, em construção junto ao Polo da Universidade do Minho, em Guimarães, que inclui um Hotel B&B com 95 quartos, 44 estúdios para arrendamento e um espaço comercial.

Foto: Grupo Casais / Facebook

O edifício, que utiliza madeira de engenharia e um terço do betão de um edifício tradicional, é o primeiro de construção híbrida na Península Ibérica, segundo o grupo, que destaca que esta alternativa beneficia o ambiente.

Fonte oficial da Casais adiantou, em resposta à Lusa, que os quatro pisos do hotel precisam de dois meses em fábrica e cerca de duas semanas para a montagem na obra, sendo que um processo tradicional duraria, aproximadamente, cinco meses.

Foto: Grupo Casais / Facebook

“As poupanças económicas deste sistema observam-se em três frentes, para além da redução das emissões de carbono em cerca de 60% e redução do uso de betão em cerca de 40%, a capacidade de redução de prazo, com menores custos de financiamento e de estaleiro, uma maior estabilização de preços de materiais, já que o respetivo aprovisionamento se dá mais cedo no contrato e a minimização dos erros devido a um controlo de qualidade em fábrica e especialização dos colaboradores envolvidos”, destacou.

Foto: Grupo Casais / Facebook

Foto: Grupo Casais / Facebook

Foto: Grupo Casais / Facebook

Entre os componentes individuais que vão ser pré-fabricados encontram-se painéis de teto, painéis de fachada, pilares e estruturas.

Por sua vez, as componentes industrializadas estão a ser fabricadas na Blufab, unidade de construção ‘off-site’ do grupo Casais, que abastece as obras.

Foto: Grupo Casais / Facebook

Foto: Grupo Casais / Facebook

Foto: Grupo Casais / Facebook

Metade dos materiais que estão nos interiores deste edifício podem ser reutilizados no final do ciclo de vida.

De acordo com o grupo, esta construção híbrida possibilita também uma redução de resíduos em 70% e da poluição sonora em mais de 50%.

A Casais, que foi criada em 1958, opera em 17 países e fechou 2021 com um volume de negócios agregado de mais de 527 milhões de euros.

EM FOCO

Populares