Greve nos portos desconvocada após proposta da tutela

Foto: Lusa

A greve dos trabalhadores das administrações portuárias, cujo início estava previsto para esta quinta-feira, foi hoje desconvocada, após uma proposta do Governo, adiantou o SNTAP à Lusa.

“Posso confirmar que a greve já foi desconvocada”, anunciou, numa resposta escrita enviada à Lusa, o presidente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administrações Portuárias (SNTAP), Serafim Gomes.

O Sindicato da Marinha Mercante, Indústrias e Energia (Sitemaq) também já tinha cancelado as ações de protesto.

Na terça-feira, Serafim Gomes disse à Lusa que o Governo tinha enviado uma proposta ao sindicato, que estava a ser avaliada, ficando a manutenção ou desconvocação da greve dependente do resultado dos plenários que estavam agendados para hoje, em Leixões e em Viana do Castelo.

Apesar de, na altura, não se ter comprometido com uma decisão final, ressalvando que estavam “várias variáveis em jogo”, o sindicalista considerou que a proposta ficava “um pouco aquém das expectativas”.

O início da greve do SNTAP estava agendado para as 00:00 de quinta-feira, prolongando-se até às 24:00 de sexta-feira.

Segundo o pré-aviso, estavam ainda marcadas paragens para entre 30 de maio e 01 de junho, bem como para os dias 05, 09, 12, 16, 19, 23, 26 e 30 de junho.

O principal motivo que levou os trabalhadores a avançarem para a greve foi a reivindicação de atualização da tabela salarial, cuja proposta foi apresentada em outubro.

Também hoje o Sitemaq cancelou as ações de protesto que tinha previsto começar esta quinta-feira nos portos.

Numa circular dirigida aos sócios, o sindicato destacou que o Governo “assinou, por fim, a tão aguardada portaria que atualiza as tabelas salariais aplicáveis aos trabalhadores dos portos portugueses, atualização que era uma demanda antiga, visto que as tabelas salariais não são atualizadas desde o ano de 2009”.

A estrutura sindical ressalvou que, embora a portaria aguarde publicação em Diário da República, tem confirmação de que “as tabelas salariais serão atualizadas em 5% com efeitos retroativos a janeiro de 2023, sendo ainda consolidada a atualização de 4% que foi decretada em 2022, valor que será incorporado de forma definitiva nas tabelas salariais”.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Maior proprietário do Douro e prestigiado enólogo de Monção juntam-se para potenciar o Vinho Verde 'premium'

Próximo Artigo

Ministra garante que está a trabalhar para reduzir portagens na A28

Artigos Relacionados
x