Seguir o O MINHO

Alto Minho

Governo garante “resposta adequada” a número “anormal” de fogos

em

O secretário de Estado da Administração Interna, João Almeida, afirmou hoje em Viana do Castelo que o dispositivo nacional de combate a incêndios florestais deu, nos últimos dias, uma “resposta positiva” a um número “anormal” de fogos.

“Foram dois dias intensos. O dispositivo deu uma resposta positiva apesar das condições meteorológicas severas, e mesmo com essas condições meteorológicas severas, um número de ocorrências que extravasa o que seria normal”, afirmou.

João Almeida falava no final de uma reunião de emergência que convocou para a capital do Alto Minho. No encontro participaram os presidentes de Câmara do distrito de Viana do Castelo, e todas as entidades da proteção civil para analisar os incêndios que estão a lavrar nos concelhos de Vila Nova de Cerveira, Caminha e Monção.

“Há aqui, em concreto no distrito de Viana do Castelo, nos últimos dias, um número anormal de ocorrências, tendo em conta o histórico, para a severidade meteorológica que estamos a enfrentar (…). Há várias ocorrências que têm tido uma duração de tempo bastante significativa, em municípios diferentes”, sublinhou o secretário de Estado.

O governante garantiu que nenhuma das entidades presentes na reunião “referenciou falhas, quer ao nível do dispositivo terrestre, quer de meios aéreos”, e disse que entre o distrito de Viana do Castelo e o de Braga, “estão cinco pelotões do Exército” para apoiar no patrulhamento, contingente que “poderá ser reforçado à medida das necessidades”.

O secretário de Estado da Administração Interna anunciou ainda estar a caminho da região a força que ajudou, no sábado, a combater um incêndio na Extremadura espanhola.

Adiantou que no distrito de Viana do Castelo estão atualmente 16 grupos de reforço de todo o país e que “tem estado concentrada neste distrito, e também em Braga, uma parte muito significativa dos meios aéreos de ataque ampliado que o dispositivo nacional dispõe”.

“Tem sido importante, e foi reconhecido nesta reunião como suficiente mas era preciso organizar para que esta sucessão, ao longo dos dias não produza quebras, para dar a mesma reposta eficaz”, disse João Almeida sublinhando a necessidade de nos próximos dias “avaliar no terreno a organização e a logística, para que não haja quebra na capacidade de resposta”.

O secretário de Estado remeteu para a ministra da Administração Interna um ponto de situação, na segunda-feira, sobre os incêndios que lavram no país.

No entanto, adiantou que “os últimos dias, foram indiscutivelmente os dias de maior empenhamento do dispositivo nacional”.

“Devo salientar que tendo sido os dias de maior empenhamento do dispositivo, com um número de ocorrências que hoje, até às 19:00, já tinha ultrapassado as 300 ocorrências, os 6.000 bombeiros, as 1.500 viaturas e as 130 missões de meios aéreos. Com toda esta carga a resposta tem sido a adequada com as dificuldades naturais que tem a ver com as condições meteorológicas, e a orografia”.

O governante frisou ainda “a necessidade de reforçar a sensibilização, e a dissuasão de práticas que possam, ainda que sendo negligentes, ainda que sem intenção, contribuir para a ocorrência de incêndios florestais. É fundamental o apelo para que toda a população cumpra todas as precauções conhecidas”, realçou.

Anúncio

Viana do Castelo

Juiz manda prender jovem que fez vários assaltos com arma branca em Viana

Crime

em

Foto: DR / Arquivo

A GNR anunciou hoje a detenção de um homem, de 28 anos, por tentativa de roubo e de extorsão, no concelho de Viana do Castelo, o qual ficou sujeito à medida de coação de prisão preventiva.

“Na sequência de várias denúncias, por ameaças, tentativa de roubo e [de] extorsão, todas com recurso a arma branca, os militares desencadearam um conjunto de diligências policiais que levaram à identificação e detenção do suspeito que se encontrava na posse de uma faca de cozinha, de um ‘X-ato’ e [de] um canivete”, explica a GNR, em comunicado.

O detido, com antecedentes criminais pelo mesmo tipo de crime, foi presente ao Tribunal Judicial da Comarca de Viana do Castelo para primeiro interrogatório judicial, o qual lhe aplicou a medida de coação mais gravosa: prisão preventiva.

A detenção ocorreu no domingo, acrescentando a GNR que o arguido “já havia sido detido há cerca de um mês pelo furto de vários objetos em ouro, na residência da própria mãe, num valor a rondar os 25 mil euros”.

Continuar a ler

Alto Minho

Homem cai a um poço e fica em estado grave em Ponte da Barca

Acidente

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um homem, de 61 anos, ficou com ferimentos graves depois de cair acidentalmente num poço, na freguesia de Lavradas, em Ponte da Barca, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

Segundo explica José Freitas, comandante dos Bombeiros de Ponte da Barca, o homem procedia a trabalhos de reparação em cima do poço quando terá sofrido uma queda de cerca de cinco metros de altura, ficando com ferimentos graves.

“Inicialmente foi ativada uma ambulância e uma equipa de resgate mas só foi necessária a primeira viatura porque familiares conseguiram retirar o homem do poço antes da nossa chegada”, acrescenta o comandante.

O alerta foi dado cerca das 14:30.

No local esteve ainda a VMER do Alto Minho.

A vítima foi transportada para o hospital de Viana do Castelo.

Continuar a ler

Alto Minho

Viana do Castelo apela à compra no comércio local

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

A Câmara e a Associação Empresarial de Viana lançaram uma campanha com o “Compre em Viana, apoie o Comércio Local”.

“Em contexto de pandemia, a campanha visa transmitir e demonstrar a confiança e segurança na utilização dos equipamentos vianenses, no acesso aos alojamentos hoteleiros, restaurantes, cafés, pastelarias e estabelecimentos comerciais da cidade e do concelho”, refere a Câmara em comunicado.

A campanha tem por base, como esclarece o município, “as vantagens competitivas e diferenciadoras de Viana do Castelo, como as caraterísticas do território, a qualidade ambiental e do edificado, a extensão das praias, a segurança e os serviços de saúde, os desportos náuticos, os produtos endógenos, os espaços museológicos, a diversidade da oferta cultural, os amplos espaços de fruição e de lazer, a oferta hoteleira de elevada qualidade, a excelência da restauração e do comércio”.

A campanha de apoio ao comércio local está integrada na iniciativa “Havemos de ir a Viana”, de promoção da cidade e do concelho no pós-Estado de Emergência, lançada pelas duas entidades com o objetivo de promover a reativação do comércio, restauração e hotelaria vianenses.

A campanha junta-se ao selo “Comércio Seguro”, lançado no início deste mês e que já conta com a adesão de 1.200 estabelecimentos.

A iniciativa “Comércio Seguro” pretende reativar o comércio tradicional local através de um selo que garante que o negócio está a cumprir todas recomendações de prevenção da covid-19, emanadas pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Os kits, que incluem o selo, são atribuídos mediante a assinatura de uma declaração de compromisso e incluem um guia com as recomendações da DGS. O objetivo, explica o município, é ajudar a restabelecer o ambiente de confiança que deve existir entre consumidores e comércio tradicional e vice-versa.

Continuar a ler

Populares