Seguir o O MINHO

Futebol

Golo ao minuto 120 atira AD Fafe para fora da Taça de Portugal

Em casa do Mafra, da II Liga

em

Foto: Facebook de AD Fafe

O AD Fafe perdeu hoje em casa do Mafra, por 1-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal decidido nos últimos instantes do prolongamento, e com os anfitriões em superioridade numérica.

Depois do 0-0 no tempo regulamentar, aproveitando o facto de jogar com mais um, o Mafra dominou o prolongamento e acabou por selar a qualificação nos instantes finais, por Rúben Freitas, quando o relógio já assinalava 120 minutos.

O Mafra entrou melhor, perante um Fafe que pareceu surpreendido pelo ímpeto inicial da equipa da II Liga. Contudo, rapidamente a equipa de Ricardo Silva equilibrou as operações e, aos 25 minutos, criou a primeira grande oportunidade, com Chastre a emendar um erro da defesa do Oeste e a negar a Malik o primeiro golo do jogo.

O guarda-redes do Mafra foi mesmo o melhor em campo nos primeiros 45 minutos, impedindo por mais um par de vezes a equipa do Campeonato de Portugal de sair para o descanso em vantagem.

Na segunda parte, o equilíbrio manteve-se, mas foi o Mafra a primeira formação a estar perto do golo, com Flávio, isolado, a não conseguir enganar Fred depois de tentar picar a bola por cima do guarda-redes.

Em cima dos 90, Rúben Marques quase resolvia a eliminatória para o Fafe naquele que seria o golo de uma carreira: o médio viu o adiantamento de Chastre, arriscou o remate e a bola bateu na trave.

Já no prolongamento, com mais um jogador do que o Fafe, por expulsão de Nei (86), o Mafra apertou o cerco à baliza de Fred. Ainda assim, aos 101, foi Malik a dispor da melhor ocasião da primeira parte do prolongamento, cabeceando por cima da baliza.

Na segunda parte do prolongamento, aos 109, foi do Mafra a oportunidade mais flagrante, com Flávio Silva a rematar rente ao poste com a baliza completamente à sua mercê.

No último suspiro em Mafra, o Fafe esteve a centímetros do golo que evitava os penáltis, mas Chastre, com uma defesa de recurso, evitou o pior e colocou o Mafra no ataque. Na sequência do lance, num contra-ataque, a bola surgiu na área do Fafe e Rúben Freitas, com um remate indefensável, ofereceu a passagem do Mafra à quarta eliminatória da Taça de Portugal.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Municipal de Mafra.

Mafra – Fafe, 0-0 (1-0 após prolongamento).

No final do tempo regulamentar: 0-0.

No final da primeira parte do prolongamento: 0-0.

Marcador:

1-0, Rúben Freitas, 120 minutos.

Equipas:

– Mafra: Chastre, Rúben Freitas, Juary, João Miguel, Joel (Hélio Cruz, 116), Cuca (Gui Ferreira, 91), Júnior Franco, Zé Tiago (João Tavares, 69), Nuno Rodrigues (Flávio Silva, 61), Lucas e Paul Ayongo.

(Suplentes: Godinho, Gui Ferreira, Miguel Lourenço, Flávio Silva, Cazonatti, João Tavares e Hélio Cruz.

Treinador: Vasco Seabra.

– Fafe: Fred Fangueiro, Zé Oliveira, Ferrinho (Bertinho, 82), Helinho (Cláudio Ribeiro, 71), Nei, Chico (Carlos Freitas, 111), Paulo Monteiro, Jamer Arthur, Richard Ofori, Rúben Marques e Malik (Tiago Nogueira, 118).

(Suplentes: Luís Ferreira, André Alves, João Victor, Tiago Nogueira, Carlos Freitas, Bertinho e Cláudio Ribeiro).

Treinador: Ricardo Silva.

Árbitro: Fábio Melo (AF Porto).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Chastre (20), Ofori (40), Nei (41 e 86), Juary (59), Zé Oliveira (80 e 120+1), Paulo Monteiro (84). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Nei (86) e Zé Oliveira (120+1).

Assistência: cerca de 700 espetadores.

Anúncio

Futebol

SC Braga vence FC Porto no Dragão

15 anos depois

em

Foto: SC Braga

O SC Braga venceu hoje o FC Porto, por 2-1, em pleno Estádio do Dragão, em jogo da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Os golos dos bracarenses foram marcados por Fransérgio, logo aos 5 minutos, e Paulinho, aos 75. Tiquinho Soares marcou o golo do FC Porto, aos 65.

Com este triunfo no reduto ‘azul e branco’, algo que não acontecia há 15 anos, o SC Braga passou a somar 27 pontos, conseguindo o terceiro triunfo em três jogos sob o comando de Rúben Amorim, seguindo no quinto lugar do campeonato.

Já o FC Porto, que não perdia no seu reduto, para o campeonato, desde março de 2019, mantêm-se no segundo lugar da I Liga, com 41 pontos, mas poderá ver a desvantagem para a liderança do Benfica aumentar para sete pontos, dependendo do que os ‘encarnados’ fizerem hoje no dérbi lisboeta com o Sporting.

As dificuldades para os ‘dragões’ começaram logo aos cinco minutos, quando no primeiro lance de perigo do desafio, os minhotos, numa recuperação de bola, se colocarem em vantagem, num remate de Fransérgio.

O tento até foi inicialmente invalidado pelo árbitro Carlos Xistra, por um eventual fora de jogo de Raul Silva, mas depois de ver as imagens do VAR, o juiz de Castelo Branco, acabou por dar o lance como legal.

Com a madrugadora desvantagem, o FC Porto teve de forçar o ritmo de jogo, e até conseguiu reagir ao inicial revés, instalando-se no meio campo adversário e ameaçando o empate em lances protagonizados por Manafá e Marcano, este com um cabeceamento à barra da baliza do guardião Matheus.

O guarda-redes brasileiro do SC Braga voltou a sentir um calafrio já perto da meia hora, quando o companheiro Bruno Viana fez um atraso arriscado, com a bola a sair perto da baliza bracarense.

Apesar de insistência e do ritmo frenético colocado no jogo, o FC Porto fechou a primeira parte com queixas próprias, pois, aos 44 minutos, desperdiçou uma grande penalidade, quando na sequência de uma falta de Raul Silva sobre Corona, Alex Telles assumiu a responsabilidade de cobrar o castigo, mas permitiu que Matheus defendesse o remate com os pés.

No regresso do descanso, o FC Porto conseguiu repetir o embalo da etapa inicial, voltando a revelar-se mais ambicioso nas tarefas ofensivas, perante um SC Braga que perdeu alguma coesão defensiva com a saída do central Raul Silva e a entrada do jovem David Carmo.

O estreante defesa acabou por claudicar aos 54 minutos, rasteirando na sua área Otávio, numa falta para grande penalidade, desta feita cobrada por Soares, mas também desperdiçada, com o remate a levar a bola ao poste esquerdo.

O avançado brasileiro dos ‘azuis e brancos’ acabaria por se ‘redimir’ do desperdício, aos 58 minutos, conseguindo o golo do empate, num desvio a um passe de Marega.

O Sporting de Braga não se intimidou com a reação do FC Porto, e passou a aventurar-se mais nas saídas para o contra-ataque, criando o seu primeiro lance de perigo na segunda parte numa arrancada de Paulinho a que Marchesin, guardião dos locais, se impôs com uma saída corajosa.

Só que, desse lance, resultaria um canto, em que Paulinho, deste feita, revelou-se letal, com um desvio de cabeça, que devolveu a vantagem aos bracarenses, aos 75 minutos.

Este segundo golo dos minhotos foi um golpe demasiado duro para os ‘dragões’ recuperarem, e, embora continuando a insistir, a equipa de Sérgio Conceição já não teve a força anímica, e sobretudo a lucidez, para minimizar os ‘estragos’, e o melhor que conseguiu foi um cabeceamento de Soares, aos 84 minutos, que Matheus segurou.

No final do encontro, o público do Dragão mostrou a insatisfação com a prestação da equipa ‘azul e branca’, com um forte coro de assobios na saída do conjunto portista do relvado.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio do Dragão, no Porto.

FC Porto – SC Braga, 1-2.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores:

0-1, Fransérgio, 05 minutos.

1-1, Soares, 58.

1-2, Paulinho, 75.

Equipas:

– FC Porto: Marchesín, Manafá, Mbemba, Marcano, Alex Telles, Danilo (Sérgio Oliveira, 90+1), Uribe (Luis Díaz, 76), Otávio, Corona, Soares e Marega (Aboubakar, 78).

(Suplentes: Diogo Costa, Diogo Leite, Luis Díaz, Aboubakar, Sérgio Oliveira, Fábio Silva e Vítor Ferreira).

Treinador: Sérgio Conceição.

– SC Braga: Matheus, Tormena, Raul Silva (David Carmo, 46), Bruno Viana, Ricardo Esgaio, Fransérgio, Palhinha, Sequeira, Trincão (Galeno, 61), Paulinho e Wilson Eduardo (Ricardo Horta, 53).

(Suplentes: Tiago Sá, André Horta, João Novais, Rui Fonte, Ricardo Horta, Galeno e David Carmo).

Treinador: Rúben Amorim.

Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Fransérgio (06), Alex Telles (09), Raúl Silva (43), Ricardo Esgaio (65), Ricardo Horta (65), João Palhinha (68), Otávio (69), Soares (73), Marega (77), Marcano (82) e Matheus (83).

Assistência: 35.611 espetadores.

(notícia atualizada às 22h14)

Continuar a ler

Futebol

FC Porto-SC Braga: Matheus defende penálti

Minuto 44. Penálti para o FC Porto. Defende Matheus! Alex Telles a bater a grande penalidade, Matheus atira-se para o lado contrário, mas acaba por negar o empate com o pé esquerdo.

em

Minuto 44. Penálti para o FC Porto. Defende Matheus! Alex Telles a bater a grande penalidade, Matheus atira-se para o lado contrário, mas acaba por negar o empate com o pé esquerdo.

Continuar a ler

Futebol

VAR: SC Braga abriu o marcador no Dragão

FC Porto-SC Braga, minuto 5. Canto a favor da equipa bracarense, o primeiro remate de Trincão é interceptado, à segunda Fransérgio atira certeiro para o fundo das redes. Num primeiro momento o lance é anulado, devido à posição de Raul Silva, mas depois de recorrer ao VAR e ir ele mesmo visionar as imagens, Carlos Xistra valida o tento.

em

FC Porto-SC Braga, minuto 5. Canto a favor da equipa bracarense, o primeiro remate de Trincão é interceptado, à segunda Fransérgio atira certeiro para o fundo das redes. Num primeiro momento o lance é anulado, devido à posição de Raul Silva, mas depois de recorrer ao VAR e ir ele mesmo visionar as imagens, Carlos Xistra valida o tento.

Continuar a ler

Populares