Seguir o O MINHO

Alto Minho

GNR salva raposa em Ponte de Lima

Cabração

em

O Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) de Arcos de Valdevez da GNR resgatou, na sexta-feira, uma raposa vermelha, Vulpes vulpes, em Cabração, Ponte de Lima.

“O animal encontrava-se numa poça de retenção de água que serve a plantação de vinhas da Aveleda e, depois do resgate, foi restituída ao habitat natural”, explica a GNR em comunicado.

A ação decorreu no decurso de uma diligência pelos militares da Guarda em conjunto com os técnicos e a Diretora da Administração Regional Hidrográfica do Norte devido à redução de caudal do Rio de Estorãos.

A redução do caudal daquele rio tem causado bastante polémica com a Junta de Freguesia de Estorãos a responsabilizar a Aveleda e, por seu turno, a empresa a alijar responsabilidades.

Rio em Ponte de Lima está quase seco. Aveleda garante não ser a causa do problema

Questionado por O MINHO, a APA revelou que contactou uma equipa do SEPNA, da GNR de Arcos de Valdevez, para averiguação no terreno das situações relatadas e que, após “diligências no local, tendo percorrido as secções do rio Estorãos a montante e a jusante da captação superficial licenciada, cujo titular é a empresa Aveleda S.A.”, verificou que “há uma redução do caudal do rio após a captação”.

Por seu turno, a Aveleda enviou um direito de resposta a O MINHO em que acusa a APA de mentir nos esclarecimentos enviado ao nosso jornal.

“É falso que a equipa do SEPNA, da GNR de Arcos de Valdevez tenha ‘verificado que há uma redução do caudal do rio após a captação’. Esta equipa apenas constatou que o caudal do rio estava abaixo do normal, jamais tendo relacionado esta diminuição com a captação da Aveleda”, diz a empresa.

Entretanto, tema chegou à Assembleia da República pelo Bloco de Esquerda, que questionou o governo sobre as razões da “redução drástica” do caudal do rio Estorãos e que medidas o Governo iria tomar para garantir “uma condição essencial para a preservação daquele ecossistema fluvial”.

Populares