Seguir o O MINHO

Arcos de Valdevez

GNR investiga se existiu crime em incêndio que destruiu fábrica de madeiras em Arcos de Valdevez

Na zona industrial de Padreiro

em

Foto: Facebook de JF Padreiro

A GNR informou hoje que irá investigar as causas do incêndio que destruiu por completo uma fábrica de transformação de madeiras instalada na zona industrial de Padreiro, em Arcos de Valdevez, assim que o fogo seja totalmente extinto.


Fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, contactada hoje pela agência Lusa, disse que o incêndio deverá ser extinto durante o dia, sendo que, às 10:15, estavam “em curso operações de rescaldo”.

Dominado incêndio que destruiu fábrica de madeiras em Arcos de Valdevez

“A proteção civil espera ter o incêndio extinto durante o dia de hoje. A partir desse momento a GNR irá iniciar a investigação para apurar se existiu intenção criminosa ou dolosa. A confirmar-se esse cenário, o caso será encaminhado para a Polícia Judiciária”, especificou aquela fonte.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, João Manuel Esteves, explicou que “a fábrica, instalada há mais de uma década naquela zona industrial, com cerca de dez trabalhadores, é detida por um empresário do concelho.

O autarca social-democrata, que durante a noite de quarta-feira e madrugada de hoje acompanhou os trabalhos de combate ao incêndio, lamentou a destruição da empresa familiar e solidarizou-se com o proprietário e os trabalhadores.

João Manuel Esteves agradeceu “a intervenção pronta, profissional e corajosa de todos os bombeiros envolvidos” no combate às chamas.

“Desde logo o meu agradecimento aos bombeiros de Arcos de Valdevez, os primeiros a chegar ao local. Também ao comando distrital pela intervenção e coordenação do incêndio que impediu uma tragédia maior, evitando que as chamas se propagassem às fábricas vizinhas e à creche da zona industrial”, disse.

O incêndio deflagrou pelas 20:50 de quarta-feira e foi dominado cerca das 01:00, informou o comandante operacional distrital (CODIS) de Viana do Castelo.

Durante a madrugada, Marco Domingues disse ao jornalistas que “quando o fogo deflagrou a fábrica encontrava-se encerrada e sem ninguém no seu interior”, referindo que os trabalhos de consolidação seriam demorados “devido à carga [combustível] acumulada no interior” do espaço.

O responsável da Proteção Civil distrital referiu que, deste incêndio resultou um ferido ligeiro, um bombeiro que sofreu uma entorse e foi transportado para o Hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo.

O comandante dos Bombeiros de Arcos de Valdevez, Filipe Guimarães, explicou que o alerta foi dado por um bombeiro da corporação que passava no Itinerário Complementar 28 (IC28).

O comandante dos bombeiros acrescentou que o trabalho de rescaldo é demorado, “porque a fábrica tinha pilhas de madeira empilhada com cerca de cinco a seis metros de altura”.

Ao local acorreram 14 corpos de bombeiros dos distritos de Viana do Castelo e Braga, num total de 130 operacionais apoiados por 39 veículos, além de INEM e GNR.

Anúncio

Alto Minho

Arcos de Valdevez abre candidaturas a bolsas de estudo no ensino superior

Até 15 de novembro

em

Foto: DR / Arquivo

A Câmara de Arcos de Valdevez informou hoje estar a decorrer o prazo para a apresentação de candidaturas a bolsas de estudo para o ensino superior para alunos com dificuldades económicas.

Segundo aquela autarquia do distrito de Viana do Castelo, aquele apoio anual pretende “garantir a todos uma justa e efetiva igualdade de oportunidades no acesso e sucesso escolares, para melhor enfrentar os desafios do futuro”.

As candidaturas estão a decorrer até dia 15 de novembro, sendo que os interessados podem aceder à informações necessária no sítio oficial da Câmara de Arcos de Valdevez, na Internet.

Continuar a ler

Alto Minho

BE questiona governo sobre rio tingido de branco em Arcos de Valdevez

Rio Vez

em

Foto: Redes sociais

O Bloco de Esquerda (BE) questionou o governo acerca da polução no rio Vez, junto à ponte de Santar, em Arcos de Valdevez, que na quarta-feira apareceu tingido de branco.

A reação do partido surge após a notícia de O MINHO que dava conta de que aquele que é um dos rios com a água mais pura do país apresentava um foco de poluição de tez esbranquiçada e que as autoridades foram alertadas.

Nesse sentido, os deputados Maria Manuel Rola e do José Maria Cardoso querem saber “se o governo tem conhecimento da situação e se existem autorizações de Utilização do Domínio Hídrico para descargas ao longo deste rio”.
Pretendem também saber como vai o Governo “atuar para que esta situação não se volte a verificar e como pretende manter a proteção do rio Vez deste tipo de ocorrências e que articulação está a ter o ministério com as autarquias”.

Um dos rios mais puros do país acordou tingido de branco em Arcos de Valdevez

“Estamos a falar de um dos rios mais límpidos da europa, ponto primordial da ecovia do Vez e muito visitada por estas características naturais, sendo que Santar é também conhecida pelo património cultural para além de paisagístico e ambiental”, realça o BE, que alerta para “uma situação dramática e fustigante que os rios do Alto Minho atravessam”.

“As descargas e os atentados têm sido recorrentes, nos nossos rios, Lima, Labruja, Vez entre outros”, salienta o BE.

Contactado hoje pela agência Lusa, o presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, João Manuel Esteves disse que as descargas, de origem desconhecida, foram detetadas na quarta-feira, tendo a autarquia alertado a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e o Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR.

Notícia atualizada às 14h05 com mais informação.

Continuar a ler

Alto Minho

Trabalhador gravemente ferido após queda de cinco metros em Arcos de Valdevez

Acidente de trabalho

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um homem de 32 anos ficou gravemente ferido na sequência de um acidente de trabalho, ao início da tarde desta quinta-feira, na Rua Coutada de Cima, em Extremo, Arcos de Valdevez, apurou O MINHO junto de fonte dos bombeiros.

O operário de uma empresa de instalação de fibra ótica caiu de uma altura de cinco metros.

Ao que apurámos, na altura do acidente, o trabalhador estaria numa escada a cortar a copa de uma árvore.

Na queda sofreu um traumatismo craniano grave.

Foi transportado pela SIV dos Arcos de Valdevez para o Hospital de Braga.

O alerta foi dado às 13:33.

Os Bombeiros de Arcos de Valdevez prestaram socorro com uma ambulância e dois operacionais.

No local esteve também a VMER de Viana do Castelo.

Continuar a ler

Populares