Seguir o O MINHO

Guimarães

GNR deteta plantação de canábis durante combate a incêndio em Guimarães

Apreendidos 21 pés de canábis com cerca de 1,5 metros cada um

em

Foto: Divulgação / GNR

Militares do comando territorial da GNR Braga, através do posto territorial de Guimarães, no dia 7 de setembro, detetou um cultivo de canábis sativa, no concelho de Guimarães.

“Durante o combate a um incêndio, que lavrava na freguesia de Brito, os militares detetaram numa área florestal, uma plantação de canábis dissimulada entre a vegetação. No total, foram apreendidos 21 pés de cannabis, com cerca de 1,5 metros cada uma”, informa aquela polícia.

Os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão.

Anúncio

Guimarães

Fogem à GNR enquanto furtavam combustível em Guimarães

Acabaram detidos entre Póvoa de Lanhoso e Braga

em

Foto: GNR

Dois homens, de 46 e 35 anos, foram detidos este domingo após perseguição policial na sequência de um furto de combustível em Taipas, Guimarães.

Em comunicado, o comando territorial de Braga da Guarda Nacional Republica (GNR) informa que, na sequência de uma denúncia de que estaria a decorrer um roubo de combustível, militares do posto territorial de Taipas encetaram perseguição dos suspeitos, tendo detetado os mesmos “possivelmente” na localidade de Póvoa de Lanhoso quando seguiam em direção a Braga.

“Pouco tempo depois, os militares conseguiram intercetar a viatura em que seguiam, tendo os suspeitos tentado ainda uma fuga apeada, sem sucesso, acabando por ser detidos”, refere aquela polícia.

Os suspeitos tinham na sua posse diverso material utilizado no furto de combustível, destacando-se a apreensão de um veículo, 45 litros de gasóleo e dez recipientes vazios.

De acordo com a GNR, os suspeitos “são reincidentes neste tipo de furtos, tendo inclusivamente furtado o veículo que conduziam para consumarem o furto e transportarem os recipientes com o gasóleo”.

A viatura furtada vai ser entregue esta segunda-feira ao seu legítimo proprietário.

Os detidos estão, neste momento, a ser presentes no Tribunal Judicial de Guimarães.

A ação contou com o apoio de militares do Destacamento de Intervenção de Braga.

Continuar a ler

Guimarães

Homem morre em Guimarães: “Há suspeitas de que poderá ter sido picado por uma vespa”

Em Infantas

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um homem de 32 anos morreu no sábado à noite na freguesia de Infantas, concelho de Guimarães, suspeitando-se que terá sido picado por uma vespa, disse hoje à Lusa fonte dos Bombeiros Voluntários de Guimarães.

Segundo a fonte, o alerta foi dado pelas 21:40, “para uma reação alérgica desconhecida”, tendo a vítima sido encontrada já em paragem cardiorrespiratória numa habitação na rua do Casal, freguesia de Infantas.

“Há suspeitas de que poderá ter sido picado por uma vespa, mas só a autópsia confirmará”, acrescentou.

No local estiveram uma ambulância com dois elementos dos Voluntário de Guimarães e equipas da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Famalicão e da ambulância de Suporte Imediato de Vida de Fafe.

O corpo foi transportado para o Instituto de Medicina Legal do Hospital de Guimarães para ser autopsiado.

 

Notícia atualizada às 16h31 com mais conteúdo.

Continuar a ler

Guimarães

Grupo de Guimarães lança plataforma para “revolucionar comercialização do calçado”

Economia

em

Foto: Kyaia / Divulgação

O grupo português Kyaia vai lançar “nos próximos meses” uma nova plataforma digital que promete “revolucionar o processo de comercialização do calçado”, aproximando online as marcas e produtores dos retalhistas, anunciou hoje a empresa.

Em comunicado, o grupo de Guimarães adianta que a plataforma digital B2B (‘Business to Business’ ou “de empresa para empresa”) Shoeply “vem possibilitar o acesso de grandes marcas a inúmeros retalhistas do setor e vice-versa”.

Entre as principais vantagens a Kyaia destaca a “facilidade de acesso a todos os produtos disponíveis”, a “flexibilidade no processo de compra” e a “significativa diminuição de custos”, já que “o online vem facilitar todo o processo comercial”.

Aponta ainda o facto de a nova solução “agilizar todo o tempo de produção e comercialização do produto”.

“No futuro, o Shoeply permitirá a apresentação de um maior número de coleções por ano, por marca, num curto espaço de tempo”, refere, avançando como exemplo o facto de o lançamento de “um novo modelo ou de nova cor poder ficar disponível a qualquer momento para compra”, num “processo mais rápido e cada vez mais adaptado às necessidades de revendedores e consumidores, sem restrições de coleção ou temporada”.

Fundada em 1984 por Fortunato Frederico e Amílcar Monteiro, a Kyaia lidera um grupo empresarial com mais de 600 trabalhadores e um volume de negócios de 55 milhões de euros, possuindo cinco fábricas em Guimarães e em Paredes de Coura.

Além da produção de calçado, o modelo de negócio do grupo estende-se às áreas de distribuição, retalho, imobiliário e tecnologias de informação.

Continuar a ler

Populares