Seguir o O MINHO

Braga

Desmantelada fábrica artesanal de cigarros em Braga

Crime

em

Foto: GNR

Uma fábrica de manufaturação de cigarros artesanal, em Braga, foi desmantelada, na segunda-feira, pela Unidade de Ação Fiscal (UAF) da GNR.


Em comunicado, aquela força militar refere que, “no decorrer de uma ação de fiscalização e controlo da circulação de mercadorias, no momento em que ocorria uma entrega da mercadoria (folha de tabaco) ao destinatário, um homem de 59 anos, foram apreendidos cerca de 129 quilos de folha de tabaco, que a serem introduzidos no mercado dariam para manufaturar 129 mil cigarros”.

De seguida, a UAF desencadeou uma busca domiciliária que permitiu detetar duas bancadas preparadas para manufaturar o tabaco e apreender 1.230 cigarros já preparados para serem introduzidos no consumo, 12.600 tubos para cigarros, duas máquinas de entubamento, uma máquina de corte da folha em bruto e uma balança digital.

Segundo a GNR, “caso tivesse sido introduzido no consumo através dos circuitos comerciais marginais, o tabaco apreendido teria causado um prejuízo ao Estado, em sede de Imposto de tabaco e de IVA, num valor que ascende aos 23 mil euros”.

O suspeito, que se encontra indiciado na prática do crime aduaneiro de Introdução Fraudulenta no Consumo, foi detido e os factos remetidos para o Tribunal Judicial de Braga.

Ainda de acordo com comunicado, “o tabaco teria como objetivo ser comercializado em Portugal sem o cumprimento das respetivas formalidades legais, controlo sanitário, bem como sem o devido pagamento do respetivo imposto especial sobre o consumo e imposto sobre o valor acrescentado”.

Anúncio

Braga

1,89 milhões para reabilitar convento do século XVI em Braga

Património

em

Foto: Divulgação / CM Braga

A obra de recuperação do Convento de S. Francisco de Real, em Braga, está em concurso público, por 1,89 milhões de euros, segundo anúncio hoje publicado em Diário da República.

A empreitada tem um prazo de execução de dois anos.

O projeto visa reabilitar o convento e abri-lo à visitação, repondo a coesão espacial de um conjunto monumental que integra ainda a Igreja de S. Francisco/S. Jerónimo, Mausoléu de São Frutuoso, classificado como monumento nacional.

O programa base da operação integra a abertura do monumento à visitação interpretada, com circuito que inclui os dois primeiros pisos do convento, o mausoléu, a igreja e a sacristia, e a construção de um Centro de Documentação nos domínios da arqueologia, arquitetura e história.

O centro acolherá ainda uma biblioteca especializada e o núcleo de apoio ao convento da unidade de arqueologia da UMinho, que assegurará o serviço educativo e a produção atualizada de conteúdos para complementar o circuito de visita.

Segundo a Câmara de Braga, o Convento de São Francisco “passará a ser num equipamento polivalente, aberto à população, assumindo-se como um polo de difusão do conhecimento e também como ponto turístico de qualidade”.

Continuar a ler

Braga

Nove freguesias de Braga pedem ao Governo mais policiamento

Segurança

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Polícias precisam-se em Braga. É esta a mensagem que nove freguesias da zona urbana da cidade vão enviar em carta ao Governo.

O presidente da Junta de São Vítor, Ricardo Silva disse a O MINHO que a iniciativa se prende com um ligeiro aumento do número de assaltos na zona e na cidade: “o Comando Distrital sofre de uma crónica falta de agentes”, salientou.

Há dias, a associação Braga para todos pediu mais patrulhamento e a instalação de um sistema de videovigilância, nomeadamente nas pontes pedonais que ligam a Rua D. Pedro V e o bairro das Enguardas ao centro comercial Bragaparques e à rua Nova de Santa Cruz.

Ponte pedonal entre o Braga Parque e o bairro das Enguardas. Foto: DR

O organismo tem recebido queixas sobre assaltos que afirma serem frequentes, com incidência ao final do dia: “pela descrição que nos deram, os assaltos são feitos quando há menos pessoas a passar em simultâneo, e, por norma, o assaltante vai em sentido contrário ao da vítima, rouba a mala e foge na direção das Enguardas, onde dificilmente é apanhado”.

Contactada a propósito, a PSP disse que não registou qualquer crescimento anormal da criminalidade na zona.

O mesmo disseram vários moradores da zona contactados por O MINHO: “não temos ideia de assaltos. São coisas pontuais”.

Opinião diferente tem a Braga para todos: “ A freguesia de S. Victor, que liga o maior shopping da cidade, com muitas dezenas de trabalhadores, a UMinho, com milhares de estudantes, e várias residências, ao centro da urbe, está cada vez menos segura; temos vários relatos de pessoas que já não andam no ginásio do shopping porque depois têm medo de voltar a casa após as 19h00″, afirma, sublinhando que, um dos seus membros assistiu a um assalto a uma jovem que ficou em pânico.

Sobre o tema, o autarca de São Vítor diz que, no imediato, a solução passa por mais policiamento, a pé, mas sublinha que, a prazo,” é necessário acabar com as travessias aéreas ou subterrâneas, substituindo-as por atravessamento à superfície”.

Continuar a ler

Braga

Universidade do Minho cria plataforma gratuita para autoavaliação da saúde mental

Saúde

em

Foto: DR

A Escola de Medicina da Universidade do Minho (UMinho) desenvolveu uma plataforma gratuita que permite fazer uma autoavaliação da saúde mental, anunciou hoje aquela academia.

Em comunicado, a UMinho acrescenta que a plataforma dá também acesso a ferramentas de gestão emocional, melhoria do sono e adoção de estilos de vida saudáveis.

A plataforma, gratuita, ajuda a identificar situações que possam beneficiar de encaminhamento para os cuidados de saúde ou aconselhar a marcação de uma consulta.

“Com este projeto, pretende-se aumentar a literacia em saúde mental, em simultâneo com a automonitorização de sintomas e a capacitação da população na autogestão da saúde mental. Em simultâneo, promove-se a consciencialização para a necessidade de recurso aos serviços de saúde e a profissionais qualificados sempre que se verifiquem situações de maior gravidade dos sintomas reportados”, sublinha o comunicado.

A ferramenta foi construída pela Escola de Medicina e pelo seu Instituto de Investigação em Centro de investigação da Vida e Saúde ICVS, em parceria com o Centro de Medicina Digital P5.

No futuro, está prevista a integração de módulos do projeto Eutimia e da Sociedade Portuguesa de Estudos e Intervenção no Luto, parceiros da iniciativa.

“Esta ferramenta permite que cada pessoa possa avaliar e monitorizar os seus sintomas ansiosos e depressivos, recebendo informação acerca do seu estado. Cada pessoa tem também acesso a ferramentas de gestão emocional, melhoria do sono e adoção de estilos de vida saudáveis”, explica Pedro Morgado, investigador e docente da Escola de Medicina da UMinho.

A informação acerca das estratégias propostas foi selecionada por uma equipa de psiquiatras, psicólogos e investigadores da área das neurociências, “de acordo com a melhor evidência científica”.

Continuar a ler

Populares