Seguir o O MINHO

Cabeceiras de Basto

GNR de Cabeceiras de Basto apreende armas de fogo a indivíduo suspeito de violência doméstica

Homem de 67 anos exercia violência psicológica e física sobre a esposa de 61 anos

em

Foto: GNR

A GNR de Cabeceiras de Basto apreendeu três armas de fogo e 162 munições, no âmbito de um processo de violência doméstica, naquele concelho.

Na sequência de uma investigação por violência doméstica, onde o suspeito, um homem de 67 anos, exercia violência psicológica e física sobre a esposa de 61 anos, a GNR deu cumprimento a um mandado de busca domiciliária que culminou na apreensão de duas pistolas transformadas (armas de alarme transformadas para armas de fogo); uma espingarda e 162 munições.

Os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Guimarães.

Anúncio

Cabeceiras de Basto

Apreendida espingarda a suspeito de “violência física e psicológica” sobre a mulher em Cabeceiras de Basto

Casal de 33 e 31 anos

em

A GNR apreendeu na quinta-feira, na sequência de uma busca domiciliária realizada por violência doméstica, uma espingarda de caça e munições em Cabeceiras de Basto, divulgou hoje o Comando Territorial de Braga daquela força policial.

Em comunicado, a GNR informa que a apreensão resultou de uma investigação por violência doméstica, “em que o suspeito, um homem de 33 anos, exercia violência psicológica e física sobre a sua esposa de 31 anos”.

Foto: GNR

Ao realizar uma busca domiciliária, os militares do Posto Territorial de Cabeceiras de Basto encontraram uma espingarda de caça e 24 cartuchos na residência do casal.

Ao que O MINHO apurou, o casal reside na freguesia de Arco de Baúlhe e Vila Nune.

De acordo com a força policial, os factos foram transmitidos ao Tribunal Judicial de Cabeceiras de Basto.

Continuar a ler

Cabeceiras de Basto

Cabeceiras de Basto é o sexto concelho do país onde se perde mais água

Segundo a DECO, em Portugal há um desperdício de 90 milhões de euros por ano com perdas de água

em

Foto: Ilustrativa / DR

As perdas de água em Portugal rondam os 180 milhões de metros cúbicos por ano e correspondem a um desperdício na ordem dos 90 milhões de euros, denunciou hoje a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, identificando um conjunto de 15 municípios com maiores perdas de água, em que Cabeceiras de Basto surge na sexta posição, com 390 litros por dia e 1,10 milhões de m3 por ano.

“Globalmente, perdem-se, por ano, 179.722.877 metros cúbicos de água em 258 municípios”, divulgou hoje a DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, com base em dados que deixam de fora mais “20 municípios que desconhecem o volume desperdiçado”.

O valor apurado corresponde, segundo a associação, “a 197 piscinas olímpicas”, mas, estimando o valor não contabilizado nos municípios que não forneceram dados, as perdas deverão chegar, anualmente a “mais de 180 milhões de metros cúbicos de água, o que corresponde a deitar fora cerca de 90 milhões de euros”, refere a DECO num comunicado.

As perdas são provocadas por problemas ao nível “do armazenamento, do transporte e na distribuição” de água e, segundo a DECO, “o pior caso ao nível nacional” regista-se em Macedo de Cavaleiros, com “642 litros de água perdidos por ramal e por dia”, o que equivale a 2,35 milhões de metros cúbicos (m3) por ano.

Já o melhor exemplo identificado foi o de Santo Tirso e Trofa, com 13 litros perdidos, por ramal e por dia.

Tendo por base a análise de dados da Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos (ERSAR), a DECO revelou hoje a lista dos 15 municípios do país com maiores perdas de água.

A Macedo de Cavaleiros segue-se Peso da Régua, com 520 litros perdidos por ramal e por dia (1,24 milhões de m3 por ano); Anadia, com 463 litros por dia (2,40 milhões de m3 por ano).

Arruda dos Vinhos, com perdas de 452 litros por dia e por ramal (752 mil m3 por ano), e Silves, com 448 litros por dia e por ramal (2,33 milhões de m3 por ano), completam o ‘top’ cinco dos maiores perdedores de água revelados pela associação.

Da lista fazem também parte Cabeceiras de Basto (6.º, com 390 litros por dia e 1,10 milhões de m3 por ano); Loures e Odivelas (383 mil litros por dia e 6,92 milhões de m3 por ano); Amadora e Oeiras (com 372 litros por dia e 4,85 milhões de m3 por ano); Estremoz (com 371 litros por dia e 1,21 milhões de m3 por ano) e Castelo de Paiva (com 364 litros por dia e 781 mil m3 por ano).

De entre os 15 com maiores perdas, seguem-se Moimenta da Beira (com 364 litros por dia e 900 mil m3 por ano); Lousã (com 352 litros por dia e 972 mil m3 por ano); Sesimbra (com 340 litros por dia e 2,47 milhões de m3 por ano); S. Brás de Alportel (com 333 litros por dia e 689 mil m3 por ano) e Santa Marta de Penaguião (com 332 litros por dia e 528 mil m3 por ano).

Além destes 15 municípios, segundo a DECO, “91 têm perdas acima do aceitável” e em 200 “a reabilitação de condutas com mais de dez anos é insatisfatória”.

No comunicado, a DECO defende que “uma quantia tão elevada [de perdas] não deve repercutir-se na fatura cobrada ao consumidor” e alerta que a falta de manutenção “poderá levar ao colapso” das condutas, dando origem a avarias e a perdas de água da rede.

Continuar a ler

Cabeceiras de Basto

Carro cai de ravina de 50 metros em Cabeceiras de Basto e ocupantes ficam com ferimentos ligeiros

Três residentes na zona da Figueira sa Foz

em

Foto: DR

Três pessoas ficaram feridas na tarde deste sábado após um despiste seguido de uma queda de 50 metros na freguesia de Rio Douro, Cabeceiras do Basto.

Os ocupantes do veículo, residentes na zona da Figueira da Foz, seguiam na direção do troço de Cabeceiras de Basto do Rali de Portugal, segundo o Jornal de Notícias.

O carro entrou em despiste e caiu numa ravina de cerca de 50 metros. Os ocupantes, um deles menor de idade, foram retirados do veículo por populares e foram encaminhados para o Hospital de Guimarães com ferimentos ligeiros.

No local estiveram meios dos Bombeiros Cabeceirenses e de Salto. A GNR tomou conta da ocorrência.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares