Seguir o O MINHO

Ave

GNR convence jovem a não tirar a própria vida em Fafe

Prevenção de suicídio

em

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Militares do posto territorial da GNR em Fafe evitaram uma possível tragédia, este domingo, ao demover um jovem que pretendia pôr termo à própria vida, em Fafe.

Ao que O MINHO apurou, o adolescente estava visivelmente perturbado na via pública quando um carro patrulha da GNR passou no local, apercebendo-se do comportamento suspeito.

Os dois militares saíram da viatura e foram calmamente em direção ao rapaz, quando este mostrou algo (*) que poderia potenciar o seu suicídio, pedindo aos militares para não se aproximarem.

Ainda a alguma distância, os militares encetaram um diálogo que durou cerca de 30 minutos, conseguindo demovê-lo da intenção inicial, num local também potenciador do término da própria vida.

O jovem acabou por aceder a que um dos militares se aproximasse e entregou-lhe o objeto, sem oferecer qualquer resistência.

Para o local foi imediatamente acionada uma ambulância dos Bombeiros Voluntários de Fafe que estabilizaram o jovem, fazendo o transporte para o Hospital de Braga onde este acabou por ser internado na ala de psiquiatria.

(Nota de Redação: Por norma, a comunicação social não deve noticiar tentativas ou ações que levam ao suicídio, face ao perigo de mimetização, ou seja, levar a que outras pessoas copiem os métodos. O MINHO decide não noticiar nem o local nem a forma com que o jovem tentou pôr termo á vida, até pela recomendação do Plano Nacional para a Prevenção do Suicídio, da Organização Mundial de Saúde, e do Código Deontológico dos Jornalistas. Todavia, decidimos noticiar este acontecimento por dois motivos: 1) A atuação e importância dos militares para evitarem uma tragédia. 2) Consciencializar pessoas que possam estar na mesma situação, alertando para que, independentemente de cada um fazer o que quiser com a sua vida, pode sempre recorrer a especialistas que podem tratar atos depressivos em fase de desespero).

“Quando falamos de suicídio, não falamos nunca da vontade de acabar com a vida”

O MINHO falou com Andreia Santos, psicóloga, que alerta para a necessidade de  “priorizar os cuidados de saúde mental enquanto forma de prevenção e não deixar que circunstâncias emocionais em que o desespero bate à porta acabem por ter desfechos como o do suicídio, que é uma possibilidade”.

“Quando falamos de suicídio não falamos nunca da vontade de acabar com a vida, mas com esta forma de vida em especial”, esclarece a especialista em saúde mental.

“Quem se suicida quer na verdade viver, mas de um modo totalmente diferente do que está a experimentar. Trata-se de um apelo que não podemos em termos estruturais de cuidados ignorar”, salienta.

“Falamos da falta de recursos emocionais para lidar com o sofrimento e do comportamento impulsivo que daí resulta, a tentativa ou a realização do fim à vida”, esclarece.

Em tempos de pandemia, os suicídios (ou tentativas) têm aumentado ao redor do globo, por vários fatores.

“No caso do suicídio, em particular, o contexto pandemico pode, para indivíduos com dificuldade, estar a potenciar os problemas existentes e o isolamento, e com a consequente falta de apoio das redes sociais na vida das pessoas, as consequências podem ser gravosas à vida humana”, finaliza a especialista, deixando o alerta para que pessoas em possível fase de desespero consideram pedir apoio psicológico ou psiquiátrico antes de se deixarem levar pelo impulso autocida.

 LINHAS DE APOIO

Linha Jovem – 800 208 020
Todos os dias das 9 às 18 horas

Linha LUA
Telef.: 800 208 448 (entre as 20h00 e as 02h00)
website: www.ua.pt/sas/lua

Linha SOS Bullying
Telef.: 808 962 006 [2ª a 6ª f. das 11-12h30 e das 18h30-20h]
e-mail: [email protected]

SOS Estudante – 96 955 45 45 ou 808 200 204 (das 20h à 1h, chamada local)
Apoio emocional e prevenção do suicídio

Telefone da amizade – 228 323 535
Apoio em situações de crise pessoal e suicídio das 16h às 23h

S.O.S. Adolescente – 800 202 484

Conversa Amiga – 808 237 327 (chamada local)
Apoio, orientação e formação. Todos os dias das 15h às 22h

Linha SOS Palavra Amiga – 232 42 42 82
Todos os dias, das 21 à 01 horas;

Centro SOS-Voz Amiga: ajuda na solidão, ansiedade, depressão e risco de suicídio
Telef.: 21 354 45 45 – Diariamente das 16 às 24h
Telef.: 91 280 26 69 – Diariamente das 16 às 24h
Telef.: 96 352 46 60 – Diariamente das 16 às 24h
website: www.sosvozamiga.org

Linha Telefone amigo – 239 72 10 10
Todos os dias, das 17 à 01 hora

Linha Telefone Amizade – 800 205 535
De segunda a quinta, das 16 à 01 hora
Sexta e Sábado, das 19 às 21 horas

SERVIÇOS

INEM – 112

Saúde Pública – 808 211 311

Intoxicações – 808 25 01 43

Saúde 24
Telef. – 808 24 24 24
website: www.saude24.pt

APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima – 707 200 077

Linha do Medicamento – 800 22 24 44

Provedor da Justiça – 808 200 084

CNPCJR Comissão Nacional de Protecção das Crianças e Jovens em Risco
Telef.: 21 115 52 70
e-mail: [email protected]
website: http://www.cnpcjr.pt/

CPCJ Guimarães (Comissão de protecção de crianças e jovens de Guimarães – 253 414053

Linha Verde Recados das Crianças – 800 206 656

SOS Criança – Instituto de Apoio à Criança –
Telefs.:217 931 617 / 800 202 651
e-mail: [email protected]
website: http://www.iacrianca.pt

Saúde pública – 707 30 82 83

Populares