Seguir o O MINHO

Futebol

“Gil Vicente tem a vantagem de jogar num esquema tático idêntico ao do Sporting”

Rúben Amorim

em

Foto: Twitter / Sporting

O treinador do Sporting, Rúben Amorim, afirmou hoje que pretende conquistar os três pontos na receção de quarta-feira ao Gil Vicente, em jogo em atraso da primeira jornada da I Liga de futebol.


Rúben Amorim, que falava em conferência de imprensa de antevisão ao encontro com os gilistas, considera que o adversário tem uma equipa “com coragem” e que é muito forte no corredor central para sair em transição.

“O Gil Vicente tem a vantagem de jogar num esquema tático idêntico ao do Sporting. Espero igualar isso e espero que o valor individual dos jogadores do Sporting faça a diferença. É uma equipa muito pressionante no corredor central e que vem jogar aqui sem muita responsabilidade. Vamos impor o nosso ritmo e o nosso jogo”, afirmou.

Nos quatro jogos realizados esta temporada na I Liga, o Sporting soma três vitórias e um empate, motivo pelo qual Rúben Amorim olha para este jogo com a possibilidade de descolar do FC Porto, com quem tem igualdade pontual (10) e um jogo a menos. Em caso de vitória, o Sporting somará 13 pontos e ficará sozinho no segundo lugar, relegando os ‘dragões’ para terceiro, e a dois pontos do líder Benfica.

“Temos de encarar esta partida como temos feito: sempre a pensar jogo a jogo. Não podemos pensar tanto na classificação, principalmente porque estamos ainda no início do campeonato. Espero uma equipa do Sporting igual ao que tem sido, sabendo que podemos melhorar a nossa classificação. Temos de ter essa ambição. Se podemos melhorar a nossa classificação, é isso que temos de fazer. Vamos fazer tudo para vencer o jogo”, garantiu.

Em relação à renovação de Matheus Nunes, que prolongou o vínculo com o Sporting até 2025 e ficou com uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros, Rúben Amorim mostrou-se satisfeito, mas distribuiu os louros em relação à evolução do jovem jogador.

“É sinal que os jogadores da formação do Sporting corresponderam à confiança que depositamos neles. Fico feliz por isso, mas este trabalho não é só desta equipa técnica, mas também das anteriores, porque nós estamos aqui há pouco tempo”, disse.

Diante do Gil Vicente, o treinador não levantou a ‘ponta do véu’ sobre quem irá jogar no meio-campo ou no ataque. Matheus Nunes continua a ser uma opção, à qual se junta agora, além de João Palhinha, o internacional português João Mário.

“João Mário está preparado para jogar no meio-campo ou na frente. É um jogador muito inteligente. Depende do jogo. Tem de haver vários jogadores para a mesma posição. Podem jogar os dois, mas o Palhinha tem características difíceis de encontrar. Matheus Nunes tem jogado sempre até hoje e o João Mário traz coisas que não há na equipa. Vamos ver daqui para frente quem vai jogar”, concluiu.

O Sporting, segundo classificado, com 10 pontos, em igualdade com o campeão FC Porto, recebe esta quarta-feira o Gil Vicente, 12.º, com cinco, os mesmos que Tondela, Paços de Ferreira e Belenenses SAD, em jogo em atraso da primeira jornada da I Liga, que será arbitrado pelo setubalense André Narciso.

Anúncio

Futebol

Famalicão de regresso às vitórias

I Liga

em

Foto: Arquivo

O Famalicão deu a volta ao resultado e venceu hoje o Marítimo, por 2-1, em jogo da sétima jornada da I Liga portuguesa de futebol, regressando aos triunfos no campeonato.

A joga fora, o Marítimo adiantou-se no marcador aos 12 minutos, com um golo de Joel Tagueu, mas a equipa do Famalicão deu a volta ao marcador ainda na primeira parte, com golos de Babic, aos 28, e Fernando Valenzuela, aos 32.

Com este triunfo, o Famalicão, que não vencia há quatro jogos no campeonato, está em oitavo lugar, com nove pontos, enquanto o Marítimo, que somou a quarta partida consecutiva sem vencer, é 14.º, com sete pontos.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Municipal de Famalicão, em Famalicão.

Famalicão – Marítimo, 2-1

Ao intervalo: 2-1

Marcadores:

0-1, Joel Tagueu, 12 minutos.

1-1, Babic, 28.

2-1, Valenzuela, 32.

Equipas:

– Famalicão: Vaná, Edwin Herrera, Diogo Queirós, Babic, Gil Dias, Gustavo Assunção, Iván Jaime (Bruno Jordão, 65), Joaquín Pereyra (Lukovic, 82), Valenzuela (Jhonata Robert, 69), Rúben Lameiras (Henrique Trevisan, 83) e Dyego Sousa (Marcello Trotta, 69).

(Suplentes: Zlobin, Dani Morer, Henrique Trevisan, Guga, Jhonata Robert, Leonardo Campaña, Lukovic, Marcello Trotta e Bruno Jordão)

Treinador: João Pedro Sousa.

– Marítimo: Amir, Cláudio Winck, Zainadine, Lucas Áfrico, China, Jean Irmer (Jean Cléber, 89), Bambock (René Santos, 46), Correa (Fumu Tamuzu, 46), Pelágio (Milson, 71), Joel Tagueu e Rodrigo Pinho (Alinpour, 79).

(Suplentes: Charles, Fumu Tamuzu, Edgar Costa, Diego Moreno, Jean Cléber, Milson, René Santos, Alipour e Marcelo Hermes).

Treinador: Lito Vidigal.

Árbitro: Luís Godinho (AF Évora).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Edwin Herrera (14), Bambock (31), Correa (40), Gil Dias (90+1) e Jhonata Robert (90+2).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

(em atualização)

Continuar a ler

Futebol

Jogo na Luz é dos mais difíceis do campeonato, mas Braga quer ganhar

I Liga

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

A deslocação ao reduto do Benfica, domingo, da sétima jornada da I Liga de futebol, é um dos jogos mais difíceis do campeonato, mas o SC  Braga quer ganhar, afirmou hoje o seu treinador, Carlos Carvalhal.

“Desde o início do campeonato que assumimos que íamos tentar vencer todos os jogos, ser competitivos em todos eles, e é isso que temos feito”, disse o técnico à televisão do clube, após o treino realizado na Cidade do Futebol, em Oeiras.

Carlos Carvalhal elogiou o Benfica, “um adversário de elevado nível, com um grande treinador, mas a expectativa é tentar vencer: temos muitíssimo respeito pelo Benfica, 100% de respeito, 0% de medo”, afirmou.

“Também temos uma grande equipa e estamos apostados em discutir o jogo, num dos mais difíceis jogos do campeonato. Os jogos na Luz [Benfica], Dragão [FC Porto] ou Alvalade [Sporting] são, teoricamente, os mais difíceis do campeonato seja em que circunstância for”, notou.

Os minhotos são terceiros no campeonato, a três pontos dos ‘encarnados’, mas chegam à Luz depois de uma derrota pesada em Inglaterra, diante do Leicester (4-0), a contar para a Liga Europa, na quinta-feira.

Carvalhal disse ter ficado contente com as estatísticas da partida e com os elogios do técnico adversário, Brendan Rodgers, ao Sporting de Braga.

A equipa minhota vai cumprir o sétimo jogo em três semanas e vai apresentar-se no Estádio da Luz com alguma baixas: por castigo David Carmo e Fransérgio (o médio brasileiro também está infetado com a covid-19) e por lesão Ricardo Horta.

“Vamos olhar para os nossos jogadores e ver os que estão mais aptos para corresponder. Sabemos que estamos num ciclo de jogos tremendo, tal como o Benfica. As pessoas não têm noção do que é gerir jogadores de alta competição a jogar de três em três dias de forma consecutiva”, disse.

O treinador faz um balanço positivo e quer “sair deste ciclo da melhor forma possível”, até porque, na sua opinião, o que os seus jogadores fizeram até agora “roça o brilhantismo”.

SC Braga, terceiro classificado, com 12 pontos, e Benfica, segundo, com 15, defrontam-se a partir das 20:00 de domingo, no Estádio da Luz, em Lisboa, jogo que será arbitrado por Artur Soares Dias, da associação do Porto.

Continuar a ler

Futebol

“O Braga é uma excelente equipa que disputa qualquer jogo em Portugal ou na Europa”

I Liga

em

Foto: SL Benfica

A defesa do Benfica ainda não está “aprumada” com as ideias do treinador, o que se explica com um “ano atípico” na linha recuada da equipa de futebol dos ‘encarnados’, assumiu hoje Jorge Jesus.

Numa análise ao setor recuado da sua equipa, que sofreu seis golos nos últimos dois encontros, com Boavista e Rangers, o técnico das ‘águias’ negou que os números provem que a equipa é “má a defender”, mas admitiu, em conferência de imprensa, no Seixal, que “não é aquilo que pensava que poderia ser”.

“As minhas equipas sofrem sempre poucos golos, mas este ano tem sido atípico, porque aquela linha de quatro, praticamente, esteve sempre a mudar. Lesionou-se o André [Almeida], saiu o Ruben [Dias], entrou um jogador hoje e depois outro central amanhã, porque o Gri[maldo] vem de uma lesão. E como também não tens tempo para treinar, só para recuperar, ela não está aprumada ainda com as minhas ideias”, reconheceu.

Por isso, Jesus reforçou que o trabalho defensivo da equipa tem sido feito, essencialmente, no plano teórico, mas rejeitou que o lado esquerdo seja o mais frágil, antes atribuindo a responsabilidade dos golos encaixados ao coletivo.

“Não é um Benfica mais frágil a defender pela esquerda do que pela direita. Foram situações de pormenor, não tem a ver com o setor, mas com a movimentação coletiva da equipa. É isso que tentámos passar, não o trabalhando na prática, mas teoricamente, falando com eles”, frisou o treinador.

Por outro lado, na véspera do sétimo jogo de uma série de partidas ao fim de semana e à quinta-feira, o técnico desvalorizou o cansaço acumulado, lembrando que “esse é um problema que só as boas equipas têm” e não teve dúvidas, mais uma vez, em incluir o adversário de domingo nesse lote.

Para avisar que “vai ser um jogo difícil”, Jesus lembrou que o Braga é “uma excelente equipa”, considerou que este é “um dos anos em que está mais perto dos três grandes” e desvalorizou a derrota (4-0) dos ‘arsenalistas’ na quinta-feira, frente ao Leicester, numa partida da Liga Europa em que fizeram descansar “quatro ou cinco jogadores para estarem ao melhor nível do Benfica”.

“O jogo que o Braga teve não vai ter consequências negativas. Aliás, os seus jogadores disseram logo que o mais importante era o Benfica e não esse jogo. Vamos jogar com um adversário forte, que está junto a nós na classificação, é uma das boas equipas, que disputa qualquer jogo, não só em Portugal como na Europa. O jogo vai ser de alta intensidade e de risco para as duas equipas”, preconizou Jorge Jesus.

O Benfica recebe o Braga no domingo, às 20:00, num encontro disputado à porta fechada, no Estádio da Luz, que encerra a sétima jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Uma vitória dos ‘encarnados’ aumenta para seis pontos a vantagem sobre o Sporting de Braga, mas um eventual desaire permitirá à equipa de Carlos Carvalhal igualar o Benfica no segundo lugar da tabela classificativa.

Continuar a ler

Populares