Seguir o O MINHO

I Liga

“Gil Vicente é o projeto mais difícil da minha carreira”

Vítor Oliveira diz que vai começar do zero

em

Foto: Divulgação / Gil Vicente FC

O treinador de futebol Vítor Oliveira disse hoje, em Matosinhos, que o Gil Vicente talvez seja “o projeto mais difícil” da sua carreira, pois vai começar “do zero e precisar, sensivelmente, de 20 jogadores”.

Vítor Oliveira falava à comunicação social no final da cerimónia pública em que foi agraciado pela autarquia local com a Medalha de Mérito Desportivo, uma distinção que o executivo municipal aprovou há uma semana, por unanimidade.

A presidente da Câmara matosinhense, Luísa Salgueiro, afirmou que o técnico sempre se manteve ligado ao concelho que o viu nascer há 65 anos, apesar de um percurso profissional de praticamente 35 anos como que o levou a trabalhar em diferentes pontos do país.

“É muito especial ser homenageado pela Câmara da minha terra e um motivo de orgulho. É um dia inesquecível”, disse Vítor Oliveira quando atendeu os jornalistas, ainda com a medalha presa à lapela direita do casaco que trazia vestido.

Questionado sobre se a homenagem vale mais do que uma subida de divisão, uma especialidade em que se notabilizou e que esta época conseguiu pela 11.ª primeira vez, agora ao serviço do Paços de Ferreira, o treinador retorquiu que “são coisas completamente diferentes”.

O treinador analisou depois o seu próximo projeto, o Gil Vicente, equipa que subiu diretamente do Campeonato de Portugal à I Liga, considerando-o “talvez o mais difícil” que lhe passou pelas mãos.

“O projeto do Gil Vicente vai começar do zero. Penso que é até inédito no futebol português, mas estamos a trabalhar, muito já, por forma a fazermos uma equipa que possa conseguir os nossos objetivos, que é, fundamentalmente, mantermo-nos na I Liga”, sublinhou.

O Gil Vicente, assinalou, “precisa sensivelmente de 20 jogadores”, algo que o técnico considera “praticamente inédito” em Portugal, mas que a credibilidade e o currículo do técnico poderão facilitar.

“Acredito que o meu nome poderá ajudar a que alguns jogadores possam aceitar esse desafio pesadíssimo que será manter o Gil Vicente na I Liga”, referiu Vítor Oliveira.

A tarefa não será fácil, porque “o mercado está caro neste momento, mas, daqui a três ou quatro semanas, irá estar substancialmente alterado”, pois, em sua opinião, “alguns jogadores começam a perder as primeiras possibilidades de ir para fora e de fazer grandes contratos e a cair na realidade”.

Nessa altura, o técnico acredita que “irão aparecer jogadores” para o desafiante projeto do clube de Barcelos, onde trabalhou nas épocas 2001/02 e 2002/03.

Vítor Oliveira explicou ainda que aquilo que o atraiu no Gil Vicente foi o “aliciante” de ser um projeto com um “grau de dificuldade elevado”, até porque, argumentou, “precisava de um desafio mais difícil” para se motivar.

O Gil Vicente, do Campeonato de Portugal, vai ser reintegrado na próxima época no principal escalão, em consequência do caso Mateus.

O clube de Barcelos foi despromovido à II Liga na época 2006/07, por alegada irregularidade na utilização de Mateus, avançado atualmente no Boavista, tendo a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciado a reintegração na I Liga em 12 de dezembro de 2017, na sequência de uma decisão do Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa, em 2016.

Anúncio

I Liga

FPF e DGS definem testar jogadores apenas 24 horas antes dos jogos da I Liga

Covid-19

em

Foto: Twitter de Vitória SC

Os futebolistas dos clubes da I Liga portuguesa vão realizar testes à covid-19 24 horas antes de cada jogo, confirmou hoje à Lusa fonte ligada ao processo.

O protocolo sanitário para a retoma do principal escalão do futebol nacional previa um rastreio ao novo coronavírus 48 horas antes dos jogos e outro o mais perto possível do arranque dos encontros, mas a equipa de especialistas da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e a Direção-Geral da Saúde (DGS) concordaram em testar os jogadores apenas 24 horas antes.

De acordo com a mesma fonte ligada ao processo, este agendamento dos testes justifica-se pelo curto intervalo temporal entre os jogos das 10 últimas jornadas da I Liga, que tem o seu reinício marcado para 03 de junho, com a receção do Portimonense ao Gil Vicente, e fim previsto para 26 de julho.

O reatamento do principal campeonato português de futebol consta no plano de desconfinamento do Governo face à pandemia de covid-19, que provocou o a suspensão, adiamento e cancelamento de praticamente todas as competições desportivas.

A Bundesliga foi reatada em 16 de maio, sem público e com fortes restrições, em Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal está previsto o reinício das competições, enquanto França, Bélgica, Escócia e dos Países Baixos cancelaram os campeonatos.

Continuar a ler

Futebol

Estádio do Rio Ave aprovado para receber jogos na retoma da I Liga

Covid-19

em

Foto: Divulgação / Rio Ave FC (Arquivo)

O Estádio do Rio Ave, em Vila do Conde, foi aprovado pela Direção-Geral da Saúde (DGS) para receber jogos na retoma da I Liga portuguesa de futebol, anunciou hoje a LPFP.

O organismo também confirmou aprovação do recinto do Desportivo das Aves, entretanto já divulgada pelo clube, elevando para 14 os estádios autorizados a receber desafios no regresso do campeonato, a partir de 03 de junho.

No caso do estádio dos vila-condenses, a aprovação surgiu após uma vistoria realizada esta manhã, pela Administração Regional de Saúde do Norte, que emitiu parecer favorável, após verificar as intervenções feitas pelo clube.

O Rio Ave procedeu ao aumento da área de um dos balneários para respeitar a distância de segurança de 4 metros quadrados por atleta, colocação de sinalética, instalação torneiras automáticas e à revisão do sistema de ventilação de todos os espaços.

“Sempre foi, desde o primeiro instante, intenção do Rio Ave jogar no seu estádio, pois tínhamos a certeza de que reunimos todas as condições para o trabalho diário como para toda a operacionalização nos dia de jogo, em condições de segurança, a todos os níveis, para atletas, treinadores, médicos e staff”, manifestou o clube vila-condense no seu site oficial, após receber a notícia da aprovação do recinto.

No caso do estádio do Desportivo das Aves, a aprovação já tinha sido anunciada pelo clube na sexta-feira, mas só hoje foi ratificada publicamente pela LPFP, que ressalvou, no entanto, que fica “impedida a utilização do sistema de ar condicionado na zona técnica”.

Além dos recintos do Rio Ave e Desportivo das Aves, foram já aprovados pela DGS o Estádio da Luz (Benfica), Estádio do Dragão (FC Porto), Estádio José Alvalade (Sporting), Estádio D. Afonso Henriques (Vitória SC), Estádio João Cardoso (Tondela), Estádio do Marítimo, Estádio Municipal de Braga, o Portimão Estádio, a Cidade do Futebol (FPF), o Estádio Capital do Móvel (Paços de Ferreira), Estádio Cidade de Barcelos (Gil Vicente) e o Estádio do Bessa (Boavista).

O Estádio do Bonfim (Vitória de Setúbal) ainda aguarda por nova inspeção para ser avaliado um conjunto de correções indicadas pela DGS como necessárias para aprovação do recinto.

No plano de desconfinamento face à pandemia de covid-19, o Governo autorizou a realização à porta fechada dos 90 jogos da I Liga, que deve será reatada a 3 de junho e é liderada pelo FC Porto, com um ponto de vantagem sobre o campeão Benfica, e da final da Taça de Portugal, entre ‘dragões’ e ‘águias’, tendo excluído a continuidade da II Liga.

Os campeonatos de França, Países Baixos, Bélgica e Escócia foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso gradual à competição, como Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, depois de a Liga alemã ter sido retomada

Continuar a ler

Futebol

“Temos 10 jogos e temos de os encarar como 10 ‘finais'”

Davidson, Vitória SC

em

O extremo Davidson, do Vitória SC, afirmou hoje que as derradeiras 10 jornadas da I Liga portuguesa de futebol são como 10 ‘finais’ para o clube minhoto, que deseja apurar-se para a Liga Europa da próxima época.

Após a interrupção anunciada em 12 de março, devido à pandemia de covid-19, o campeonato vai ser reatado em 03 de junho e decorrer até 26 de julho, com a equipa vitoriana, sexta classificada, com 37 pontos, a precisar de subir a um dos cinco primeiros lugares até ao final da época, para alcançar essa meta.

“Temos objetivos, lançados no início da época. Estávamos num momento muito bom, nas infelizmente aconteceu a paragem. Temos 10 jogos e temos de os encarar como 10 ‘finais’, para conseguirmos bons resultados e alcançarmos o apuramento para a Liga Europa”, realçou o jogador brasileiro, num vídeo divulgado pelos vimaranenses, na rede social Facebook.

O primeiro adversário nessa série de “finais” é o Sporting, num duelo da 25.ª jornada agendado para 04 de junho, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, e Davidson assumiu o objetivo de vencer uma equipa que ocupa o quarto lugar, com 42 pontos, e que vai “atacar o máximo possível” para “marcar golos e tentar a vitória”.

“Vai ser um jogo difícil e muito importante, mas jogamos em nossa casa, e é importante vencer em casa. Temos condições para vencê-los. Já mostrámos ter condições para bater-nos com todas as equipas da I Liga”, salientou.

À semelhança de todos os outros jogos da I Liga por disputar, o embate entre vitorianos e ‘leões’ vai realizar-se sem público nas bancadas, condição que, para o ala, de 29 anos, vai obrigar os atletas a estarem “ainda mais focados e concentrados”.

Autor de 10 golos em 37 jogos oficiais na época 2019/20, Davidson realçou que o plantel treinado por Ivo Vieira, face ao “regresso já próximo”, tem trabalhado para “voltar bem”, apesar de “não estar ainda a 100% fisicamente”.

O futebolista, que, em Portugal, representou também Sporting da Covilhã e Desportivo de Chaves, mostrou-se também satisfeito pelo regresso, na semana passada, aos treinos coletivos, situação que deixou de ser “normal” face ao surto do novo coronavírus.

“Estar ao lado dos colegas de equipa e poder treinar, trabalhar e desfrutar é muito bom. É muito bom voltar a fazer o que mais se gosta, mesmo com as restrições”, confessou.

Continuar a ler

Populares