Seguir o O MINHO

Futebol

Gil Vicente acaba campeonato com derrota que vale a permanência ao Boavista

I Liga

em

Foto: Gil Vicente FC

O Boavista venceu hoje por 2-1 na visita ao ‘tranquilo’ Gil Vicente, em jogo da 34.ª e última jornada da I Liga de futebol, e garantiu a permanência no escalão máximo do futebol português.

Em Barcelos, a equipa da casa adiantou-se no marcador aos 36 minutos, com Samuel Lino a aproveitar uma grande penalidade, mas o Boavista conseguiu chegar ao empate aos 56, através do avançado Yusupha.

Na segunda parte, Samuel Lino desperdiçou um novo castigo máximo a favor da equipa gilista, os 72 minutos, com Yusupha, avançado da Gâmbia, a dar a vantagem à equipa ‘axadrezada’ aos 88, também de grande penalidade, e a garantir a manutenção.

Com esta vitória, o Boavista está no 13.º lugar, com 36 pontos, e garante a permanência, enquanto o Gil Vicente é 11.º, com 39.

Numa partida muito emotiva e com várias incidências, Samuel Lino marcou primeiro para a equipa da casa, de grande penalidade (36 minutos), mas Yusupha, lançado em cima do intervalo para o lugar do lesionado Angel Gomes, ‘bisou’ na partida (56 e 88, de grande penalidade), tornando-se no ‘herói’ do jogo.

A equipa de Barcelos ainda falhou um segundo penálti – Samuel Lino atirou ao poste dessa vez (72), que colocaria os gilistas na frente, mas a crença e o querer dos boavisteiros, mais do que uma grande exibição, levaram a equipa de Jesualdo Ferreira à vitória.

O Gil Vicente terminou em 11.º lugar com 39 pontos, menos quatro que na época anterior (10.º), enquanto o Boavista somou 36 pontos, menos três que em 2019/20, o que lhe valeu a 13.ª posição (12.º na época anterior).

A tranquilidade do Gil Vicente, já sem objetivos para esta última jornada, fez-se notar durante muito tempo, sobretudo na primeira parte, em que Samuel Lino desperdiçou várias ocasiões para marcar (09, 11 e 17).

O Boavista foi crescendo e Rami (26) e Sauer (31) rondaram o golo, mas uma falta de Devenish sobre Samuel Lino permitiu ao avançado brasileiro inaugurar o marcador de penálti (36).

Angel Gomes lesionou-se em cima do intervalo, entrando para o seu lugar Yusupha, infelicidade que se revelaria, afinal, decisiva no resultado final.

Jesualdo Ferreira voltou a mexer ao intervalo, agora por opção, retirando o defesa Devenish e apostando no avançado Kuku Jr., mudando também do 3x5x2 para um 4x3x3, e passou a assumir as despesas do jogo, mas pertenceram ao Gil Vicente as duas primeiras ocasiões de perigo da segunda parte, com remates de Samuel Lino e Pedro Marques (46 e 51).

Contudo, seria a equipa do Bessa a chegar ao empate e pelo homem que o técnico ‘axadrezado’ lançou antes do intervalo: grande centro de Elis da direita e o avançado gambiano, em grande estilo, de cabeça, a fazer o golo dos portuenses (56).

Num lance semelhante, os mesmos protagonistas causaram perigo, mas desta vez o cabeceamento de Yusupha saiu à figura de Léo Jardim (67), mas logo a seguir uma falta de Rami sobre Pedro Marques, que passou despercebida a Fábio Veríssimo, mas não ao VAR, deu novo penálti à turma de Ricardo Soares.

Depois de ver as imagens, o árbitro de Leiria assinalou a grande penalidade, mas Samuel Lino atirou ao poste (72), motivando reação como se de um golo se tratasse no banco boavisteiro e na cerca de uma centena de adeptos das ‘panteras’, bem audíveis fora do estádio.

Aos 79 minutos, Yusupha desperdiçou uma grande ocasião para o Boavista atirando ao lado, no ‘coração’ da área, após passe de Cannon, mas aos 84 minutos Paulinho foi derrubado por Ruben Fernandes, penálti que o juiz da partida novamente só assinalou depois de visionar as imagens.

Yusupha marcou e bisou na partida (88), dando os três pontos que garantiam a permanência do Boavista na I Liga.

Ficha de jogo

Estádio Cidade de Barcelos.

Gil Vicente – Boavista, 1-2.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores:

1-0, Samuel Lino, 36 minutos (grande penalidade).

1-1, Yusupha, 56.

1-2, Yusupha, 88 (grande penalidade).

Equipas:

– Gil Vicente: Denis, Joel, Rodrigão, Ruben Fernandes, Talocha (Miullen, 89), Claude Gonçalves (Lucas Mineiro, 73), Pedrinho, Vítor Carvalho, Leautey (Lourency, 73), Samuel Lino (Kanya, 73) e Pedro Marques.

(Suplentes: Brian, Nogueira, Diogo Silva, Paulinho, Henrique Gomes, Lucas Mineiro, Kanya, Lourency e Miullen).

Treinador: Ricardo Soares.

– Boavista: Léo Jardim, Devenish (Kuku Fidelis, 46), Rami, Jackson Porozo, Cannon, Sauer (Javi Garcia, 76), Show (Nuno Santos, 90+6), Paulinho, Mangas, Angel Gomes (Yusupha, 45) e Elis.

(Suplentes: Bracali, Gomez, Javi Garcia, Nuno Santos, Yusupha, Hamache, De Santis, Kuku Jr., Morais).

Treinador: Jesualdo Ferreira.

Árbitro: Fábio Veríssimo (AF Leiria).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Claude Gonçalves (11), De Santis (80), Yusupha (89), Rúben Fernandes (90+3). Cartão vermelho para De Santis (80), Lucas Mineiro (90+3). Cartão amarelo para o treinador do Boavista, Jesualdo Ferreira (71).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Populares