Seguir o O MINHO

SC Braga

Crónica. “Futebol Feminino são 11 contra 11 e no fim ganha sempre o Sporting”

em

Foto: FPF

O Sporting revalidou hoje a Taça de Portugal de futebol feminino, ao vencer na final o SC Braga por 1-0, após prolongamento, juntando assim o troféu da prova ‘rainha’ ao campeonato e à Supertaça.

O golo da avançada Diana Silva, aos 104 minutos, foi suficiente para revalidar o título e atingir a marca dos 60 jogos consecutivos sem perder. Já as ‘arsenalistas’, continuam sem conseguir quebrar o poderio do futebol ‘leonino’, – seis desaires e apenas um empate nos confrontos diretos -, apesar de hoje terem sido melhores no Estádio Nacional, em Oeiras.

Na reedição da final do ano passado, as ‘guerreiras’ do Minho queriam evitar nova ‘dobradinha’ das ‘rivais’, depois de não terem conseguido impedir o bicampeonato. Contudo, e mesmo com o domínio inicial e da acutilância imposta no meio campo ‘leonino’, o Sporting, sempre que tinha espaço, acabava por ser mais perigoso.

Prova disso foi a primeira grande ocasião na baliza de Rute Costa, ainda dentro dos 10 minutos. Numa grande jogada individual, a internacional portuguesa Fátima Pinto deixou Diana Gomes colada ao relvado e assistiu Diana Silva, que rematou junto ao poste.

A verdade é que o 4x3x3 montado por Miguel Santos estava a dar mais resultados em termos práticos e ia conseguindo contrariar o ligeiro favoritismo das ‘leoas’. As bracarenses recuavam para a defesa somente para anular as escassas transições rápidas, que intercalavam com a boa construção e com as penetrações para chegar ao golo, pecando apenas no capítulo da finalização. A extremo Edite Fernandes e a avançada Laura Luís deram muito trabalho à defesa em vários momentos dos primeiros 45 minutos.

Do outro lado, Nuno Cristóvão era um homem preocupado e gesticulava bastante no banco de suplentes. Nem mesmo as boas investidas de Ana Borges na direita ou as individualidades das suas médios o deixavam mais tranquilo. Faltava mais astúcia e definição no ataque.

Tal como na primeira parte, as oportunidades iminentes de golo foram escassas, porém o ligeiro ascendente estava agora do lado das bicampeãs. A antiga jogadora do Chelsea Ana Borges continuava a ser a melhor ‘leoa’ e a entrada do ‘talismã’ da final do ano transato, Ana Capeta, fazia aumentar as expectativas.

Ainda assim, foi o SC Braga a ter tudo para colocar um ponto final na partida com alguma justiça, por duas vezes. Primeiro, foi a guardiã Patrícia Morais com a defesa da tarde ao cabeceamento de Sílvia Rebelo na cobrança de um canto. Minutos depois, foi Laura Luís, uma das melhores em campo, a atirar à malha lateral no frente e frente com Patrícia.

Antes do prolongamento, aos 82 minutos, o VAR participou pela primeira vez na final e de forma preponderante. Francisca Cardoso correspondeu bem ao cruzamento da direita e introduziu a bola dentro da baliza, no entanto, a árbitra Sílvia Domingos acabou por recuar ao assinalar fora de jogo com auxílio à nova tecnologia.

Nos 30 minutos que viriam a ser decisivos, Patrícia Morais continuava a evitar o que parecia inevitável, uma vez que as minhotas continuavam a carregar e sempre com mais qualidade, ainda que, sem capacidade para materializar.

Contudo, a sorte não estava do lado do SC Braga e foi a compatriota de Patrícia na seleção, Rute Marques, a contribuir de forma determinante para nova ‘dobradinha’ ‘verde branca’. Diana Silva viu bem o adiantamento da guarda-redes e do ‘meio da rua’ fez um ‘golaço’.

Desde que criou a sua equipa de futebol feminino, há dois anos, o SC Braga foi duas vezes vice-campeão nacional, duas vezes finalistas vencido da Taça de Portugal. Sempre atrás do Sporting. Ou seja, numa versão 2.0 da frase do antigo internacional inglês Gary Liniker: “Futebol feminino são 11 contra 11 e no fim ganha sempre o Sporting”.

Anúncio

SC Braga

À quarta ronda de testes, SC Braga continua livre da covid

Covid-19

em

Foto: Twitter de SC Braga

Os jogadores, equipa técnica e ‘staff’ do SC Braga foram novamente sujeitos a testes de rastreio à covid-19 cujos resultados foram todos negativos, revelou hoje o clube minhoto da I Liga de futebol.

Foi a quarta ronda de testes realizada pelos bracarenses no espaço de um mês e todos eles tiveram resultados negativos.

Antes do início da competição, os ‘arsenalistas’, tal como as restantes equipas, voltarão a ser testados.

Depois da folga de segunda-feira, o plantel voltou hoje aos treinos para preparar o jogo com o Santa Clara, da 25.ª jornada da I Liga, no dia 05 de junho (19:00), que terá lugar na Cidade do Futebol, em Oeiras.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

Os campeonatos de futebol de França, Escócia, Bélgica e dos Países Baixos foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso à competição, com fortes restrições, como sucede em Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que tem o reinício da I Liga previsto para 03 de junho. A Liga alemã foi retomada em 16 de maio.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 346 mil mortos e infetou mais de 5,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Quase 2,2 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.342 pessoas das 31.007 confirmadas como infetadas, e há 18.096 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

SC Braga

Guarda-redes Rute Costa deixa SC Braga após quatro épocas

Sem adiantar qual o próximo passo na carreira

em

Rute Costa. Foto: SC Braga

A futebolista internacional portuguesa Rute Costa, guarda-redes do campeão SC Braga, informou hoje que deixa as ‘arsenalistas’ após quatro épocas, sem adiantar qual o próximo passo na carreira.

“Fim de um ciclo! Não foram 4 meses, foram 4 anos… Quero agradecer a todas as jogadoras que passaram pelo SC Braga por contribuírem para o meu crescimento desportivo e pessoal”, escreveu a jogadora, de 25 anos, na rede social Facebook.

Rute Costa, que chegou ao SC Braga em 2016/17, na época de criação e estreia da equipa feminina, conquistou o campeonato em 2018/19 e a Supertaça em 2018, num currículo que conta ainda com uma Taça de Portugal com o Boavista, em 2012/13.

No comunicado, Rute Costa deixa ainda um agradecimento ao treinador de guarda-redes e aos adeptos do SC Braga, acrescentando estar “ansiosa por uma nova baliza, onde possa continuar a voar e sonhar”.

A guardiã tem duas internacionalizações em jogos particulares, tendo marcado presença no Europeu de 2017, na Holanda, na estreia de Portugal, competição em que foi suplente de Patrícia Morais, guarda-redes do Sporting.

Em abril, a Federação Portuguesa de Futebol decidiu cancelar as competições não profissionais, devido à pandemia da covid-19, entre as quais o campeonato feminino, então liderado por Benfica, com os mesmos pontos do Sporting.

Continuar a ler

SC Braga

SC Braga apresenta segunda fase da Cidade Desportiva

Futebol

em

Foto: SC Braga / Facebook

O SC Braga apresentou hoje, através de vídeo publicados nas suas redes sociais, o projeto da segunda fase da Cidade Desportiva, cujas obras deverão arrancar em maio.

A segunda fase da Cidade Desportiva contempla um pavilhão multiusos, com 1030 lugares, considerado pelo clube um “equipamento estratégico para o desenvolvimento de todas as modalidades indoor do clube e para a realização de saraus desportivos, culturais, exposições e outros evento”.

Outro destaque é “Estado Centenário”, com 2400 lugares, que tem aquele nome para homenagear “todos aqueles que durante estes cem anos contribuíram para este clube”.

Vai ter ainda área residencial com 49 quartos duplos, restaurante, ginásio e parque de estacionamento com 250 lugares, entre outras novidades.

Continuar a ler

Populares