Seguir o O MINHO

Alto Minho

Fundação da Bienal de Cerveira “completamente desiludida” com falta de apoio

Apoios da DGArtes

em

Foto: Divulgação

O presidente da Fundação Bienal de Arte de Cerveira (FBAC), Fernando Nogueira, disse, esta segunda-feira, estar “completamente desiludido” com a falta de apoio da Direção-Geral das Artes para 2020/2021, referindo que a decisão “prejudica a cultura e arte no Norte”.


“Estou completamente desiludido com esta decisão. O que devo dizer é que quem manda pode. Não sei se é uma decisão técnica ou política. Parece-me ser mais uma decisão política do que técnica, porque a candidatura da fundação estava bem sustentada. É uma decisão que prejudica os interesses da cultura e das artes no norte. Isso é uma constatação mais do que evidente”, afirmou Fernando Nogueira.

Contactado pela agência Lusa, a propósito dos resultados definitivos do Programa de Apoio Sustentado 2020-2021 que hoje começaram a ser divulgados pela DGArtes e que excluem a bienal mais antiga da Península Ibérica, o responsável reafirmou ser “estranho que os apoios fiquem circunscritos à região de Lisboa”.

“Este concurso foi a prova provada de que Lisboa continua a ter muito força e a sobrepor-se ao resto do país, em todas as áreas e então nas artes é mais do que evidente. O Governo tomou esta posição ou quem decidiu, mas em última instância, como é óbvio, é o Governo que tem responsabilidade pelo que aconteceu”, frisou.

Três entidades culturais, todas da Área Metropolitana de Lisboa, vão receber um total de 550 mil euros de apoio sustentado à criação, na área das Artes Visuais, para 2020-2021.

Os resultados definitivos do Programa de Apoio Sustentado 2020-2021 começaram hoje a ser divulgados pela DGArtes e, na área das Artes Visuais, confirmam os resultados provisórios anunciados em 11 de outubro.

Fernando Nogueira, que é também presidente da Câmara de Vila Nova de Cerveira, garantiu que a bienal irá realizar-se em 2020.

“Haverá, com toda a certeza, bienal de artes no próximo ano. Certamente num modelo mais mitigado, mas tudo faremos para manter a qualidade a que a bienal nos habituou nos últimos anos. Terá de ser a Câmara Municipal a fazer um esforço suplementar. Vamos ter de reduzir na dimensão do evento”, especificou.

A Bienal Internacional de Arte de Cerveira, a mais antiga da Península Ibérica, realiza-se desde 1978.

Em 2018, decorreu entre 15 de julho e 16 de setembro, e recebeu cem mil visitantes. A 20.ª edição apresentou mais de 600 obras, de 500 artistas de 35 países em 8.300 metros quadrados, num total de 14 espaços expositivos.

Fernando Nogueira adiantou que irá tentar reunir-se com a “tutela” para “tentar esclarecer os pontos de vista da fundação”, mas “sempre no respeito pelo diálogo e relacionamento institucional correto”.

Na área das Artes Visuais, garantiram apoio as candidaturas de Artes Plásticas da Título Apelativo Associação Cultural, responsável pelo projeto Kunsthalle Lissabon, que vai receber cerca de 129 mil euros, e a Xerem Associação Cultural, que tem o projeto Hangar: Arte, Educação e Investigação, com cerca de 283.500 euros.

A terceira entidade a ser contemplada, a CADA, com o projeto CADA 2020-2021, na área dos Novos Media, receberá cerca de 137.500 euros.

Consideradas elegíveis para apoio pelo júri, mas para as quais não há financiamento disponível estão as candidaturas LAC – Laboratório de Actividades Criativas Associação Cultural (Algarve), Artistas de Gaia Cooperativa Cultural (Norte), Fundação Bienal Arte de Cerveira (Norte), Ectopia – Arte Experimental Associação (Área Metropolitana de Lisboa) e Movimento de Expressão Fotográfica – Associação Fotográfica de Carnide (A.M.Lisboa).

Anúncio

Alto Minho

Quatro meios aéreos mobilizados para incêndio em Ponte de Lima

Vento tem sido maior dificuldade

em

Foto: Ângelo Reis

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima disse hoje terem sido acionados quatro meios aéreos pesados para apoiar os 141 operacionais que combatem o incêndio que deflagrou, na terça-feira, às 20:57, na freguesia de Fornelos.

“Já foram acionados quatro meios aéreos de combate ampliado. Quando começarem a atuar no teatro de operações contamos conseguir dominar as chamas nas próximas horas. O vento forte que se tem feito sentir tem sido a principal dificuldade dos bombeiros. O fogo é levado pelo vento o que dificulta o combate”, afirmou Carlos Lima.

Contactado pela agência Lusa, cerca das 08:30, o comandante disse que a “principal preocupação é proteger a zona industrial de Fornelos e Queijada”.

“Temos uma frente de fogo perto da zona industrial. Não há fábricas afetadas, mas a nossa preocupação é proteger as unidades fabris”, disse.

Carlos Lima adiantou que, durante a noite, “o fogo chegou a ter três frentes ativas que causaram alguma tensão junto de habitações, mas os operacionais no terreno conseguiram dominar as chamas”.

“Para já não há feridos nem danos materiais a registar. O fogo tem uma única frente, que arde em zona de eucaliptal e mato”, referiu.

No combate às chamas estão evolvidos 140 operacionais e 46 viaturas de várias corporações dos distritos de Viana do Castelo, Braga e Porto.

A secretária de Estado da Administração Interna alertou na terça-feira para “um cenário meteorológico muito complicado” nos próximos dias, com um potencial de ocorrências de incêndios florestais “difíceis de gerir” e que se podem tornar “quase catastróficos”.

Patrícia Gaspar avisou a população que junto aos espaços florestais “é completamente proibido o uso do fogo”.

Continuar a ler

Alto Minho

Colisão entre três viaturas faz um morto em Monção

Acidente

em

Foto: DR

Uma colisão entre três viaturas provocou um morto na Estrada Nacional 202, em Trovisco, Monção, confirmou O MINHO junto de fontes do CDOS e dos bombeiros.

A vítima mortal tinha 52 anos. O óbito foi confirmado no local pela equipa da VMER de Viana.

José Passos adiantou à Lusa que “a vítima mortal, condutor de uma das viaturas envolvidas no acidente, é natural do concelho de Monção”.

O acidente provocou ainda outros dois feridos ligeiros, ambos homens, um deles, com cerca de 50 anos, transportado para o Hospital de Viana pela SIV de Valença, e outro com cerca de 30 levado para a SUB – Unidade de Saúde Local de Monção pelos bombeiros locais.

O alerta para os bombeiros foi dado às 7:33.

Os Bombeiros de Monção prestaram socorro com 11 operacionais e três viaturas.

No local também estiveram a SIV Valença e a VMER de Viama, bem como a GNR, que registou a ocorrência.

Notícia atualizada às 09h58.

Continuar a ler

Alto Minho

Bombeiros evitam que chamas atinjam casa durante incêndio em Ponte de Lima

Incêndio florestal

em

Foto cedida a O MINHO

O grande incêndio que lavra na freguesia de Anais nesta terça-feira, dirigia-se a uma habitação, cerca das 23:40, mas a rápida intervenção dos bombeiros no terreno evitou o pior.

As chamas chegaram a aproximar-se de uma habitação situada na zona de Costeira, na rua do Covão, mas apenas ardeu zona de floresta depois de os bombeiros conseguirem dominar o fogo que seguia na direção de zona habitacional, junto ao Bom Jesus de Anais, não chegando a casa a estar em perigo.

As chamas deste incêndio que atravessou as freguesias de Fornelos (onde teve início) e Queijada, estão ainda longe de serem dominadas, face aos fortes ventos que se fazem sentir naquela zona montanhosa que divide os concelhos de Ponte de Lima e Vila Verde, já no distrito de Braga.

Fonte do CDOS de Viana indicou a O MINHO que estão, de momento, 83 operacionais apoiados por 26 viaturas vindas de corporações dos dois distritos minhotos no combate às chamas.

Incêndio em Ponte de Lima vai com várias frentes para Vila Verde mas sem ameaçar casas

Adiantou ainda que o incêndio permanece ativo e não está a ameaçar habitações.

Continuar a ler

Populares