Seguir o O MINHO

Guimarães

Funcionários do Multiusos de Guimarães com covid-19

Pandemia

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Há uma série de funcionários da Tempo Livre, entre eles alguns do Multiusos de Guimarães, infetados com covid-19.


Amadeu Portilha, o presidente da Tempo Livre, cooperativa que gere as instalações desportivas da Câmara de Guimarães, disse a O MINHO que “há vários funcionários infetados em todo o universo da Tempo Livre, inclusivamente alguns professores das AEC´s, que não se trata apenas do Pavilhão Multiusos”. Entre os funcionários infetados, há até alguns que já voltaram ao serviço.

O presidente da Tempo Livre faz questão de sublinhar que todos os casos tiveram origem em contatos fora das instalações do Multiusos. “Aquilo que aconteceu foram infeções no seio familiar, com filhos que foram infetados na escola, por exemplo”.

Multidão em Guimarães gera polémica: “Queriam que fosse medir a febre a cada um?”

Segundo Amadeu Portilha, nesta altura, há quatro funcionários do Multiusos infetados, um primeiro caso que foi infetado no meio familiar e que acabou por infetar mais três colegas com quem trabalha diretamente, antes de ter conhecimento da infeção.

O próprio Amadeu Portilha está, neste momento, em isolamento. O presidente da Tempo Livrem que já fez quatro testes, apesar de ter testado negativo, ficou em isolamento profilático, por trabalhar no mesmo piso que os infetados.

O presidente da Tempo Livre afirma que está a todo o momento a receber testes de funcionários e que, portanto, a situação é dinâmica. “Na segunda-feira algumas destas pessoas já regressam ao trabalho”, adiantou Amadeu Portilha.

Ainda segundo o mesmo responsável, apesar de as infeções e os isolamentos afetarem várias áreas da Tempo Livre, como a piscina – onde também há um infetado, nesta altura -, o normal funcionamento de todas as instalações e atividades da cooperativa não está posto em causa.

(notícia atualizada às 18h12 com alteração da foto de destaque, por potencialmente poder induzir em erro os nossos leitores)

Anúncio

Guimarães

Vice-presidente do PSD arrependido de ter estado nas Nicolinas em Guimarães

André Coelho Lima

em

Foto: Imagem SIC Notícias

Depois de imagens que circularam nas redes sociais mostrarem o vice-presidente do PSD, André Coelho Lima, no ajuntamento das Festas Nicolinas no domingo de manhã, o deputado de Guimarães afirmou à SIC Notícias que se arrepende de lá ter estado, mas salienta que se tratou de um acontecimento espontâneo.

André Coelho Lima considera que foi “um ato casual no qual todos [foram] surpreendidos” e diz ainda que “se veio a revelar imprudente” a sua presença ali.

O vice-presidente do PSD explicou que saiu de casa com os dois filhos e foram pela cidade, “desconhecendo absolutamente se haveria mais pessoas neste sítio ou menos pessoas naquele sítio”.

Ajuntamento no centro de Guimarães na manhã de arranque das Nicolinas

No entanto, admite: “Arrependo-me de ter lá estado, isso digo sem problema nenhum”.

André Coelho Lima diz também que a divulgação das imagens revela um aproveitamento político, que lamenta.

Questionado se considera que o que aconteceu em Guimarães representa um menor risco do que o congresso do PCP, cuja realização o PSD criticou, André Coelho Lima defende que as Festas Nicolinas não se realizaram.

“Se se realizassem as Festas Nicolinas, ou quaisquer outras festas (…), seria uma imprudência. Elas não se realizaram, nem se realizarão, aqui o que aconteceu é um ato absolutamente espontâneo e imprevisto. A festa em si, organizada, não existe foi cancelada, a comparação seria essa”, conclui.

Segundo os dados da DGS hoje revelados, Guimarães é o terceiro concelho do país com maior taxa de incidência cumulativa de novos casos de covid-19 (2.293 por cada 100 mil habitantes).

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães aplica verba da passagem de ano em vales para restauração e comércio

40 mil euros

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Câmara de Guimarães vai investir 40 mil euros, valor equivalente ao que ia ser gasto na festa de passagem de ano que não se irá realizar, em vales para incentivar o consumo em estabelecimentos comerciais e restaurantes do concelho. Os consumidores poderão usufruir de vales de 15 euros através de uma aplicação móvel criada para o efeito. O município também vai garantir que as compras serão entregues em casa dos utilizadores sem custos, o que representa um investimento de mais 40 mil euros. Em comunicado, a autarquia adianta que já se inscreveram mais de 100 estabelecimentos.

A medida será votada na próxima quinta-feira em reunião da Câmara.

Para beneficiarem dos vales, os consumidores têm de aceder ao “Quiosque Eletrónico”, uma plataforma digital que entra em funções já no início de dezembro e cuja aplicação poderá ser descarregada para os telemóveis através das lojas Google Play (Android) ou da Apple Store (iPhone).

Com esta solução, desenvolvida de raiz pelo Município de Guimarães nos últimos cinco meses, os consumidores poderão encontrar produtos de lojas locais e ementas de restaurantes de todo o concelho.

Depois de se registarem na plataforma “Proximcity”, nome dado a esta aplicação, os utilizadores terão acesso a “uma grande montra digital”, atualmente com mais de cem lojas aderentes.

Em comunicado, a autarquia explica que, durante os próximos três meses, ao efetuar compras no valor igual ou superior a 15 euros, seja no comércio tradicional, loja, ou restaurante do concelho de Guimarães que esteja registado no “Quiosque Eletrónico”, os primeiros 15 euros serão convertidos num vale que, por sua vez, será descontado na compra final, numa medida que visa apoiar o comércio, restauração e similares.

Os vouchers são de atribuição única e são concedidos por ordem de registo de cada utilizador/consumidor, nas compras que faça na plataforma digital.

O apoio da autarquia, salienta a Câmara, corresponde a um total de 40 mil euros em cupões, valor equivalente ao que iria ser gasto na festa de passagem de ano no Centro Histórico de Guimarães – que não será possível realizar-se em 2020 devido à pandemia.

“Este quiosque digital, disponibilizado pelo Município e dedicado ao Comércio e Restauração de Guimarães, vai dinamizar, modernizar, inovar e tentar corresponder às necessidades e dificuldades deste tempo de pandemia, do nosso comércio, restauração, cafés, pastelarias e similares. Os comerciantes têm de se registar nesta plataforma e os vimaranenses também! A partir daqui, cria-se um ponto de encontro onde será possível fazer compras seguras por via digital a todos que escolham consumir no território vimaranense”, afirma Domingos Bragança, presidente da Câmara, citado no comunicado.

Por igual período, a Câmara vai garantir que qualquer artigo adquirido através do Quiosque Eletrónico seja entregue gratuitamente no domicílio de cada consumidor, com residência no concelho.

O acordo resulta de uma parceria com a Associação Vimaranense de Hotelaria (AVH) e a Associação do Comércio Tradicional de Guimarães (ACTG).

Para este serviço de transporte, esclarece o município, foi estabelecida a atribuição de mais um outro apoio financeiro até 40 mil euros, que será pago mediante a apresentação de relatórios onde constam os serviços de transporte prestados, designadamente, a data, número, valor da fatura do produto/serviço do estabelecimento comercial, montante da fatura do serviço de transporte, bem como o registo digital do pedido que o consumidor efetuou no Quiosque Eletrónico.

Continuar a ler

Guimarães

Exposição revisita 15 anos de arte no Palácio Vila Flor em Guimarães

Cultura

em

Foto: DR / Arquivo

O Palácio Vila Flor, em Guimarães, inaugura na sexta-feira uma mostra coletiva de obras de todos os artistas que ali expuseram nos últimos 15 anos, anunciaram hoje os serviços culturais do município.

Em comunicado, A Oficina, responsável pela gestão dos equipamentos culturais de Guimarães, sublinha que a exposição será “uma oportunidade rara” para “percecionar transversalmente aquilo que foi a dinâmica e singularidade programática” do Palácio Vila Flor, no contexto das artes plásticas e visuais.

Denominada “Palácio”, a mostra, distribuída por cerca de 850 metros quadrados e dois pisos, poderá ser visitada até 06 de março de 2021.

Alexandre Estrela, Adelina Lopes, André Cepeda, André Príncipe, António Júlio Duarte, António Olaio, Arlindo Silva, Daniel Blaufuks, Gabriela Albergaria, Gabriel Abrantes, Fernando Calhau, Fernando Brito, Hugo Canoilas, João Queiroz, José Almeida Pereira e José Loureiro são alguns dos artistas representados.

Há ainda para ver trabalhos de Manuel Caeiro, Paulo Mendes, Patrícia Almeida, Pedro Cabral Santo, Pedro Portugal, Pedro Sousa Vieira, Pedro Tudela, Sonoscopia, O Bergado, Salão Olímpico com Carla Filipe, Isabel Ribeiro, Renato Ferrão e Eduardo Matos.

A mostra contará também com obras saídas do Guimarães – Arte Contemporânea 2011 e do Laboratório das Artes – 10 Anos.

A exposição reúne, assim, obras da coleção d’A Oficina e obras mais antigas e recentes selecionadas pelos artistas.

Nos dias 19 de dezembro e 27 de fevereiro, haverá visitas orientadas à exposição, com duração aproximada de uma hora e limitadas a um máximo de sete participantes.

Disponíveis pelo valor de dois euros, as visitas decorrerão mediante inscrição prévia.

O Palácio Vila Flor é o espaço expositivo do Centro Cultural Vila Flor.

Continuar a ler

Populares