Seguir o O MINHO

Futebol

FPF venceu todos os processos nos tribunais superiores sobre infrações de adeptos

Justiça

em

Foto: Twitter de FC Porto

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) venceu todos os 17 processos que chegaram aos tribunais superiores relacionados com infrações cometidas por adeptos, a esmagadora maioria do FC Porto, segundo um levantamento a que a Lusa teve hoje acesso.


As mais recentes vitórias da FPF foram tornadas públicas na segunda-feira, apesar de as decisões do Supremo Tribunal Administrativo (STA) terem sido tomadas em 07 de maio, com a confirmação das multas aplicadas pelo Conselho de Disciplina da FPF a Benfica e FC Porto, por comportamento incorreto de adeptos.

O clube lisboeta foi condenado ao pagamento de uma multa de 18.630 euros, devido a um petardo lançado por adeptos durante o jogo com o Feirense, da época 2017/18 da I Liga, enquanto o portuense foi multado em 32 mil euros, em consequência do comportamento dos adeptos em quatro jogos do campeonato e da Taça da Liga de 2016/17.

O FC Porto é responsável por 15 dos 17 recursos que subiram aos tribunais superiores, depois de esgotado percurso na esfera da justiça desportiva e nas instâncias inferiores, durante o atual mandato de Fernando Gomes na presidência da FPF, para a qual foi reeleito em 2016.

Dos restantes clubes da I Liga, o Benfica conheceu a recente decisão desfavorável emitida pelo STA, tal como aconteceu com o Sporting de Braga num processo decidido em março de 2019 pelo Tribunal Central Administrativo, uma vez que o Supremo não admitiu a revista.

Anúncio

Futebol

SC Braga procura consolidar terceiro lugar frente ao Santa Clara

I Liga

em

Foto: DR

O SC Braga vai procurar aumentar a vantagem sobre o Sporting na visita ao Santa Clara, em jogo que se disputa na Cidade do Futebol, em Oeiras, da 25.ª jornada da I Liga de futebol.


Depois do empate do Sporting em Guimarães (2-2), o SC Braga, terceiro com 46 pontos, vai procurar aumentar a vantagem sobre os ‘leões’, que estão em quarto, com 43.

Os ‘arsenalistas’, que não perdem há 10 jogos (nove vitórias e um empate), vão defrontar o Santa Clara, que não venceu nos três últimos jogos e é 10.º com 30 pontos, em partida agendada para as 19:00, na Cidade do Futebol, que vai ser a casa da equipa açoriana devido à pandemia de covid-19.

No outro jogo do dia, o Desportivo das Aves, último classificado com 13 pontos, vai receber o Belenenses SAD, que é 14.º com 26 pontos.

Todos os encontros da I Liga são jogados à porta fechada, para impedir a propagação da covid-19, por indicação da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Programa e resultados da 25.ª jornada:

– Quarta-feira, 3 jun:

Portimonense – Gil Vicente, 1-0 (0-0 ao intervalo)

Famalicão – FC Porto, 2-1 (0-0)

– Quinta-feira, 4 jun:

Marítimo – Vitória de Setúbal, 1-1 (1-0)

Benfica – Tondela, 0-0

Vitória de Guimarães – Sporting, 2-2 (1-1)

– Sexta-feira, 5 jun:

Santa Clara – Sporting de Braga, 19:00 (Cidade do Futebol)

Desportivo das Aves – Belenenses SAD, 21:15

– Sábado, 6 jun:

Boavista – Moreirense, 21:15

– Domingo, 7 jun:

Rio Ave – Paços de Ferreira, 21:00

Continuar a ler

Futebol

Autocarro do Benfica apedrejado. Dois jogadores transportados ao hospital

Após empate em casa com o Tondela (0-0)

em

Foto: Imagens A BOLA

O autocarro que transportava a equipa de futebol do Benfica foi atingido, na noite de quinta-feira, com “uma pedrada” quando estava a caminho do centro de estágio do clube, no Seixal, confirmou à agência Lusa a PSP.


“Uma pedrada atingiu o autocarro” quando regressa ao centro de estágio no Seixal, distrito de Setúbal, depois do empate com o Tondela (0-0), no Estádio da Luz, em Lisboa, disse o porta-voz da Direção Nacional da PSP, intendente Nuno Carocha.

A notícia foi avançada pelo Correio da Manhã, que também dá conta de que os jogadores das ‘águias’ Zivkovic e Weigl foram transportados a uma unidade hospitalar em Lisboa.

Continuar a ler

Futebol

“Jogadores treinavam em casa e passavam a bola da sala para a varanda”

25.ª jornada da I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações dos treinadores após o jogo Vitória SC – Sporting (2-2), da 25.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado em Guimarães:


Ivo Vieira (treinador do Vitória SC): “Não foi o que eu estava à espera, mas estava preparado para momentos em que não houvesse tanta qualidade, após uma paragem de quase 90 dias. Gostei de ambas as equipas na intensidade de jogo, principalmente do Vitória. Estava preparado para que, a partir dos 65 ou 70 minutos, o ritmo pudesse quebrar. Quebrou um pouco. Acabou por ser um jogo com quatro golos. Os jogadores tiveram um comportamento muito bom. Julgo que, ao terceiro ou ao quarto jogo [após o regresso do campeonato], podemos presenciar espetáculos de mais qualidade.

Estou convicto de que temos todas as condições para atingirmos esse objetivo [um dos cinco primeiros lugares]. Temos de ter em conta os que estão à frente na luta, mas estamos aqui a falar de três ou quatro pontos. O Famalicão somou três pontos, num jogo extremamente difícil, contra o primeiro classificado [FC Porto]. Nós jogamos contra o Sporting, com um novo treinador e um novo sistema [de jogo]. Estávamos preparados para um momento de dificuldade. O Rúben [Amorim] vinha a fazer um trabalho excecional no clube anterior e quer implementar essas ideias no Sporting. Hoje, cometeram-se alguns erros mais suscetíveis a acontecer numa pré-época. Isso é normal, porque tivemos pouco tempo de trabalho de grupo. Vamos melhorando com o tempo, até a nível de tomada de decisão.

[Os erros cometidos pelos guarda-redes] têm a ver com o momento. Houve muitos erros de passe e de tomadas de decisão. Obviamente, quando os jogadores treinavam em casa e passavam a bola da sala para a varanda, com o risco de ela sair do prédio, não era fácil. Eles precisam de tempo e de rotinas. Estamos a falar de 15 dias em que começámos a trabalhar em grupo. Tivemos quase uma paragem de três meses. As rotinas falham de forma natural. Mas acredito muito neste processo de jogo. Do outro lado, temos um treinador com as mesmas ideias. Tivemos um jogo muito positivo, com duas equipas a quererem ganhar o jogo.

Eu fico muito satisfeito [com o rendimento do João Carlos Teixeira e do Marcus Edwards, os autores dos golos], mas quem tem de ter orgulho são os jogadores. O resultado do jogo vem do desempenho dos jogadores no treino”.

Deixo um reparo, porque, na ‘flash interview’, disse que queria dedicar a vitória aos nossos adeptos, mas o jogo acabou com um empate. Não é a mesma coisa [jogos de futebol sem público]. Independentemente do resultado, a minha opinião não iria ser alterada. Não pudemos proporcionar um espetáculo àqueles que são a essência do jogo, os adeptos. Poderíamos ter tido um grande jogo, com adeptos. Poderíamos ter tido um 4-4 ou um 4-3″.

 

Rúben Amorim (treinador do Sporting): “Foi um bom jogo, um pouco estranho. O Sporting chegou à vantagem, quando não merecia, mas isso ajudou-nos a assentar o jogo. A partir daí, os jogadores começaram a ficar com a bola e a empurrar o [Vitória de] Guimarães para a zona defensiva deles. Depois, sofremos um golo que aconteceu quando se arrisca na construção [de jogo]. Depois, voltamos a marcar numa boa jogada. Um remate que ia para fora, sobrou para um jogador do Vitória e deu o 2-2. Estamos longe do nosso melhor e o Vitória longe do melhor deles.

O jogo teve muitas oportunidades, porque foi partido. Os jogadores tiveram dificuldades em recuperar. Apostámos nisso e tivemos oportunidades, mas decidimos mal em muitas ocasiões. Gostei da minha equipa e do Vitória de Guimarães. A nossa ideia começa a estar lá.

[O Eduardo Quaresma e o Matheus Nunes] estiveram muito bem [na estreia absoluta pelo Sporting]. O Matheus sentiu um pouco mais [a estreia], porque enfrentou três jogadores no meio. O Quaresma sentiu-se mais tranquilo, porque já jogou a central e a lateral-direito. Todos os jogadores deram o máximo e agora é continuar.

Pensei colocar o Cris [Borja], porque senti que o Acuña estava bastante cansado. O Vitória tinha menos um jogador. Pus o Pedro Mendes a aquecer, mas senti que os centrais [do Vitória] estavam a tremer mais com as arrancadas do Jovane e do Plata. Pensei que entraríamos melhor na área no ‘um para um’ pelas alas, porque os laterais estavam cansados, do que com cruzamentos para a área, quando os centrais são fortes no confronto direto e sofrem na velocidade.

Houve lesões que, se calhar, não contávamos [para este jogo]. O Mattheus Oliveira [que voltou ao banco] tem estado bem nos treinos. É uma mensagem para todos acreditarem que, com trabalho, é sempre possível. O Mattheus Oliveira também conhecia a casa [jogou no Vitória de Guimarães]. Escolhi os melhores.

Ainda vamos a tempo [de ter adeptos no estádio nesta época]. O Governo tem adaptado as decisões consoante os resultados [da pandemia] ao longo do tempo. Os adeptos têm de voltar.

Na semana antes de terminar o campeonato [24.ª jornada], o Porto empatou, o Benfica empatou e nós ganhámos. Isto é uma prova que as outras equipas, mesmo as pequenas, preparam bem os jogos. Todas as equipas vão melhorar. Vamos ter alguns jogos assim. Daqui a cinco jornadas, vamos estar no ponto”.

Continuar a ler

Populares