Seguir o O MINHO

Alto Minho

Fotógrafo Amândio Vieira homenageado em mural da “exposição mais extensa do mundo” em Ponte de Lima

Irmãos Baraça, em Barcelos, e Joaquim Sousa, em Paredes de Coura, também são retratados

em

Foto: DR

O fótografo Amândio de Sousa Vieira tem um mural em sua homenagem em Ponte de Lima no âmbito da exposição de arte “As Estrelas do Caminho”, com um total de 370 quilómetros, que liga o Caminho Francês de Santiago de Compostela ao Caminho Português.

Amândio de Sousa Vieira decidiu enveredar pelo mundo da imagem após regressar do serviço militar cumprido em África e descobrir a magia do instante que guardava e preservava para sempre a beleza do seu povo e das suas gentes.

No território do Minho, a exposição contempla igualmente murais em Barcelos e Paredes de Coura.

Em Barcelos, na freguesia de Vila Boa, são homenageados os irmãos Baraça, Moisés e Vítor, artesãos do figurado barcelense que mantêm uma tradição de família iniciada pela sua avó, Ana Baraça, no século XX.

Irmãos Baraça. Foto: DR

Em Paredes de Coura, a personagem homenageada é Joaquim Sá, atleta e bombeiro voluntário que foi campeão da Europa na categoria sénior de atletismo aos 73 anos.

Joaquim Sousa. Foto: DR

Esta exposição, considerada a “mais extensa do mundo”, é composta por nove murais que atravessam o Caminho de Santiago de Compostela, sublinha a organizadora do evento, a Estrella Galicia, em comunicado.

Os nove murais do Caminho Português de Santiago de Compostela atravessam 230 quilómetros e retratam as personagens locais “com histórias de superação vincadas à terra e ao Caminho de Santiago”.

Os murais foram desenvolvidos pela artista galega Lula Goce e pelo artista português Daniel Eime, em nove localidades: Padrón, Caldas de Reis, Pontevedra, O Porriño, Tui, em Espanha, e Rubiães, Ponte de Lima, Barcelos e Matosinhos, em Portugal.

Junto de cada mural está um QR Code para conhecer melhor as histórias por detrás de “As Estrelas do Caminho“.

O diálogo é o fio condutor destas obras de Lula Goce e Daniel Eime, que foram alternando a autoria dos murais ao longo do itinerário, estabelecendo uma conversa e intercâmbio cultural com os protagonistas e as regiões.

Cada mural representa “um protagonista local com uma história de luta pessoal que reflete o seu vínculo à sua terra ou ao Caminho. São artistas, artesãos ou atletas que encarnam o espírito do peregrino, com valores como a superação e a irmandade”.

EM FOCO

Populares