Seguir o O MINHO

Alto Minho

Força Aérea desmente associação de bombeiros sobre resgate em Ponte da Barca

Polémica

em

Foto: DR / Arquivo

A Força Aérea Portuguesa repudiou hoje um comunicado divulgado pela Fénix – Associação de Bombeiros e Agentes de Proteção Civil, e noticiado por O MINHO, relativamente a uma ocorrência de resgate registada no passado dia 09 de junho em Cidadelhe, concelho de Ponte da Barca.


A associação de bombeiros apelidava a ação do helicóptero AW119MKII “Koala”, da Esquadra 552 – “Zangões”, da Força Aérea Portuguesa como “deficiente”, dando conta de uma alegada impreparação dos militares para resgates em terrenos acidentados.

Todavia, a Força Aérea contraria o que a associação comunicou, lamentando que se levantem “dúvidas sobre a competência da Força Aérea e dos seus militares, que não podem ser aceites”.

“Mais se esclarece que no dia 09 de junho [e não 06, como indicou a Fénix], um helicóptero AW119MKII “Koala”, da Esquadra 552 – “Zangões”, descolou do Aeródromo de Manobra N.º 1, em Ovar, pelas 20:00, em direção a uma ravina situada no lugar de Cidadelhe, em Lindoso, Ponte da Barca, para resgate de um homem, após solicitação de empenhamento de meio aéreo pela ANEPC. A vítima foi resgatada com sucesso tendo sido encaminhada para uma ambulância, que se encontrava perto do local e a transportou para o Hospital de Viana do Castelo”.

A Força Aérea desmente também que a publicação sobre o resgate tenha sido retirada das redes sociais daquela instituição militar, conforme acusou a associação de bombeiros.

O MINHO falou com José Freitas, comandante dos Bombeiros de Ponte da Barca, que coordenou a ação de resgate, com este a assegurar que a ação do meio aéreo no resgate foi “de excelência”.

“O helicóptero resgatou a vítima de um local escarpado de difícil acesso e levou-o até junto da ambulância onde foi feita a avaliação”, disse o responsável, negando as acusações da Fénix.

“Todo o trabalho efetuado naquele resgate foi impecável, desde a coordenação entre INEM, CODU, CDOS, comando e operacionais dos Bombeiros de Ponte da Barca e de Arcos de Valdevez”, garantiu José Freitas, não entendendo o referido no comunicado daquela associação de bombeiros.

Todavia, a Fénix partilhou o vídeo do resgate [ver aqui], obtida através de imagens amadoras, indicando que não será aquele o procedimento médico adequado para um resgate.

“Tudo o que não se deve fazer, em Emergência Médica Pré-Hospitalar / SAR”, escreve a associação nas redes sociais, oferecendo os seus serviços para “colaborar” com “as entidades competentes”.

O comandante, por sua vez, assevera que, dadas as condições, aquele terá sido o procedimento indicado e que foi realizado “de forma excelente”.

“No que diz respeito à ocorrência em Cidadelhe, da nossa área, correu tudo muito bem”, vincou o comandante, contrariando ainda o parecer consultivo da Fenix que indicava “fraturas” na vítima, quando esta teria apenas “suspeita de uma fratura num membro inferior”.

Anúncio

Alto Minho

Família desalojada após incêndio em apartamento em Ponte da Barca

Danos materiais

em

Foto: Rádio Barca FM

Um incêndio deflagrou num apartamento no Bairro Social Agrelos, em Ponte da Barca, deixando uma família desalojada.

As chamas destruíram “um quarto, mas a casa está inabitável por causa dos fumos, teve muitos danos, e também por causa da temperatura [elevada]”, explicou a O MINHO José Freitas, comandante dos Bombeiros de Ponte da Barca, que extinguiram o fogo.

“Vai ser feita agora uma avaliação por parte dos técnicos da Câmara Municipal”, adiantou o comandante.

O fogo deflagrou numa altura em que não havia pessoas, pelo que não houve feridos.

A família, composta três elementos, ficou desalojada, estando a Câmara a tratar do local para a realojar.

A GNR está a apurar as causas do incêndio que, para já, permanecem desconhecidas.

O alerta foi dado às 11:17.

Para o local foram mobilizados 11 operacionais apoiados por três viaturas.

Continuar a ler

Alto Minho

Melgaço estreou cinema drive-in e foi sucesso

Cinema

em

Foto: Divulgação / CM Melgaço

Melgaço estreou este sábado a primeira sessão de cinema drive-in no Largo do Mercado, revelando-se um verdadeiro sucesso. Mais de 20 viaturas marcaram presença para assistir à película francesa “Há Festa na Aldeia”, realizada em 1949, mostrando que não só o modelo como também o filme em exibição nunca passam de moda.

Este domingo decorre, a partir das 22:00, a exibição de outro filme com algumas décadas, neste caso de 1989: Cinema Paraíso, de Giuseppe Tornatore, e adivinha-se novo sucesso no número de utentes.

A ciclo de drive-in em Melgaço encerra na segunda-feira com a exibição do filme “Até para o Ano”, de Philippe Machado.

Numa nota publicada nas redes sociais, o município recorda ainda o video mapping na Torre de Menagem, marcado para esta noite.

.As sessões de cinema drive-in têm inscrições obrigatórias e o limite de viaturas é 37, podendo os interessados inscrever-se na Loja do Turismo ou através do email: [email protected]

Continuar a ler

Alto Minho

Antigo posto fiscal de Cerveira vai ser recuperado para exploração turística

Património

em

Foto: Divulgação / Turismo de Portugal

O antigo posto fiscal da Carvalha, em Vila Nova de Cerveira, é um dos 16 imóveis do estado que vão ser alvo de requalificação para efeitos de exploração para turismo, seja por parte de uma entidade pública ou privada, foi hoje anunciado.

O imóvel é um dos quatro do distrito de Viana do Castelo (e de todo o Minho) incluídos no fundo Revive Natura, a cargo do Turismo de Portugal e do Governo.

Foto: Divulgação / Turismo de Portugal

Foto: Divulgação / Turismo de Portugal

Após concurso público, o fundo irá atribuir os direitos sobre estes imóveis às entidades vencedoras para requalificação e exploração para fins turísticos, de forma a “gerar impacto económico na localidade ou região onde se encontram”.

Por entre os critérios está patente que a exploração seja realizada por entidades com sede ou residência nos concelhos em que se localizam os imóveis e, caso não seja possível, nos concelhos contíguos.

É ainda definido que os empregos a serem gerados devem ser atribuídos a locais, sem descurar as características sociais, ambientais e inovadoras.

Deve ainda ser integrada a oferta de produtos e experiências nos territórios onde se inserem, gerando “impacto positivo nas localidades”.

Para além do posto fiscal de Cerveira, também estão integrados no projeto o antigo posto fiscal da Foz do Lima, antigo posto fiscal de Viana do Castelo e antigo posto fiscal da Amorosa, todos no concelho de Viana do Castelo.

Continuar a ler

Populares