Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Foca resgatada com vida em Viana

Em Areosa

em

Foto: Divulgação / Autoridade Marítima Nacional

Uma foca foi assistida e resgatada pelas autoridades na costa da freguesia de Areosa, em Viana do Castelo, onde o animal estava arrojado, foi hoje anunciado.

A foca deu à costa na orla marítima da praia do Porto de Vinha, junto ao campo de futebol do Areosense.

Terá sido encontrada por populares que deram o alerta para a autoridade marítima local, no caso, o comando da Polícia Marítima de Viana do Castelo, que assinalou a ocorrência.

A Polícia Marítima delimitou o espaço onde a foca se encontrava, desconhecendo-se as causas que levaram ao arrojo da mesma.

De forma a prestar a assistência ao mamífero aquático, deslocaram-se para o local elementos vindos do Centro de Reabilitação de Animais Marinhos (CRAM), situado em Quiaios, distrito de Aveiro, e do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

Depois de estabilizado e assistido, o animal foi transportado para Quiaios por elementos do CRAM, para posteriormente ser devolvido ao seu habitat.

O arrojo da foca ocorreu a 13 de fevereiro, mas só hoje foi divulgado pela Autoridade Marítima Nacional.

Anúncio

Alto Minho

Presidente da Câmara de Viana doa salário para ajudar sem-abrigo e pobres

Covid-19

em

Foto: Divulgação / Arquivo

O presidente da Câmara de Viana do Castelo disse hoje que vai dar o seu salário de abril, de 2.500 euros líquidos, ao refeitório da paróquia de Nossa Senhora de Fátima, que serve diariamente cerca de 200 refeições.

No comunicado enviado às redações a informar da decisão de entregar o vencimento deste mês, o socialista José Maria Costa destaca “o trabalho do refeitório social do Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora de Fátima, liderado pelo pároco Artur Coutinho, que serve diariamente cidadãos sem-abrigo e com extrema fragilidade económica”.

Em março, por proposta da maioria socialista, o executivo municipal aprovou, por unanimidade, “um apoio extraordinário de 20 mil euros” a esta instituição particular de solidariedade social, “cujo refeitório social está a servir cerca de 200 refeições por dia”.

Esta valência do Centro Social e Paroquial foi criada em 1990, inicialmente num espaço com capacidade para servir 36 utentes, que ali recorrem para ir buscar o almoço ou o jantar.

As novas instalações, num investimento de cerca de 250 mil euros, construídas com verbas do Centro Social da paróquia e com apoio da autarquia e do Centro Distrital da Segurança Social, abriram em agosto 2019, para responder ao aumento do número utentes que a antiga estrutura não tinha capacidade.

A paróquia de Nossa Senhora de Fátima, com outras valências de apoio social à infância, juventude e terceira idade, foi fundada 08 de dezembro de 1967, e o Centro Social surgiu em 1982. Tem atualmente cerca de 60 trabalhadores.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 94 mil.

Dos casos de infeção, mais de 316 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 409 mortes, mais 29 do que na véspera (+7,6%), e 13.956 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 815 em relação a quarta-feira (+6,2%).

Dos infetados, 1.173 estão internados, 241 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 205 doentes que já recuperaram.

 

Notícia atualizada às 23h19 com mais informação.

Continuar a ler

Alto Minho

Covid-19: Confirmada primeira morte de utente em lar da misericórdia de Viana

Coronavírus

em

Foto: DR / Arquivo

A comissão municipal da Proteção Civil de Viana do Castelo confirmou a morte, hoje, de um dos dois utentes do lar de Santiago pertencente à Misericórdia local infetados pelo novo coronavírus.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a comissão municipal, que hoje se reuniu para analisar a situação para analisar os últimos dados dos registos covid-19 no concelho, adiantou que “a Autoridade de Saúde, em articulação com a direção do lar e a Segurança Social, já efetuou o rastreio de todos os utentes da instituição e dos respetivos funcionários e colaboradores, tendo também sido tomadas internamente as medidas de confinamento e de prevenção adequadas”.

“Face à dificuldade de recursos humanos no âmbito dos serviços de apoio da instituição, foi ativado o protocolo da bolsa de recursos humanos, estando em fase de admissão voluntários para suprir as necessidades atuais”, acrescenta.

Na nota, aquela entidade especifica que a Santa Casa da Misericórdia de Viana do Castelo “está também a realocar recursos de outras valências para a unidade do Lar de Santiago”.

“O município de Viana do Castelo, a partir de hoje, vai fornecer as refeições a esta Instituição durante o período em que existirem dificuldades dos recursos humanos do Lar de Santiago. A direção da Segurança Social de Viana do Castelo vai também fornecer equipamentos de proteção individual ao Lar de Santiago, medida que vai ser ampliada a outras instituições de acolhimento residencial de idosos”, refere o comunicado.

Além da situação no lar de Santiago, um dos dois pertencentes à Santa Casa da Misericórdia de Viana do Castelo, que acolhe 53 idosos, “foram analisadas as situações do centro social de promoção cultural de Darque”, o primeiro do concelho a confirmar casos de infeção por covid-19.

A nota não especifica o número atual de utentes infetados de caso detetados.

Na reunião da comissão municipal da Proteção Civil de Viana do Castelo, marcaram presença o presidente da Câmara, a vereadora da Coesão Social, o Comandante Operacional Distrital da Proteção Civil, a Autoridade de Saúde de Viana do Castelo, a diretora distrital da Segurança Social, o Presidente da Unidade Local Saúde Alto Minho (ULSAM), estando também presente a Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Viana do Castelo.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 89 mil.

Dos casos de infeção, mais de 312 mil são considerados curados.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 409 mortes, mais 29 do que na véspera (+7,6%), e 13.956 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 815 em relação a quarta-feira (+6,2%).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril, depois do prolongamento aprovado no dia 02 de abril na Assembleia da República.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 de março o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Continuar a ler

Alto Minho

Após demissão polémica, Paulo Rodrigues é o novo comandante dos Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo

Bombeiros

em

Foto: DR / Arquivo

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo informou hoje que Paulo Rodrigues assumiu as funções de comandante interino da corporação, após a demissão, na segunda-feira, de Cândido Carvalho, que alegou ser “maltratado” pela direção.

Em comunicado enviado hoje à agência Lusa, a Associação Humanitária adiantou que Paulo Rodrigues desempenhou até agora as funções de segundo comandante e que no cargo de comandante interino que agora assumiu vai ser coadjuvado pelo adjunto Manuel Cadilha.

A Associação Humanitária, presidida por José Salgado, acrescentou que o pedido de demissão de Cândido Carvalho, “recebido com pesar”, foi aceite na terça-feira.

“O comandante Cândido Carvalho partilhou connosco, e defendeu no total da palavra o lema de Vida por Vida, em diversas ocasiões com elevado sacrifício pessoal e familiar. Pautou os últimos 25 anos em que comandou este corpo de bombeiros, com dedicação e engrandecimento do mesmo, sendo para muitos, exemplo de referência, assim como o seu contributo com diversas direções anteriores”, destaca a nota assinada pela direção da corporação que também é presidida por José Salgado.

A corporação refere “ser momento de mostrar a gratidão e reconhecimento, apesar de divergências pontuais de opinião”.

“Nunca no nosso trabalho sentimos qualquer necessidade de maltratar ninguém, são esses momentos que nos levam à elevação e a qualidade do nosso servir”, frisa a corporação com 139 anos.

Na segunda-feira, à Lusa, Cândido Carvalho disse “nunca se ter sido tão maltratado por uma direção”, como pela atual.

“Estou nos bombeiros há 45 anos. Como comandante há 25 anos e nunca eu como os meus colegas do comando fomos tão maltratados por uma direção”, referiu.

Em resposta escrita a um pedido de esclarecimento enviado pela Lusa, Cândido de Carvalho adiantou que “desde o primeiro dia após a tomada de posse” a direção, “reuniu-se com funcionários, bombeiros e até com pessoas que não estavam no ativo por tinham sido postos fora da corporação por incumprimento, e fez suposições e acusações contra o comando, mal conhecia o nosso trabalho”.

“A partir daí, logo nos apercebemos quais eram os seus propósitos, afastar o comando”, referiu.

Fundados em 1881, os Bombeiros Voluntários de Viana são das mais antigas corporações do país. Contam com uma estrutura constituída por mais de 20 profissionais e cerca de 95 bombeiros.

Continuar a ler

Populares