Seguir o O MINHO

Região

Flores, vermes e estrume ajudam a reter poluentes de águas e a travar degradação de solos

Com um orçamento de 2,1 milhões, o projeto “Res2ValHUM” reúne parceiros de três cidades portuguesas – Braga, Guimarães e Porto – e quatro espanholas

em

Foto: DR

Entre laboratórios portugueses e galegos, procura-se, através de substâncias com origem em compostos orgânicos, de algas, vermes e até de estrume, mitigar a concentração de poluentes emergentes nas águas residuais e combater a degradação dos solos agrícolas.

A colaboração entre as entidades portuguesas e espanholas no âmbito do projeto “Res2ValHUM”, desenvolvido ao abrigo do programa INTERREG V-A Espanha-Portugal, não é de agora. Surgiu há pouco mais de dois anos com um simples propósito: conhecer melhor as substâncias que constituem os compostos orgânicos.

Provenientes de resíduos urbanos ‘verdes’, como os que resultam da poda das árvores ou restos de flores, e algas, vermes ou estrume, estes compostos orgânicos, que chegam aos laboratórios dos departamentos de Química e de Biologia da Escola de Ciências da Universidade do Minho, têm “um enorme potencial”.

Porquê? Porque o composto orgânico, que na sua essência é resultado da compostagem, tem na sua constituição substâncias húmicas, ou seja, moléculas bioativas que podem vir a desempenhar um importante papel e tornar-se “promissoras” em várias áreas.

Quem o assegura é Fátima Bento, a coordenadora do projeto em Portugal, revelando, em declarações à Lusa, que os investigadores estão já a trabalhar na “otimização destas moléculas”.

“Estamos agora a produzir um composto que esperamos que seja melhorado e vamos depois caracterizá-lo e ver até que ponto pode ter um maior número de aplicações ao nível industrial”, refere a responsável.

Ao laboratório de química, este material, devidamente rotulado em pequenas embalagens, tanto chega na sua forma original (sólida), como em extratos. É a partir daqui que as suas moléculas e substâncias são analisadas.

Aliás, com base em observações já realizadas, os investigadores do departamento de Química acreditam que este composto pode vir a ser usado como “filtro de purificação das águas” e, assim, “reter poluentes emergentes”, como os fármacos, que atualmente existem “em grandes quantidades” nas águas residuais.

“As pessoas tomam muitos medicamentos e é muito difícil retirá-los das águas das estações de tratamento [ETAR], uma vez que elas não foram concebidas para isso. Uma das coisas que estamos a tentar testar é a aplicação do composto para o tratamento das águas”, explica Fátima Bento.

Depois de comprovada cientificamente a sua utilidade, a ideia dos investigadores passa por, com base neste composto, criar filtros que podem ser utilizados nas estações de tratamento de águas residuais.

“Esta é uma das várias aplicações”, salienta Fátima Bento, adiantando que os colegas de Biologia tiveram também resultados bastante promissores.

A poucos corredores e laboratórios de distância, o enfoque dos investigadores do departamento de Biologia é outro: analisar as potencialidades deste composto no combate à degradação dos solos agrícolas.

Entre o laboratório e uma pequena plantação agrícola, localizada a poucos metros do edifício n.º 6 da universidade, os cientistas estão a tentar perceber as repercussões do composto no crescimento das plantações e dos fungos.

Com base em culturas de alface, de macieira e morangos, perceberam que os compostos, além de “aumentar o vigor, crescimento e a proliferação das raízes”, têm um “efeito muito interessante” nos fungos, quer nos que causam ‘doença’, quer nos que “estabelecem relações positivas”.

Apesar de se mostrar “recetiva” com os resultados, Ana Cunha, investigadora e docente de Biologia, salvaguarda que estes são resultados preliminares.

“Vimos que os extratos enriquecidos com as substâncias húmicas promoviam os fungos que estabelecem relações positivas, portanto, estamos a conseguir melhorar a produção vegetal por duas frentes. Por um lado, atacando os patogénicos e, por outro, promovendo uma atuação mais forte dos organismos positivos”, assegura.

A futura utilização deste componente na agricultura, que funciona como “agente duplo” ao nível das culturas e plantações, poderá vir a “diminuir a carga e utilização dos pesticidas”.

À semelhança dos biólogos portugueses, os investigadores da Universidade de Santiago de Compostela já conseguiram provar a utilidade deste composto na requalificação de solos degradados, nomeadamente, na Mina de Touro, uma antiga mina de cobre onde “há 20 anos nada crescia e onde agora existem árvores, répteis e aves”.

As possíveis aplicações deste composto, no entanto, não terminam por aqui. Apesar de ainda não terem “dados suficientes”, os investigadores não fecham as portas à possibilidade de este composto vir a ser utilizado na cosmética.

Sendo ainda necessária “evidência científica sólida”, os investigadores vão continuar, até finais de julho, a desenvolver os seus estudos e a fortalecer esta colaboração ibérica.

Com um orçamento de 2,1 milhões de euros, o projeto “Res2ValHUM” reúne parceiros de três cidades portuguesas – Braga, Guimarães e Porto – e quatro espanholas – Santiago de Compostela, Ourense, Touro e Corunha.

A colaboração ibérica envolve sete parceiros, dois laboratórios científicos associados à Universidade do Minho e de Santiago de Compostela, e cinco empresas especializadas em solos e produção de composto orgânico: o Centro para a Valorização de Resíduos (em Guimarães), o Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto (LIPOR), a BRAVAL – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos (Baixo Cávado), a Sociedade Galega de Medio Ambiente, S.A. (SOGAMA) e o Centro de Valorización Ambiental del Norte.

Anúncio

Braga

Casal ferido após despiste na variante em Braga

Variante Sul

em

Foto: O MINHO

Um homem e uma mulher sofreram ferimentos na sequência de um despiste rodoviário na variante Sul de Braga, na tarde deste sábado.

Ao que apurámos, a viatura terá entrado em despiste, colidindo com um dos separadores de cimento laterais.

Foto: O MINHO

Uma das vítimas terá perdido a consciência na sequência do embate, mas acabou por recuperar os sentidos.

No local estiveram dois operacionais dos Bombeiros Sapadores de Braga e a equipa médica da VMER de Braga.

Foto: O MINHO

GNR e Brisa (concessionária da via rápida) registaram a ocorrência.

Continuar a ler

Região

Prisão preventiva para cinco dos sete detidos por roubo a idosos em Braga e Viana

Atuaram em outros onze distritos do país

em

GNR / Tribunal de Famalicão. Foto: O MINHO (Arquivo)

Cinco das sete pessoas detidas, na quarta-feira, por suspeita da prática de 197 crimes de roubo e furto qualificado a idosos ficaram em prisão preventiva, segundo a Guarda Nacional Republicana (GNR). Atuaram em 13 distritos do país, entre os quais Braga e Viana do Castelo.

Em comunicado, a GNR explica que os detidos foram presentes ao Tribunal Judicial de Sintra na sexta-feira, tendo sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva a cinco deles e apresentações semanais a um outro.

As sete pessoas foram detidas em Lisboa e em Évora por suspeitas da prática de 197 crimes de roubo e furto qualificado na sequência de uma operação realizada em 13 distritos do continente, segundo a GNR.

Os suspeitos, quatro mulheres e três homens com idades entre os 26 e os 63 anos, foram detidos pela Unidade de Intervenção, através da Secção de Informações e Investigação Criminal.

Na origem das detenções está uma investigação a vários crimes que ocorreram em 13 distritos de Portugal continental – Aveiro, Braga, Castelo Branco, Évora, Faro, Guarda, Lisboa, Portalegre, Santarém, Setúbal, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.

“Os suspeitos estão indiciados em 197 crimes, designadamente 63 por roubo, 102 por furto qualificado, 23 por furto simples e nove por violência após subtração, em que as vítimas eram predominantemente pessoas idosas, em situação vulnerável, encontrando-se habitualmente sozinhas nas suas habitações”, adianta a GNR.

A GNR deu cumprimento a 12 mandados de busca domiciliária.

No âmbito desta investigação, os militares da guarda já tinham anteriormente detido 14 pessoas, das quais 10 estão em prisão preventiva e três com apresentações no posto policial da área de residência.

Na operação participaram elementos da Direção de Investigação Criminal da GNR, dos Comandos Territoriais da GNR de Lisboa, Setúbal, Santarém e Évora, bem como da Polícia de Segurança Pública nas áreas de responsabilidade onde decorreram as diligências (Lisboa e Évora).

Continuar a ler

Ave

Papa Francisco abençoou paróquias de Fafe

Vaticano

em

Foto: Divulgação / Paróquia de Fafe

Um grupo de dez padres do arciprestado de Fafe foi recebido, na passada quarta-feira, pelo Papa Francisco, no Vaticano, durante uma peregrinação daqueles sacerdotes a Roma.

De acordo com nota divulgada pela paróquia de Fafe, os párocos receberam uma bênção apostólica do Santo Padre para o ministério sacerdotal, sendo a mesma extensível às comunidades paroquiais que os padres representam. Em troca, o Papa Francisco recebeu algumas ofertas, entre elas uma Cruz da Misericórdia.

Nesses dias, os dez párocos ficaram alojados no Pontificio Colégio Português, onde residem os padres Pedro Daniel e José Miguel, que durante alguns anos trabalharam em Fafe.

A comitiva fafense foi ainda acompanhada pelo monsenhor Ferreira da Costa, sacerdote bracarense ao serviço da Santa Sé, conhecendo vários espaços mais reservados do Vaticano, como o túmulo de são Pedro, na cripta dos Papas.

Tiveram ainda oportunidade de celebrar uma missa junto ao túmlo de Paulo VI, primeiro Papa a visitar Portugal.

Continuar a ler

Populares