Seguir o O MINHO

Alto Minho

Final da Taça de Desporto Escolar do próximo ano marcada para Melgaço

Anunciou Tiago Brandão Rodrigues

em

Foto: DR / Arquivo

O ministro da Educação, Desporto e Juventude informou hoje que a final da Taça de Desporto Escolar de 2020 vai decorrer em Melgaço, distrito de Viana do Castelo, estimando a presença de 1.000 estudantes e mais de 100 professores.


“É algo importante para o território de Melgaço, para a Escola de Desporto e Lazer do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), mas também para o Centro de Estágios que é absolutamente fantástico e que tem condições únicas para receber eventos como este”, afirmou Tiago Brandão Rodrigues.

O governante, que falava hoje em Viana do Castelo à margem da assinatura de um protocolo com o Sport Clube Vianense ao abrigo do Programa de Reabilitação de Infraestruturas Desportivas (PRID) 2019, adiantou que aquele evento desportivo “reunirá, na sua fase final, cerca de 1.000 alunos do 7ºano de escolaridade e mais de 100 professores”.

“Na fase final na Taça de Desporto Escolar os alunos competirão em atletismo, ténis de mesa, andebol e basquetebol”, destacou realçando “a possibilidade daquele concelho “poder receber uma importante atividade do Desporto Escolar”.

Para Tiago Brandão Rodrigues, trata-se de “uma prova rainha do Desporto Escolar” que transformará Melgaço na “capital do Desporto Escolar durante um fim de semana com jovens de todo o país e com professores e treinadores de todo o país”.

“A verdade é que é tão longe ir de Melgaço a Lisboa como de Lisboa a Melgaço. Por isso também é uma oportunidade para que jovens de todo o país possam vir conhecer o Alto Minho e possam experimentar o que é o bem receber do Alto Minho”, sustentou.

O ministro da Educação, Desporto e Juventude assinou hoje com a direção do Sport Clube Vianense um protocolo no âmbito do PRID 2019 que vai assegurar um financiamento de 40 mil euros para obras de beneficiação dos vestiários e dos balneários do estádio Dr. José de Matos.

Em junho, o Governo anunciou que o PRID vai ter um aumento de meio milhão de euros pelo terceiro ano consecutivo, com intuito de requalificar mais de 100 infraestruturas.

Numa nota então enviada à comunicação social, destaca-se a subida significativa da verba, uma vez que em 2017 esteve fixada em um milhão de euros, em 2018 aumentou para 1,5 milhões e este ano ascendeu a dois.

Este é terceiro ano consecutivo que mais de 100 infraestruturas serão requalificadas ao abrigo deste programa, que, para além dos dois milhões euros estipulados, pode ainda atingir os 7,5 milhões num investimento global.

O PRID tem como objetivo promover a modernização e a reabilitação do parque desportivo dos clubes e associações de Portugal continental, que colocam os seus equipamentos ao serviço das populações.

“As três edições do PRID envolvem a reabilitação de cerca de três centenas de infraestruturas desportivas, num investimento global de 13,5 milhões de euros, financiando o Governo, através do Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), mais de 4,5 milhões de euros”, sintetizou o Executivo.

Anúncio

Alto Minho

Incêndio dominado em Ponte de Lima

Vento dificultou combate às chamas

em

Foto: DR / Arquivo

O incêndio que deflagrou na terça-feira, às 20:57, em Fornelos, Ponte de Lima, foi dado como dominado hoje, às 11:00, após o “combate ampliado de quatro meios aéreos pesados” mobilizados para o local, disse o comandante dos bombeiros.

“O incêndio foi dado como dominado cerca das 11:00 quando os quatro meios aéreos pesados saíram do teatro de operações. No local permanecem 134 operacionais e 42 viaturas de corporações dos distritos de Viana do Castelo, Braga e Porto. Não há danos humanos, nem materiais a registar”, afirmou hoje à Lusa o comandante dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima, Carlos Lima.

Questionado pela Lusa sobre as causas que estarão na origem das chamas, Carlos Lima disse “não ser essa a preocupação imediata dos bombeiros”, apesar de admitir “ser estranho que o incêndio tenha deflagrado à noite”.

“A GNR está no local a acompanhar os trabalhos e fará as diligências necessárias para apurar as causas do incêndio”, disse.

Anteriormente, o comandante dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima disse que “o vento forte que se tem feito sentir desde o início do fogo até hoje dificultou o trabalho dos bombeiros”.

Cerca das 08:30, a “principal preocupação” dos bombeiros era “proteger a zona industrial de Fornelos e Queijada que não foi afetada”.

Durante a noite e madrugada de hoje, “o fogo chegou a ter três frentes ativas que causaram alguma tensão junto de habitações, mas os operacionais no terreno conseguiram dominar as chamas”.

Continuar a ler

Alto Minho

Quatro meios aéreos mobilizados para incêndio em Ponte de Lima

Vento tem sido maior dificuldade

em

Foto: Ângelo Reis

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima disse hoje terem sido acionados quatro meios aéreos pesados para apoiar os 141 operacionais que combatem o incêndio que deflagrou, na terça-feira, às 20:57, na freguesia de Fornelos.

“Já foram acionados quatro meios aéreos de combate ampliado. Quando começarem a atuar no teatro de operações contamos conseguir dominar as chamas nas próximas horas. O vento forte que se tem feito sentir tem sido a principal dificuldade dos bombeiros. O fogo é levado pelo vento o que dificulta o combate”, afirmou Carlos Lima.

Contactado pela agência Lusa, cerca das 08:30, o comandante disse que a “principal preocupação é proteger a zona industrial de Fornelos e Queijada”.

“Temos uma frente de fogo perto da zona industrial. Não há fábricas afetadas, mas a nossa preocupação é proteger as unidades fabris”, disse.

Carlos Lima adiantou que, durante a noite, “o fogo chegou a ter três frentes ativas que causaram alguma tensão junto de habitações, mas os operacionais no terreno conseguiram dominar as chamas”.

“Para já não há feridos nem danos materiais a registar. O fogo tem uma única frente, que arde em zona de eucaliptal e mato”, referiu.

No combate às chamas estão evolvidos 140 operacionais e 46 viaturas de várias corporações dos distritos de Viana do Castelo, Braga e Porto.

A secretária de Estado da Administração Interna alertou na terça-feira para “um cenário meteorológico muito complicado” nos próximos dias, com um potencial de ocorrências de incêndios florestais “difíceis de gerir” e que se podem tornar “quase catastróficos”.

Patrícia Gaspar avisou a população que junto aos espaços florestais “é completamente proibido o uso do fogo”.

Continuar a ler

Alto Minho

Colisão entre três viaturas faz um morto em Monção

Acidente

em

Foto: DR

Uma colisão entre três viaturas provocou um morto na Estrada Nacional 202, em Trovisco, Monção, confirmou O MINHO junto de fontes do CDOS e dos bombeiros.

A vítima mortal tinha 52 anos. O óbito foi confirmado no local pela equipa da VMER de Viana.

José Passos adiantou à Lusa que “a vítima mortal, condutor de uma das viaturas envolvidas no acidente, é natural do concelho de Monção”.

O acidente provocou ainda outros dois feridos ligeiros, ambos homens, um deles, com cerca de 50 anos, transportado para o Hospital de Viana pela SIV de Valença, e outro com cerca de 30 levado para a SUB – Unidade de Saúde Local de Monção pelos bombeiros locais.

O alerta para os bombeiros foi dado às 7:33.

Os Bombeiros de Monção prestaram socorro com 11 operacionais e três viaturas.

No local também estiveram a SIV Valença e a VMER de Viama, bem como a GNR, que registou a ocorrência.

Notícia atualizada às 09h58.

Continuar a ler

Populares