Seguir o O MINHO

Região

Fim de semana com chuva e frio

em

O fim de semana vai ser marcado pela chuva, pontualmente forte, vento, descida da temperatura e queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela, adiantou esta quinta-feira a meteorologista Madalena Rodrigues.


De acordo com a especialista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a previsão na sexta-feira aponta para um aumento de nebulosidade para o final do dia e chuva fraca nas regiões do Norte e Centro.

“A partir de sexta-feira, vamos ter chuva, primeiro no Minho e Douro litoral, estendendo-se depois às restantes regiões. Para sábado e domingo, já estamos a prever precipitação por vezes forte”, disse.

No que diz respeito às temperaturas, Madalena Rodrigues disse que na sexta-feira está prevista uma descida da temperatura mínima, em especial nas regiões do interior, entre 04 a 06 graus Celsius.

“No sábado e domingo, vamos ter uma subida da temperatura mínima entre 04 e 06 graus e depois, na segunda-feira, uma descida da temperatura no geral do território”, disse.

De acordo com a especialista do IPMA, na segunda-feira prevê-se para Lisboa temperatura entre os 08 e os 13 graus, no Porto entre 15 e 14 e em Faro entre 09 e 15

“Estamos também a prever para o fim de semana vento forte por vezes com rajadas e queda de neve (no domingo) nos pontos mais altos da Serra da Estrela, descendo a quota ao longo do dia para os 800 metros”, concluiu.

 

logo Facebook Fique a par das Notícias do Tempo. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Ave

Estafetas da Câmara de Famalicão entregaram 600 refeições entre as 19:00 e as 22:00

Estado de emergência

em

Foto: Ilustrativa / DR

O serviço de estafetas gratuito da Câmara de Famalicão para entrega de jantares ao domicilio de restaurantes deste concelho, entregou 600 refeições entre as 19:00 e as 22:00 deste sábado, anunciou a autarquia.

Numa publicação nas redes sociais, a autarquia lista 47 restaurantes aderentes, 37 estafetas e todas as freguesias abrangidas pelo serviço gratuito (a refeição é paga).

Os consumidores puderam consultar os restaurantes aderentes através da página de Internet do município: www.famalicao.pt.

Esta medida do executivo municipal, liderado por Paulo Cunha, tem como objetivo contribuir para a mitigação dos efeitos económicos na restauração provocados pelas medidas impostas pelo Estado de Emergência, nomeadamente com o recolher obrigatório a partir das 13:00 aos fins de semana, sublinhou o município.

A autarquia explicou que o processo é simples, tendo o consumidor apenas de contactar o restaurante, encomendar a refeição e pagar por MB WAY ou transferência bancária, não sendo admitidos pagamentos diretamente ao estafeta.

“Esta medida materializa um apoio muito específico do município à restauração do concelho, que é claramente o setor mais castigado do novo estado de emergência”, considerou o presidente da câmar.

Acrescentando ainda que o município tem vindo a acompanhar com “muita preocupação” as dificuldades num dos setores mais afetados pelas medidas excecionais restritivas à circulação das pessoas, recentemente aprovadas pelo Governo.

Continuar a ler

Guimarães

Esplanadas ‘fantasma’ e pedras da calçada. Assim ficou Guimarães a um sábado à tarde

em

A população de Guimarães aderiu em massa ao horário de recolher obrigatório de fim de semana, confinando-se pouco depois do relógio marcar 13:00.

Durante a tarde, as ruas e as estradas assistiam à passagem de poucos, os que trabalhavam ou que se deslocavam para alguma urgência.

No centro histórico, só restaram as centenas de cadeiras e mesas de esplanada, vazias, à espera de dias melhores.

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Foto: Vítor Oliveira / Facebook

Na madrugada de 08 de novembro, o país ficou a saber pelo primeiro-ministro, António Costa, que a circulação ia ser limitada nos dois fins de semana seguintes, entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo e as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira, nos 121 concelhos de maior risco de contágio pelo novo coronavírus (vão aumentar para 191 a partir de segunda-feira).

No âmbito do estado de emergência decretado devido à pandemia de covid-19, o Governo decidiu também instaurar um recolher obrigatório entre as 23:00 e as 05:00 nos dias de semana, entre 09 e 23 de novembro (enquanto vigora o estado de emergência, que tem uma validade de 15 dias, podendo ser renovado), nos concelhos mais afetados, com o comércio a encerrar até às 22:00 e os restaurantes até às 22:30.

Viana também ficou em casa em dia de recolher obrigatório

Seguiu-se uma semana de contestação e manifestação de dúvidas em relação às exceções da medida, por parte de várias associações comerciais que representam o comércio e a restauração.

Assim, na quinta-feira, o Governo decidiu ordenar o encerramento do comércio e restauração às 13:00, neste e no próximo fim de semana.

Ficou também definido que a abertura dos estabelecimentos só pode ocorrer a partir das 08:00.

Barcelos é ‘cidade fantasma’ no primeiro sábado com recolher obrigatório

“A regra é tudo fechado às 13:00”, disse o primeiro-ministro, António Costa, em conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros, referindo-se aos concelhos com risco elevado de contágio de covid-19.

Os restaurantes só podem funcionar a partir das 13:00 para entrega ao domicílio, clarificou o primeiro-ministro, e não para ‘take away’, como esperavam os empresários do setor.

Ruas de Fafe vazias perante olhar atento da GNR

António Costa anunciou ainda que haverá um apoio de 20% da perda de receitas dos restaurantes nos dois fins de semana face à média dos 44 fins de semana anteriores (de janeiro a outubro 2020).

Ruas de Braga vazias num sábado à tarde. Só restam ‘Uber Eats’ e pombas

Fora da obrigatoriedade de fechar a partir das 13:00 e de abrir apenas a partir das 08:00 estão as farmácias, clínicas e consultórios, veterinários, estabelecimentos de venda de bens alimentares com porta para a rua até 200 metros quadrados, bombas de gasolina, padarias e funerárias.

Continuar a ler

Braga

Concelho de Braga com mais 404 casos de covid-19 e um morto em 48 horas

Covid-19

em

Foto: O MINHO

O concelho de Braga regista 1.214 casos ativos de covid-19, mais 105 do que na quarta-feira, data do último balanço publicado por O MINHO.

O município contabiliza agora 4.722 casos desde o início da pandemia, mais 404 desde o mesmo dia.

Estes números foram apurados pelo nosso jornal junto de fonte local da saúde às 19:00 horas de sexta-feira.

Há ainda mais 298 doentes curados em 48 horas, totalizando 3.427 recuperações desde o início da pandemia.

Há 81 óbitos a lamentar, mais um entre quarta e sexta-feira.

Por fim, estão 793 pessoas em isolamento profilático, menos 390.

Continuar a ler

Populares