Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Filme sobre comunidade rural de Viana estreia-se em junho nos cinemas

“O Movimento das Coisas”

em

O filme “O Movimento das Coisas”, da realizadora portuguesa Manuela Serra, estreia-se a 17 de junho nos cinemas portugueses, mais de trinta anos depois de ter sido feito, revelou hoje a distribuidora The Stone and The Pilot.

O filme, de 1985, chegará aos cinemas numa cópia restaurada, digitalizada pela Cinemateca Portuguesa, que foi apresentada em outubro passado no Festival Lumière, em França, e também exibida na reabertura da Cinemateca, no passado dia 22 de abril.

“O Movimento das Coisas” é o primeiro e único filme de Manuela Serra, um “documentário poético”, como descreve a Cinemateca Portuguesa, sobre o quotidiano da comunidade rural de Lanheses, no concelho de Viana do Castelo.

Começou a ser feito em 1979 e só seria concluído em 1985, tendo tido uma estreia premiada no Festival de Mannheim, na Alemanha, e depois em Portugal, no Festróia. A obra, porém, nunca chegou ao circuito comercial português.

Manuela Serra nasceu em Lisboa, em 1948, estudou cinema em Bruxelas, mas rumou a Portugal logo depois da Revolução de Abril de 1974. Foi assistente de realização e montadora do filme “Deus, Pátria, Autoridade”, de Rui Simões, e uma das cofundadoras da cooperativa VirVer, de que se afastaria nos anos de 1980, já durante o processo de filmagem de “O Movimento das Coisas”.

A realizadora abandonou o cinema na década de 1990, acusando ainda algum desgaste por nunca ter conseguido fazer um segundo filme, ao qual daria os títulos “Ondas”, “Ondulações” ou “O Movimento das Ondas”, como se lê na nota de imprensa sobre “O Movimento das Coisas”.

Em outubro passado, a propósito da exibição em França, Manuela Serra afirmava em entrevista ao jornal Público que sentia tristeza pelo facto de o filme não ter tido estreia comercial, no tempo em que foi feito.

Sobre o fim de um percurso no cinema, Manuela Serra disse na mesma entrevista que uma das justificações foi ter encontrado um meio “marcadamente masculino”: “Esse mundo masculino trouxe-me a impossibilidade de me manter no meio: assediada, ignorada, insultada, agredida fisicamente. Portanto, tinha é que me retirar”.

“O Movimento das Coisas” estrear-se-á a 17 de junho, no Cinema Ideal, em Lisboa, no Cinema Trindade, no Porto, e no Alma Shopping, em Coimbra.

Populares