Seguir o O MINHO

Alto Minho

Fibra ótica e rede móvel são prioridades para Alto Minho “mais conectado”

Presidente da ANACOM esteve em Paredes de Coura.

em

Foto: DR/Arquivo

O presidente da Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) defendeu hoje que a melhoria da cobertura da fibra ótica e da rede móvel devem ser “prioridades” para transformar o Alto Minho num território “mais conectado”.

“Há uma grande prioridade ao desenvolvimento em todos os concelhos do Alto Minho. Todos têm beneficiado já da fibra ótica, mas não chega a todas as localidades. Nem todos os aglomerados populacionais têm já a fibra ótica instalada”, afirmou João Cadete de Matos, em Paredes de Coura.

O responsável pela ANACOM, que falava à agência Lusa à margem da conferência “Por um Alto Minho mais conectado”, promovida pela Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, sublinhou ser “uma prioridade para esta região a fibra ótica estar disponível em todo o território face às exigências do 5G”.

“Não só para que as populações se mantenham e sejam atraídas por este território, mas também para que as empresas, nos seus vários campos de atividade, tenham condições para se localizarem e os turistas visitarem a região”, sustentou, adiantando que o regulador das comunicações “vai aproveitar todas as oportunidades” para que esse “desafio” seja concretizado.

João Cadete de Matos apontou a cobertura da rede móvel como “outro tema prioritário para região”, admitindo que, atualmente, e fruto de “financiamentos comunitários e investimento das várias empresas, o nível de cobertura seja bastante melhor do que existia há uns anos”.

“Ainda há zonas em que não há um bom grau de cobertura da rede móvel”, declarou, referindo como exemplo algumas zonas do Parque Nacional da Peneda Gerês (PNPG).

“Há zonas onde a cobertura do sinal da rede móvel é bastante débil, nalguns casos inexistente e, além disso, há zonas em que só um operador tem boa qualidade do sinal”, observou.

João Cadete de Matos adiantou que a ANACOM “tem vindo a insistir na utilização do ‘roaming’ nacional”.

“É a possibilidade dos portugueses, quando não têm num determinado local a rede do operador com quem têm contrato, poderem ligar-se ao operador que nesse local tem bom sinal, sem obrigar a duplicar ou a triplicar os investimentos em termos de antenas”, especificou.

Já o presidente da CIM do Alto Minho, José Maria Costa, afirmou que, atualmente “as questões da mobilidade e das comunicações são fundamentais” para o desenvolvimento dos dez concelhos da região.

Fazem parte desta comunidade intermunicipal os municípios de Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira, Valença, Paredes de Coura, Arcos de Valdevez, Monção, Melgaço, Ponte da Barca e Ponte de Lima.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Viana do Castelo

Viana reabilita dois edifícios degradados do Estado para “apoio à comunidade”

Plano tem 20 milhões para investimento

em

O presidente da Câmara de Viana do Castelo vai candidatar a fundos comunitários a reabilitação de dois edifícios do Estado, em “avançado estado de degradação”, para criar, num deles, uma residência para estudantes e, no outro, um espaço cultural.

Em declarações, hoje, à agência Lusa, José Maria Costa revelou que a recuperação dos dois edifícios vai ser incluída no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) que prevê, até 2020, um investimento de 20 milhões de euros na reabitação urbana.

O autarca socialista explicou que a possibilidade de reabilitação daqueles dois imóveis do Estado, “fechados há vários anos”, surge na sequência da aprovação, pelo executivo municipal, na segunda-feira, de seis diplomas de descentralização de competências para 2019.

Um deles prevê a transferência, para os municípios, da gestão do património imobiliário público sem utilização.

“Os diplomas aprovados pelo executivo municipal vão ser apreciados na assembleia municipal do próximo dia 29. Mal tenhamos a aprovação da assembleia, apresentaremos uma proposta ao Ministério das Finanças para que aquele património, que está ao abandono, seja recuperado e colocado ao serviço da comunidade vianense”, explicou.

O autarca classificou como “prioritária” a intervenção num edifício que chegou a ser uma antiga residência feminina de estudantes e delegação escolar de Viana do Castelo.

A intenção da autarquia é transformar o imóvel, “em mau estado de conservação e ao abandono há muitos anos”, em residência para os estudantes do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC).

“Já foi feito o levantamento do edifício e já estamos a trabalhar no projeto porque há uma necessidade urgente de espaços para alojar estudantes do (IPVC)”, sustentou.

O outro edifício é localmente conhecido como solar dos Quesados. Até 2009 foi ocupado pela extinta Junta Autónoma das Estradas, atual Infraestruturas de Portugal. Em novembro de 2015, o imóvel foi, parcialmente, destruído por um incêndio e, em junho de 2017, encontrava-se sinalizado pela Saúde após ter sido ocupado por sem-abrigo.

O imóvel, está situado junto à Escola Secundária Maria Maior, frequentada por mais de 700 alunos.

José Maria Costa disse que “devido ao seu elevado valor arquitetónico e patrimonial poderá ser transformado num espaço com funções culturais, até para servir de apoio à escola secundária”.

“Infelizmente está muito degradado por estar encerrado há vários anos e por ter sido vandalizado. Iremos também apresentar uma proposta de reabilitação à Direção Geral do Tesouro e Finanças para fins culturais”, especificou.

José Maria Costa adiantou que a lei-quadro da transferência de competências prevê, nesta área do património do Estado, “a possibilidade da Câmara apresentar um programa de intervenção e gestão durante um período de 50 anos”.

O PEDU prevê a realização de 30 diferentes projetos, cuja intervenção está focada nas sete Áreas de Reabilitação Urbana (ARU).

Em 2013, foi criada a primeira ARU do Centro Histórico, abrangendo o núcleo medieval da cidade. Existem ainda as ARU da Cidade Poente, ARU de Darque e ARU da Frente Ribeirinha de Viana do Castelo, lançadas em 2015. Já em 2017 foram criadas mais três áreas, nomeadamente ARU da Cidade Norte, envolvendo freguesias de Santa Maria Maior e Meadela, a ARU Frente Atlântica, nas freguesias de Areosa e Monserrate, e a ARU da Frente Marítima da Amorosa, na freguesia de Chafé.

Continuar a ler

Ponte de Lima

‘Incentivo ao Empreendedorismo’ na Escola Superior Agrária de Ponte de Lima

Melhores projetos vão ser premiados

em

Apresentar Planos de Negócio de ideias inovadoras, desenvolvidos pelos alunos de Biotecnologia e de Enfermagem Veterinária, é o objetivo da sessão de incentivo ao empreendedorismo que irá decorrer, hoje, na Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, pelas 14:00.

O alunos foram desafiados a encontrar soluções para lacunas existentes no mercado e identificaram oportunidades de negócio em produtos tão distintos como velas e incensos com feromonas; uma escova canina multifunções; uma colher para facilitar os snacks saudáveis a meio da manhã/tarde; um peitoral para arrefecimento canino; um sistema para a hidratação de cães de caça; a venda de produtos especializados para cães e gatos; um sistema de booking para animais; a venda de pacotes personalizados para gatos; temperos inovadores para substituir o sal ou palmilhas para acabar com o mau odor.

São 10 ideias inovadoras, concretizadas em Planos de Negócio desenvolvidos nas unidades curriculares de “economia e gestão” e “gestão de empresas”.

Os melhores projetos irão ser premiados pela In.Cubo.

Continuar a ler

Alto Minho

Reaberta Estrada Nacional EN 13 cortada devido a colisão rodoviária em Valença

Acidente envolveu três viaturas

em

Foto: DR

A Estrada Nacional (EN) 13, parcialmente fechada ao trânsito, devido a uma colisão rodoviária em Valença, Viana do Castelo, já se encontra totalmente reaberta, disse à Lusa fonte da GNR de Viana do Castelo.

De acordo com a GNR, a EN 13 foi “totalmente reaberta por volta das 23:00″ de terça-feira.

Pelo menos quatro pessoas ficaram feridas na colisão rodoviária ocorrida na freguesia de Gandra, no concelho de Valença.

“Recebemos o alerta pelas 21:57 para uma colisão rodoviária, envolvendo três viaturas, dois veículos ligeiros e um pesado, que causou quatro feridos. Um dos feridos está em estado grave e os outros três são ligeiros”, disse à agência Lusa fonte do CDOS de Viana do Castelo.

Deslocaram-se para o local da ocorrência 21 operacionais, apoiados por dez viaturas, das organizações de socorro e das autoridades.

Continuar a ler

Populares