Seguir o O MINHO

Região

Festival solidário leva Gisela João a Fafe e Miguel Araújo a Caminha

20 de junho

em

Foto: DR

Vinte e um artistas vão atuar no próximo dia 20, em outros tantos teatros municipais, num festival solidário pela classe artística, foi hoje anunciado.


Nesse âmbito, a fadista de Barcelos Gisela João vai atuar em Fafe e o músico Miguel Araújo em Caminha.

O festival chama-se Regresso ao Futuro e consiste na realização de 21 concertos num só dia, em outros tantos teatros e auditórios municipais do país, com as receitas de bilheteira a reverterem para o fundo de emergência criado pela Audiogest e GDA – Gestão dos Direitos dos Artistas, para apoiar os profissionais das artes.

“É um acontecimento solidário que une e mobiliza os teatros municipais, os artistas, as equipas técnicas, a organização da Sons em Trânsito e o público numa frente comum”, refere a organização em comunicado.

Assim, o festival contará com atuações de António Zambujo em Torres Novas, Agir em Leiria, Ana Moura em Oliveira do Bairro, Aurea na Figueira da Foz, Bárbara Tinoco em Albergaria-a-Velha, The Black Mamba em Aveiro, Carolina Deslandes em Bragança, Clã em Almada, Camané em Cascais, D.A.M.A. em Setúbal e Diogo Piçarra em Faro.

A eles juntam-se ainda Fernando Daniel em Estarreja, Gisela João em Fafe, Miguel Araújo em Caminha, Pedro Abrunhosa em Ovar, Rita Redshoes e Samuel Úria em Lisboa, Salvador Sobral em Santarém, The Gift em Loulé, Tiago Bettencourt em Castelo Branco e Tiago Nacarato em Matosinhos.

Os bilhetes custam dez euros, estarão à venda a partir de 09 de junho e a organização garante as condições de segurança e distanciamento social exigidas, por causa da covid-19.

A organização explica ainda que o público é convidado a levar alimentos que serão recolhidos e distribuídos pela União Audiovisual, “junto dos profissionais dos setores das artes que se encontram em situação de maior vulnerabilidade alimentar”.

Anúncio

Ave

Idoso em estado grave após atropelamento em passadeira na estrada Famalicão-Guimarães

Atropelamento rodoviário

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Um homem de 71 anos sofreu ferimentos graves na sequência de um atropelamento na Estrada Nacional 206, em Pousada de Saramagos, concelho de Famalicão, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

A vítima estaria a atravessar uma passadeira quando foi colhido pelo automóvel nesta estrada que liga as cidades de Famalicão e Guimarães.

Para o local foi mobilizada uma ambulância dos Bombeiros de Famalicão apoiada pela equipa médica da Viatura Médica de Emergência e Reanimação do INEM.

A vítima foi transportada para o Centro Hospitalar do Médio Ave.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Aqui Perto

GNR resgata raposa atropelada e deixada para morrer no Parque Peneda-Gerês

PNPG

em

Foto: Facebook de Pi Gomes

Uma raposa vítima de atropelamento na Estrada Nacional 103, em Montalegre, foi encontrada por um popular e resgatada com vida pela GNR local, confirmou O MINHO junto do comando da Guarda em Vila Real.

O animal terá sido atropelado na zona de Viade de Baixo e foi deixada na berma da estrada, ao que tudo indica, inconsciente.

“A raposa apresentava ferimentos coincidentes com os de um atropelamento animal”, disse fonte do comando.

Nas redes sociais, um automobilista explica que encontrou a raposa inconsciente e acompanhou a sua recuperação enquanto solicitou aos militares da GNR do posto em Montalegre que a resgatassem.

A GNR disse a O MINHO que deslocou para lá uma patrulha que fez a recolha do animal, entregando-a com vida no Centro de Recuperação de Animais Selvagens (CRAS) do Hospital Veterinário da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, em Vila Real.

Continuar a ler

Alto Minho

Monção: Junta prometeu e cumpriu. Caminho arranjado para homem com mobilidade reduzida

Promessa eleitoral

em

Foto: JF Pias

Um habitante da freguesia de Pias, em Monção, conta agora com maior facilidade para se deslocar ao pé de sua casa, depois da requalificação de um caminho que tinha sido uma promessa eleitoral da atual presidente da junta.

O caminho do lugar de Vila Nova deixou de ser composto por terra batida e pedras, passando agora a uma via alcatroada com todas as condições para os moradores caminharem pelo local, num investimento de cerca de 2.500 euros.

Em declarações à Rádio Vale do Minho, o secretário da Junta explica que estes “pequenos gestos fazem a diferença”.

“O objetivo foi melhorar as condições de acessibilidade, até porque neste troço há vários moradores seniores, sendo um deles portador de mobilidade reduzida”, disse Agostinho Correia àquela rádio.

“O bem estar da nossa população será sempre o nosso foco. É pelas pessoas e pelas suas reais necessidades que existimos”, acrescentou o responsável político.

Continuar a ler

Populares