Seguir o O MINHO

Alto Minho

Festival Paredes de Coura arranca com Bed Legs, Boogarins, Parcels e The National

Às margens do rio Taboão

em

Foto: DR/Arquivo

O festival Paredes de Coura começa hoje com os bracarenses Bed Legs a inaugurarem o primeiro dia, que conta com as sonoridades psicadélicas de Boogarins, o coletivo congolense KOKOKO! e culmina com o regresso dos The National.

A 27.ª edição do evento promete ser a “melhor de sempre”, segundo o diretor, João Carvalho, que, em entrevista à Lusa, havia destacado não só o regresso dos norte-americanos às margens do rio Taboão, mas também da australiana Julia Jacklin.

Depois do EP “Not Bad” e do disco “Black Bottle”, os Bed Legs inauguram o palco principal e apresentam o seu álbum homónimo, lançado no ano passado, que vai colocar a mexer os primeiros festivaleiros com o ‘rock’ e ‘blues’ do quinteto nortenho.

Ainda ao final da tarde, a australiana Julia Jacklin traz a Portugal a “mistura perfeita entre o sonhador ‘indie-pop’ e o sincero ‘alt-country’”, com o recém-lançado “Crushing”, que sucede a “Don’t Let The Kids Win”, de 2016, e ainda ao álbum homónimo de Phantastic Ferniture, de 2018, um projeto que partilha com Liz Hughes, Ryan K. Brennan e Tom Stephens.

Também a apresentar trabalho editado este ano vão estar os Boogarins. O conjunto brasileiro estreia-se no festival com “Sombrou Dúvida”, lançado em maio, e admitiu à Lusa que o compromisso na Praia Fluvial do Taboão originou a recente direção europeia, um momento pelo qual aguardavam desde a primeira vinda a Portugal.

“Estamos sempre prontos para fazer música e dar a festa ao povo, estamos fora do Brasil há muito tempo. Paredes de Coura é o último ‘show’ da ‘tour’, mas desde o início foi o mais esperado. Quando confirmámos Paredes [de Coura] fomos a outras praças e procurámos outros sítios na Europa”, admitiu o guitarrista Benke Ferraz, em entrevista à Lusa.

Seguem-se os australianos Parcels, que, depois de uma série de EP’s e ainda de uma colaboração com os Daft Punk, se estrearam no ano passado com o longa-duração homónimo, considerado pela crítica especializada como um dos melhores discos do ano. Os Parcels vão ‘aquecer’ o público com o seu ‘groove’ antes da apoteose dos The National, prevista para as 00:45.

Os norte-americanos regressam ao festival, depois de terem atuado pela primeira vez em 2005. Desde aí, são várias as presenças e prémios acumulados pela banda de Matt Berninger, incluindo o mais recente “Sleep Well Beast”, de 2017, que venceu um Grammy na categoria de Melhor Álbum de Música Alternativo.

O fecho do palco principal abre espaço, às 02:25, para as sonoridades dos bairros e clubes de Kinshasa, a capital da República Democrática do Congo, pela mão dos KOKOKO!, um projeto que envolve um grupo de músicos do bairro de Ngwaka a desenvolverem repetidos padrões, a partir de instrumentos de cordas e objetos de percussão a partir de material reciclado.

A fechar a noite, o ator e DJ Nuno Lopes vai animar os mais resistentes com o seu habitual ‘dj set’, agendado para as 03:25, e assinalar o fecho do primeiro de quatro dias de música, que levam ainda às margens do rio Coura nomes como New Order, Patti Smith, Suede, Father John Misty ou Freddie Gibbs e Madlib.

Anúncio

Viana do Castelo

Viana do Castelo celebrou Dia do Porto de Mar

Efeméride

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O Presidente da Câmara Municipal juntou-se às comemorações do Dia do Porto de Viana do Castelo, que aconteceram ao longo de dois dias, com o objetivo de dar maior visibilidade ao porto.

A Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) levou a efeito um programa que incluiu um conjunto diversificado de iniciativas, promovendo uma política de proximidade junto da comunidade local, população académica envolvente e imprensa local.

Na Praça da Liberdade, o autarca José Maria Costa destacou a importância o Porto de Mar para o perfil exportador do concelho. Viana do Castelo tem vindo a afirmar-se como um concelho de forte acolhimento empresarial e exportador, tendo atingido em 2017 os 831 milhões de euros de exportações, o que coloca o Município em 16º lugar no ranking nacional, correspondendo a 1,5% das exportações nacionais.

Recorde-se que, no mês de fevereiro, o Primeiro-Ministro, António Costa, presidiu à cerimónia de consignação dos novos acessos rodoviários ao Porto de Mar de Viana do Castelo. Na cerimónia, o governante referiu que esta obra será uma mais- valia para as empresas da região e para o movimento portuário, mas que vai “simultaneamente melhorar a qualidade de vida das populações, que vão deixar de ver a sua vida devassada pelo tráfego das viaturas que entram e saem do porto”.

No mesmo momento, a Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, lançou o concurso para o aprofundamento do anteporto e do canal de acesso aos Estaleiros Navais e ao Cais do Bugio. Estas intervenções visam melhorar a acessibilidade à infraestrutura portuária e reforçar a sua competitividade, alargando o seu ‘hinterland’.

Na altura, o autarca vianense considerou que ficaram resolvidos dois fatores críticos, permitindo novas acessibilidades marítimas, com o rebaixamento dos fundos, e novas acessibilidades rodoviárias que potenciam o perfil exportador do porto de Viana do Castelo e favorecem a atratividade deste para outros fluxos de mercadorias que até agora não eram competitivos.

Com um valor de adjudicação de 7,3 milhões de euros, o novo acesso ao Porto de Mar está a criar uma rodovia de 8,8 quilómetros de extensão a ligar a A28 ao Porto de Viana do Castelo em São Romão de Neiva, com duas faixas de rodagem de 3,5 metros de largura. A obra inclui ainda a requalificação de um troço e bermas da Estrada Nacional 13 e a construção de dois novos troços a ligar esta estrada nacional à A28, com acesso direto ao porto comercial.

Este investimento, que deverá estar concluído em agosto de 2020, pretende atrair novas atividades económicas para a área de influência do porto; reduzir os custos operacionais inerentes aos tempos de ligação rodoviária do porto aos principais polos de atividade; reduzir o ruído e as emissões poluentes; aumentar a segurança da circulação; e contribuir para o descongestionamento da circulação rodoviária, retirando o tráfego pesado das vias urbanas.

Já o aprofundamento do anteporto e do canal de acesso aos Estaleiros Navais e Cais do Bugio contam com um investimento público de 18,5 milhões de euros e privado de 11 milhões de euros. As intervenções, que deverão estar concluídas em 2021, implicam uma dragagem para aprofundar o canal e o anteporto para -6,0 metros, a fim de permitir o acesso a navios de maior dimensão. Fica, assim, reforçada a competitividade do cluster da indústria naval no país e melhoradas as condições de acesso ao Cais do Bugio e à Doca Seca, recebendo esta um novo cais de 140 metros de comprimento e 40 de largura.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Politécnico de Viana do Castelo dá formação gratuita para PME’s

A 17 de outubro

em

Foto: Divulgação

A Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico de Viana do Castelo recebe, no próximo dia 17 de outubro, uma formação gratuita para PME, organizada pela Universidade do Porto, no âmbito do Laboratório de Responsabilidade Social Empresarial (RSE) para PME na Zona Norte que nasce de um projeto transfronteiriço da CIM-ALTO Minho, numa parceria que envolve as duas instituições de ensino superior, (a Universidade do Porto e o Instituto Politécnico de Viana do Castelo), cuja sede se localiza na ESTG-IPVC em Viana do Castelo.

A formação “Objetivos do Desenvolvimento Sustentável: Desafios e Oportunidades para PME” irá decorrer na sala BIB 3.2 da ESTG-IPVC, podendo encontrar todas as informações acerca do programa aqui.

O objetivo desta formação é o de prestar orientações às PME sobre a forma como poderão alinhar as suas estratégias bem como medir e gerir a sua contribuição para a realização dos ODS. A metodologia é ativa e inclui workshop, speed dating e network.

A formação é gratuita, mas sujeita a inscrição obrigatória. Para formalizar a inscrição, a empresa deve enviar um email para [email protected] ou telefonicamente para +351 258 819 700 | Tlm: +351 965 919 660.

O Projeto

Esta oficina de consultoria aberta ao público empresarial, tem como objetivo impulsionar a implementação de medidas de Responsabilidade Social nas pequenas e médias empresas do Norte de Portugal. Com atividade desde março de 2019, conta já com uma rede de 35 empresas em mentoria, 92 visitas a empresas e coorganizou 8 eventos de networking.

Este projeto é financiado podendo assim as PME beneficiar de 20 horas de mentoria especializada em gestão de recursos humanos e responsabilidade social empresarial.

O trabalho desenvolvido pressupõe uma articulação com as PME tendo em vista o seu desenvolvimento sustentável e competitivo incidindo na estratégia dirigida aos seus recursos humanos.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana recebe 1.866 obras do espólio do artista Carolino Ramos

Desenhos, esboços e estudos, aguarelas, pinturas a óleo, pinturas com técnica mista, serigrafias e esculturas em gesso

em

Foto: Divulgação

O neto e herdeiro do artista Carolino Ramos doou 1.866 obras a Viana do Castelo, um espólio que já foi conservado e catalogado pela câmara local e colocado online para consulta, informou hoje o município.

Em comunicado, a câmara adiantou que o espólio pode ser consultado numa página do Flickr, o maior site para alojamento de fotografias e vídeos, que conta com fotos do artista natural da capital do Alto Minho.

O acordo de doação do espólio foi assinado entre o neto do artista, Rui Ramos, e o presidente da câmara, José Maria Costa.

No total, são 1.767 desenhos, esboços e estudos, estando 549 desenhos assinados e datados, 75 aguarelas, seis pinturas a óleo, 10 pinturas com técnica mista, seis serigrafias e duas esculturas em gesso, em trabalhos que foram criados entre 1920 e 1960 por Carolino Ramos.

Continuar a ler

Populares