Seguir o O MINHO

Guimarães

Festas Gualterianas em Guimarães ainda sem “tradicional marcha”, mas já com “alegria na rua”

Anunciou o presidente da Câmara

em

Foto: CM Guimarães / Arquivo

As Festas Gualterianas de 2021, em Guimarães, “ainda não vão ter” a tradicional marcha, mas “já haverá alegria na rua” com atividades que estão a ser pensadas pela organização, adiantou hoje o presidente da autarquia.

Em declarações aos jornalistas, no final da reunião do executivo, Domingos Bragança afirmou que as festas da cidade, que decorrem na primeira semana de agosto, vão ter “um conjunto de situações” que terão em conta a situação pandémica e “as indicações da Direção-Geral da Saúde”.

O programa das festividades contará também com a inauguração do Teatro Jordão, que está a ser requalificado.

“Este ano ainda não há festas gualterianas no modelo anterior à pandemia. O programa ainda vai ser definido. Os obreiros da marcha têm uma ideia para duas exposições, mas ainda não têm nada em concreto. Certo é que a marcha no formato tradicional, no modelo anterior à pandemia, está excluída”, afirmou o autarca.

Segundo Domingos Bragança, “está-se a ver a hipótese de alguns equipamentos para crianças, haverá iluminação publica, já teremos alguma alegria na rua, vai ser possível andar no espaço público”.

O autarca referiu ainda a inauguração da obra de requalificação do Teatro Jordão, que será ou no sábado ou no domingo correspondentes às festas.

“Eu desejo, tenho informação que a obra está concluída neste prazo de finais de julho e que poderá ser inaugurada nas festas Gualterianas. Assim como fizemos no passado, com o Parque Camões, começa a ser tradição termos uma inauguração nas festas”, apontou o autarca.

As Festas Gualterianas, celebradas em honra de São Gualter, realizam-se em Guimarães desde 1906, sempre no primeiro fim de semana de agosto.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.381.042 mortos no mundo, resultantes de mais de 162,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.009 pessoas dos 842.381 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Populares