Seguir o O MINHO

Alto Minho

Fernando Pimenta oferece equipamentos de proteção aos Bombeiros de Ponte de Lima

Covid-19

em

Foto: O MINHO

Fernando Pimenta ofereceu hoje 15 equipamentos de proteção indiviudal reutilizáveis para casos de covid-19 aos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima.

O comandante da corporação limiana agradeceu o gesto solidário do atleta olímpico e lembra a relação umbilical que o liga aos bombeiros da vila mais antiga de Portugal.

“O Fernando Pimenta praticamente nasceu e cresceu no quartel dos bombeiros, dado que o pai dele é bombeiro há perto de 30 anos. Portanto, sempre teve esse carinho com todos os voluntários e, quando tem uma oportunidade e sabe que os bombeiros necessitam deste ou outro tipo de equipamentos, apoia-nos sempre que pode. E mais uma vez foi solidário”, frisa Carlos Lima em conversa com O MINHO.

Fernando Pimenta, em declarações ao nosso jornal, sublinha que este contributo “não é só por ter sido criado nos bombeiros, é mais porque sei o trabalho que eles desenvolvem e os riscos que correm no dia -a-dia. A maior parte são voluntários, pouco ou nada recebem em troca do que dão a todos nós. A parte de o meu pai ser bombeiros há muitos anos, a minha irmã também mais recentemente se ter tornado bombeira e ter alguns amigos na corporação, claro que ajuda. Se podemos dar um contributo e saber que estão mais protegidos para as horas de maior aflição, melhor ainda”.

Equipamento necessário

O canoísta, várias vezes campeão do mundo e da Europa e medalha de prata nos Jogos Olímpicos de 2012, falou previamente com o comando dos bombeiros para perceber o material que mais falta fazia. E os equipamentos de proteção individual para casos de covid-19 são neste momento uma necessidade clara da corporação.

“Já fizemos vários pedidos às juntas de freguesia, à câmara e alguns particulares, porque é um equipamento que já é difícil de adquirir nos fornecedores e, depois, os preços alteraram muito e já começa a ser um bocado difícil para a associação continuar a suportar esses valores”, sublinha o comandante.

“E sabendo que é uma situação que se vai prolongar por muito tempo, temos que ter sempre equipamentos de reserva. Todos os dias aparecem casos suspeitos e temos que estar devidamente protegidos”, completa.

Para mais, a pandemia levou a uma quebra de receitas: “A principal fonte de receita da corporação, que era o transporte não urgente de doentes, reduziu drasticamente e não estamos a conseguir ter receita suficiente para manter os bombeiros bem protegidos”.

É por estar ciente destas dificuldades que Fernando Pimenta procura “ajudar as instituições de uma forma direta”. E ao fazer estes gestos solidários, enquanto figura pública, também acaba por dar o exemplo à sociedade.

“Sou sócio dos bombeiros há algum tempo. Ser sócio dos bombeiros custa 12 euros anuais, um euro por mês. Sei que para algumas famílias é bastante dinheiro, mas se formos a ver o trabalho dos bombeiros, é pouquíssimo”, salienta o atleta, concluindo que “o mais importante é as pessoas ajudarem”.

Ponte de Lima com 22 casos de covid-19

Ponte de Lima conta com 22 casos confirmados de infeção por covid-19, segundo o boletim epidemiológico da DGS divulgado esta quarta-feira. É mais um infetado em comparação à véspera.

Braga, com 692 (+45 do que ontem) e Guimarães com 236 (+17) são os concelhos da região do Minho mais atingidos pela pandemia.

Seguem-se os concelhos de Barcelos com 141 (+3), Viana do Castelo com 120 (+10), Vila Verde com 92 (+2) e Arcos de Valdevez, que mantém 44.

Terras de Bouro, Paredes de Coura e Valença, com 6 e Ponte da Barca e Cerveira, com 4 casos confirmados, são os concelhos menos afetados.

Todos os concelhos do Minho já têm casos registados.

Portugal regista hoje 599 mortos associados à covid-19, mais 32 do que na terça-feira, e 18.091 infetados (mais 643), indica o boletim.

Populares