Seguir o O MINHO

Canoagem

Fernando Pimenta eleito atleta do ano do Comité Olímpico pelo quarto ano consecutivo

em

Foto: Facebook de Vítor Félix

O canoísta Fernando Pimenta, a par da marchadora Inês Henriques, voltou hoje a receber a medalha de excelência desportiva do Comité Olímpico de Portugal (COP), durante a Celebração Olímpica de 2018.

À semelhança de 2015, 2016 e 2017, Fernando Pimenta foi escolhido como atleta de 2018, ano em que se sagrou campeão do mundo de K1 1.000 e 5.000 metros, num campeonato disputado em Montemor-o-Velho, além de ter sido também campeão europeu da distância mais curta.

Também Inês Henriques voltou a ser galardoada, tal como no ano passsado, depois de se ter sagrado campeã europeia dos 50 quilómetros de marcha, nos Europeus de Berlim.

A treinadora e vereadora da Câmara Municipal de Braga Sameiro Araújo, que orientou atletas como Manuela Machado, Dulce Félix ou Jéssica Augusto, foi galardoada com a Ordem Olímpica Nacional.

O canoísta José Ramalho recebeu o prémio ética desportiva, depois de no Mundial de maratonas de 2018 ter andado mais de 3,5 quilómetros com a sua embarcação a meter água, concluindo, mesmo assim, a prova na sexta posição.

Porta-estandarte nas cerimónias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos Tóquio1964, Fernando Costa Matos foi galardoado a medalha de mérito pelo papel ligado ao judo, ao longo de mais de 50 anos.

O Prémio Juventude foi entregue à judoca Patrícia Sampaio (-78kg), campeã da Europa de juniores e bronze no Mundial da mesma categoria, e ao triatleta Alexandre Montez, vice-campeão na prova individual dos Jogos Olímpicos da Juventude e ouro nas equipas mistas.

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa recebeu o prémio prestígio do COP, pelo “papel incontornável e insubstituível no desenvolvimento do desporto em Portugal”.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Canoagem

Darque Kayak Clube acusa condutores de “confundirem relva com estrada”

“Educação e civismo, precisam-se” diz a direção

em

Foto: Darque Kayak Clube

Há condutores que continuam a confundir a relva com a estrada, junto ao Centro de Canoagem, sede do DKC de Viana do Castelo. A denúncia parte da direcção do clube vianense: “educação e civismo, precisam-se”, dizem os responsáveis.

Se por um lado os técnicos e dirigentes do Darque Kayak Clube, de Viana, “esforçam-se por formar e apoiar os melhores comportamentos relativamente à preservação do ambiente, há outros que para evitar as lombas que protegem os canoístas de serem cilindrados por um carro a alta velocidade, preferem danificar a vegetação”, acusam .

E vão mais longe: “são muitas as marcas de rodados que ao longo dos tempos testemunham comportamentos que todos deveriam evitar de forma a preservar de forma digna o ambiente, a estética e a funcionalidade de obra tão importante para a cidade, para a freguesia e para o país”.

Visita

O Chefe do Estado-Maior da Armada, almirante António Mendes Calado, esteve de vista ao clube acompanhado por Vitor Lemos, vice presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo e pelo presidente da DKC de Viana, Américo Castro que fizeram as honras da casa.

Continuar a ler

Canoagem

Quatro mil atletas passaram pelo Darque Kayak Clube, em Viana do Castelo

em

Com 4000 praticantes em 2018, o Darque Kayak Clube, de Viana, duplicou o número do ano anterior. Para a direção, o ano passado «foi mais um ano fantástico para a Darque Kayak Clube. Foi o melhor ano de sempre em termos de classificações coletivas, 2º no ranking nacional de medalhas em campeonatos nacionais e 6º no Ranking nacional de clubes, com 15 títulos de campeão nacional e organização da Taça do Mundo de Maratonas de canoagem».

O presidente, Américo Castro, refere ainda que «aumentou o número de atletas federados e venceu pela segunda vez consecutiva o campeonato nacional de esperanças de slalom. O clube venceu coletivamente pela 3ª vez as 1ªas pagaiadas na fase final nacional de slalom e obteve cinco vitorias nos Jogos Atlânticos representando Viana do Castelo».

Continuar a ler

Canoagem

Campeão do mundo pagaia pela preservação do ambiente em Viana do Castelo

Viana Garças Clube é pioneiro no ‘Kayak Plogging’.

em

O campeão do mundo de canoagem Sérgio Maciel é o rosto do “kayak ‘plogging’”, a nova atividade do Viana Garças, clube onde é dirigente e treinador, para incentivar à recolha de lixo no rio Lima, em Viana do Castelo.

Foto: Divulgação

“No final do treino distribuímos sacos pelos miúdos e, durante 10 a 15 minutos, damos umas pagaiadas para recolher o lixo que encontramos no rio. No final, surpreendem-se com a quantidade de lixo recolhida”, afirmou hoje à Lusa o campeão do mundo de maratona de sub-23 em C1.

O jovem canoísta dá o “exemplo”, ensinando os jovens a “cuidarem do ambiente”.

“O kayak ‘plogging’ é simples, divertido e ao mesmo tempo que o praticamos contribuímos para uma comunidade mais limpa, mais ecológica e mais agradável”, referiu o atleta que, em 2019, vai ser inscrito pelo Viana Garças Clube.

O secretário do clube, José Alberto Araújo, disse tratar-se de uma atividade “pioneira”, inspirada no ‘plogging’ que já era desenvolvida nas margens do rio Lima.

“No clube já havia a preocupação de recolher todo o lixo que os atletas iam encontrando no rio durante os treinos. Agora passou a ser uma prática regular. No final dos treinos, os atletas já vão munidos de um saco com a intenção de apanhar tudo o que encontrarem nas águas do rio, a partir dos kayaks que utilizam diariamente”, explicou.

Através do kayak ‘plogging’, os 30 atletas do clube têm vindo a recolher no rio “sobretudo plástico e algum vidro”.

Fundado a 28 de dezembro de 2017, o Viana Garças Clube tem três núcleos, em Darque e Santa Marta de Portuzelo, ambos no concelho de Viana do Castelo, e outro em Valença.

“Em Valença, iremos lançar uma outra atividade no rio Minho relacionada com as espécies invasoras”, adiantou.

José Alberto Araújo destacou a importância da participação de Sérgio Maciel na mobilização dos atletas, “combinando a atividade física de pagaiar com a recolha de lixo”.

Em setembro, Sérgio Maciel, de 20 anos de idade, conquistou a medalha de ouro, em C1, no mundial de maratona que decorreu na Vila de Prado, Vila Verde.

Sérgio Maciel campeão sub-23 em Prado. Foto: Facebook de Jaime C. Pereira

Em 2017, o canoísta natural de Viana do Castelo sagrou-se vice-campeão do mundo, em Pietermaritzburgo, na África do Sul. Sérgio Maciel acumula vários pódios europeus e mundiais nos escalões de júnior e sub-23.

Em 2016, Sérgio Maciel ficou conhecido por um gesto de ‘fair play’ que lhe valeu o Prémio de Ética no Desporto, atribuído pelo Comité Olímpico Português.

O jovem, então com 18 anos, ao aperceber-se que um colega de equipa não tinha cruzado devidamente a meta, esperou por ele dando-lhe a vitória.

Continuar a ler

Populares