Seguir o O MINHO

Braga

Feirantes entregam na Câmara de Braga abaixo-assinado com mil subscritores

Protesto

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Os feirantes do mercado municipal de Braga estão insatisfeitos com a alocação provisória das bancas para a Alameda do Estádio Municipal, manifestando-se durante os dois últimos dias em frente à sede da autarquia.

Este sábado, insatisfeitos com as respostas do município, lançaram um abaixo-assinado e recolheram já mais de mil assinaturas, numa ação de recolha junto ao mercado municipal em obras, ao longo desta manhã.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Hélder Oliveira, porta-voz, disse a O MINHO que o documento realça que a mudança, das ruas contíguas ao mercado para junto do estádio, não se vai dar, o que “prejudica não só os cem comerciantes, mas também a população de Braga”.

Texto do Abaixo-Assinado

Os abaixo-assinados, na qualidade de feirantes, que exercem a sua atividade laboral à volta do Mercado Municipal de Braga, vêm por este meio requerer a Vossa Excelência o seguinte:

Com o início da remodelação do Mercado Municipal de Braga, os abaixo-assinados, feirantes, que até ali tinham a sua atividade laboral fixada à volta deste Mercado, foram obrigados a alterar de local.

Tomaram recentemente conhecimento de que o seu novo local de trabalho seria junto ao novo Estádio Municipal de Braga, sito em Real.

Ora, esta alteração é altamente prejudicial, não só para todos os feirantes, como para a própria população de Braga, pois assim esta ficará privada da sua habitual feira no centro da cidade.

Com efeito, tal alteração não será aceite de forma alguma, tanto por parte dos feirantes, como pela população em geral, dado que tal deslocalização implica sérios prejuízos para a atividade destes empresários e, em consequência, irá afetar igualmente a população de Braga, pois é notório a diferença de fluxo de pessoas a passar no referido Estádio, comparativamente com o local de sempre, junto ao Mercado Municipal.

Está aqui em causa, não só a sobrevivência do Mercado, mas também a sobrevivência de cerca de 90 famílias que dependem exclusivamente desta feira, a qual tem lugar às quintas-feiras e sábados da parte de manhã.

Queremos ainda lembrar que esta feira junto ao Mercado Municipal já se desenvolve neste local há dezenas ou mesmo centenas de anos.

Neste sentido, os abaixo-assinados vêm apelar ao Excelentíssimo Presidente da Câmara Municipal de Braga que permita e garanta a continuidade desta atividade no seu local habitual, ou seja, em redor do Mercado Municipal, continuando assim a beneficiar a população de Braga.

Anúncio

Braga

Grupo acusado de roubar carros para vender peças nas zonas de Braga e Porto

13 arguidos

em

Foto: Ilustrativa / DR

O Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Penafiel deduziu acusação contra 13 pessoas por furto e desmantelamento de automóveis para venda das peças e para reconstrução de veículos acidentados, anunciou hoje a Procuradoria Regional do Porto.

Os crimes foram consumados pelo menos entre março e setembro de 2019, e, segundo o DIAP, os arguidos operavam a partir de seis locais distintos: dois armazéns e um stand de automóveis em Paços de Ferreira (distrito do Porto), um negócios de peças auto em Esposende (Braga), uma oficina de reparação automóvel em Vila do Conde e outra na Póvoa de Varzim (Porto).

Tinham uma liderança perfeitamente definida e “formaram um grupo coeso”, pelo que estão todos acusados pela prática do crime de associação criminosa.

Doze deles respondem ainda por crimes de recetação, 10 por falsificação, um por burla qualificada tentada e simulação de crime, dois por tráfico de menor gravidade, um por condução sem carta e outro por detenção de arma proibida.

A acusação, sintetizada na página eletrónica da Procuradoria do Porto, sustenta que sete dos 13 arguidos “transportaram, ocultaram, transformaram e viciaram” 13 veículos, todos subtraídos aos seus proprietários em diversos locais dos distritos do Porto e de Braga, com o valor global de 353.200 euros.

Ainda segundo o DIAP, cinco outros arguidos receberam componentes e peças provenientes do desmantelamento destes veículos, para posterior revenda a terceiros.

Um dos arguidos, assinala a acusação, entregou para desmantelamento o seu próprio veículo, após o que denunciou falsamente às entidades policiais que esse veículo automóvel lhe fora furtado.

Munido desta denúncia, avançou com uma participação à companhia de seguros, tentando com isso o ressarcimento do prejuízo invocado (21.149 euros), no âmbito de contrato de seguro que cobria o risco de furto.

Continuar a ler

Braga

Vieira do Minho isenta restaurantes das taxas de água, resíduos e saneamento

Coivd-19

em

Foto: Divulgação / CM Vieira do Minho

VIEIRA DO MINHO: Proposta de isenção de taxas de água, resíduos e saneamento da restauração

A Câmara Municipal de Vieira anunciou hoje que vai propor na reunião do executivo de quarta-feira a isenção aos empresários da restauração do pagamento da taxa de água, saneamento e resíduos até ao final do ano de 2020, a pedido dos interessados.

Na proposta, assinada pelo presidente da autarquia, António Cardoso, é esclarecido que o mesmo apoio já tinha sido concedido à atividade económica empresarial e comercial, durante o período de emergência nacional provocada pela pandemia de covid-19.

Embora a aprovação desta isenção resulte “em perda de receita municipal”, no entender da autarquia, este é “um dos setores do tecido económico local que mais está a ser afetado pela atual conjuntura, daí a aplicação desta medida excecional de apoio”

Continuar a ler

Braga

Amares apresenta medidas de apoio à retoma económica e às famílias

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

A Câmara de Amares anunciou hoje que, “excecional e temporariamente”, vai isentar as taxas aplicáveis ao mercado municipal, feira semanal, esplanadas e rendas de estabelecimentos comerciais instalados em espaços municipais.

Em comunicado, a autarquia esclarece que a decisão de suspensão de pagamentos associados a estas atividades económicas insere-se num conjunto de medidas de apoio às famílias e empresários do concelho com vista a minimizar o impacto da pandemia provocada pela covid-19, quer a nível social, quer a nível económico, e poderá vir a representar um apoio ao setor “na ordem dos 28 mil euros”.

Para o presidente do município de Amares, Manuel Moreira, “esta é mais uma medida de justiça perante os empresários que viram as suas atividades suspensas durante os meses mais críticos da covid-19”.

Para fazer face às dificuldades financeiras das famílias, foi também aprovada uma isenção excecional do pagamento dos serviços de abastecimento de água, drenagem de águas residuais e recolha de resíduos sólidos urbanos aos consumidores singulares que iniciaram situação de desemprego nos meses de março, abril, maio e junho de 2020. A concessão da isenção deverá ser objeto de requerimento.

Continuar a ler

Populares