Seguir o O MINHO

Futebol

Federação Portuguesa de Futebol suspende Supertaça Cândido de Oliveira

Pandemia

em

Foto: DR

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou hoje a suspensão da Supertaça Cândido de Oliveira, que deveria abrir a temporada de 2020/21, para “aliviar o calendário” das equipas que terão jogos europeus em setembro.

Em comunicado, a FPF dá conta de um entendimento entre FC Porto e Benfica, finalistas da Taça de Portugal e, respetivamente, primeiro e segundo classificados da I Liga portuguesa, que disputariam o troféu no arranque da próxima época.

“FPF e os clubes chegaram a um entendimento e acordaram a suspensão do jogo em nome dos interesses do futebol português, uma vez que em setembro haverá jogos referentes às competições europeias”, pode ler-se no comunicado.

Os adiamentos do arranque da Liga dos Campeões e da Liga Europa da próxima temporada devem-se aos efeitos da pandemia de covid-19 na atual época, suspensa por vários meses, terminando em agosto com ‘finais a oito’, da ‘Champions’ em Lisboa e da Liga Europa na Alemanha.

“Aliviar o calendário das equipas portuguesas nessa fase da época é um dos objetivos da decisão tomada em defesa da posição de Portugal no ranking da UEFA”, acrescenta.

Os ‘encarnados’ são os atuais detentores do troféu, depois de vencerem por 5-0 o Sporting em 04 de agosto de 2019, no que foi a 41.ª edição do troféu, que habitualmente ‘abre’ a temporada futebolística em Portugal.

Instituída em 1979 e ‘apadrinhada’ pela FPF em 1981, a Supertaça Cândido de Oliveira é disputada entre o vencedor do campeonato e o vencedor da Taça de Portugal, ou, se um clube fizer a ‘dobradinha’, entre esse campeão e o finalista da Taça.

Os ‘dragões’ são os recordistas de vitórias, com 21, contra oito triunfos de Benfica e Sporting, enquanto o Boavista conquistou três edições e o Vitória de Guimarães uma, para completar o palmarés de vencedores.

A decisão foi hoje anunciada pela FPF, que também comunicou a passagem da final da Taça de Portugal para o Estádio Cidade de Coimbra, no dia 01 de agosto, depois de ter sido adiada devido à pandemia, no que será o primeiro ano desde 1982/83 que a final da Taça não decorre no Estádio Nacional.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 511 mil mortos, incluindo 1.579 em Portugal.

Anúncio

Futebol

“Super” Vizela vence Penafiel e é terceiro à condição na II Liga

O Vizela venceu hoje o Penafiel 3-1, na 16.ª jornada da II Liga de futebol, num jogo em que começou a perder e em que os seus centrais estiveram em evidência, ao marcarem todos os seus golos.

Bruno César, ex-jogador do Sporting e do Benfica, que seria expulso no final da primeira parte, colocou o Penafiel em vantagem, aos 18 minutos, mas Matheus (35 e 84) e Aidara (72) operaram a reviravolta para o Vizela.

Os minhotos sobem provisoriamente ao terceiro lugar (o Feirense só joga domingo, frente ao FC Porto B) e já espreitam o segundo classificado (Académica, a quatro pontos), cavando um fosso de quatro pontos para os adversários de hoje, quintos classificados.

O Vizela continua a sua espetacular campanha no regresso à II Liga, somando a quarta vitória consecutiva e o oitavo jogo sem perder, enquanto o Penafiel registou a terceira derrota seguida no campeonato.

O jogo começou a um ritmo intenso e muito disputado a meio-campo, mas com um ascendente para os visitantes, que o materializaram aos 18 minutos, com um grande golo de Bruno César, que rematou de primeira, à entrada da área, após assistência de Gustavo Henrique.

A equipa da casa lidava mal com a agressividade do Penafiel e sentia muitas dificuldades em ligar o jogo.

O seu primeiro lance de algum perigo só surgiu aos 33 minutos, com Cassiano a cabecear ao lado, lance que precederia o golo do Vizela: livre cobrado por Marcos Paulo e Matheus, de cabeça, igualou a partida, aproveitando bem a má saída de Luís Ribeiro da baliza (35).

Antes do intervalo, Bruno César viu dois cartões amarelos no espaço de pouco mais de cinco minutos, pelo que o Penafiel jogou toda a segunda parte com menos uma unidade.

A equipa de Pedro Ribeiro aguentou a investida do Vizela até aos 72 minutos, quando, na sequência de um canto, e de um amortecimento ao segundo poste, Aidara rematou no ‘coração’ da área, sem hipóteses de defesa para Luís Ribeiro.

Matheus ‘bisaria’ na partida, quando, aos 84 minutos, entrou de rompante ,após um canto de Marcos Paulo, e, novamente de cabeça, sentenciou o resultado final para a turma de Álvaro Pacheco.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio do FC Vizela.

Vizela – Penafiel, 3-1.

Ao intervalo: 1-1.

Marcadores:

0-1, Bruno César, 18 minutos.

1-1, Matheus, 35.

2-1, Aidara, 72.

3-1, Matheus, 84.

Equipas:

– Vizela: Pedro Silva, João Pedro (Ericson, 83), Matheus, Aidara, Kiki, Marcos Paulo, Samu, André Soares (Cardozo, 83), Francis Cann (Kiko Bondoso, 57), Tavinho (Richard Ofori, 88) e Cassiano (Diogo Ribeiro, 82).

(Suplentes: Ivo, Marcelo, Ericson, David, Leonel Mosevich, Kiko Bondoso, Richard Ofori, Cardozo e Diogo Ribeiro).

Treinador: Álvaro Pacheco.

– Penafiel: Luís Ribeiro, Denis, David Santos, Paulo Henrique, Coronas (Alan Schons, 76), Bruno César, João Amorim, Simão, Pedro Prazeres (Robinho, 76), Gustavo Henrique (Ronaldo, 69) e Pedro Soares (Vitinha, 46).

(Suplentes: Emanuel Novo, Vitinha, Cassiano, Leandro, Alan Schons, Rafa Sousa, Robinho e Ronaldo).

Treinador: Pedro Ribeiro.

Árbitro: João Pinheiro (Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Pedro Prazeres (39), Bruno César (40 e 45+1), Samu (62), Kiko Bondoso (90+1), Denis (90+1). Cartão vermelho por acumulação de cartões amarelos para Bruno César (45+1).

Continuar a ler

Futebol

“Parte do relvado era para patinagem artística”

Carlos Carvalhal

Imagem: Next / SC Braga

Declarações após o jogo Paços de Ferreira-SC Braga, que terminou com a vitória dos pacenses, por 2-0, da 14.ª jornada da I Liga de futebol:

Carlos Carvalhal (treinador do SC Braga): “Antes de mais, quero dar os parabéns ao Paços pela vitória. Fizemos uma abordagem boa, dominámos completamente na primeira parte, com quatro boas oportunidades para marcar, e não permitimos que o Paços chegasse perto da nossa baliza.

O Esgaio e o Galeno são importantes nos corredores e sentiram dificuldades em cada uma das partes, porque houve um corredor que não deu para jogar.

Quem marcasse primeiro, em função das condições do relvado, ficaria com vantagem, porque depois bastava defender apenas numa parte do relvado, uma vez que do outro era patinagem artística.

Criámos boas oportunidades, entrámos bem na segunda parte, o Abel podia ter marcado, depois há o golo do Paços e, animicamente, acabámos por cair um pouco. No momento em que íamos fazer as substituições, sofremos o segundo. Houve uma reação da nossa parte, tentámos até ao final chegar à baliza, mas o Paços começou a jogar em contra-ataque”.

Pepa (treinador do Paços de Ferreira): “Jogámos contra uma equipa tremenda, que tem um treinador de excelência e só um Paços a roçar a perfeição conseguiria ganhar.

Vencemos com a inteligência dos jogadores. Entrámos com as linhas juntas, sabíamos que íamos ter dificuldades, porque o Braga varia muito o sistema. Já o tinha dito na antevisão que íamos defrontar um adversário muito complexo, que varia o sistema com facilidade e com os mesmos jogadores.

Na segunda parte, percebemos o que tínhamos a fazer, alargando mais o campo para dar espaço para os nossos interiores, e o golo do Bruno surgiu com esse espaço alargado que demos ao jogo, o que nos deu confiança.

O melhor que nos podia ter acontecido foi o zero na nossa baliza, depois tivemos mais bola na segunda parte e os golos surgiram com naturalidade.”

Continuar a ler

Futebol

Relvado gelado obriga a adiar jogo do Vitória para amanhã

I Liga

Imagem: Sport TV

O jogo Vitória SC-Farense, da 14.ª jornada da I Liga de futebol, foi hoje adiado para as 18:00 de domingo, devido ao gelo existente sob parte do relvado do estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

“Relvado condicionado pelo gelo adia o jogo Vitória SC-SC Farense. O encontro está agora agendado para domingo, às 18:00”, lê-se numa mensagem publicada pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional, na rede social Twitter.

Depois de ter atrasado o início da partida por 30 minutos, o árbitro Fábio Veríssimo voltou ao relvado às 18:30 e entendeu não estarem reunidas as condições para o encontro entre minhotos e algarvios se realizar hoje.

O gelo encontra-se em torno de uma das grandes áreas, junto à bancada sul do Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, onde a exposição solar do relvado é menor.

Alguns funcionários do clube tentaram derreter esse gelo, resultante da temperatura a rondar os zero graus que se tem sentido na ‘cidade berço’, com picadores e com água quente, mas abandonaram esse esforço mal Fábio Veríssimo deixou pela segunda vez o relvado.

Vitória, sexto classificado da I Liga, com 20 pontos, e Farense, 13.º, com 12, fizeram os exercícios de aquecimento, mas recolheram aos balneários por volta das 18:00, regressando somente ao relvado do Estádio D. Afonso Henriques no domingo.

Continuar a ler

Populares