Seguir o O MINHO

Futebol

FC Porto vence Taça de Portugal

Vitória sobre o Benfica

em

O FC Porto somou hoje a oitava ‘dobradinha’ da sua história, ao conquistar em Coimbra a final da 80.ª edição da Taça de Portugal, frente ao Benfica (2-1), depois de já ter arrebatado o campeonato.


A formação comandada por Sérgio Conceição, que ganhou a edição 2019/20 do campeonato com mais cinco pontos do que os ‘encarnados’, reeditou algo que os ‘dragões’ não conseguiam desde 2010/11, então comandados por André Villas-Boas.

Nessa temporada, os portistas ganharam o título invictos, com 27 triunfos e três empates, e, no Jamor, golearam o Vitória de Guimarães por 6-2, em 22 de maio de 2011, quatro dias após o triunfo na Liga Europa, também num jogo decisivo face a um conjunto minhoto, o Sporting de Braga (1-0).

Em 2010/11, os ‘azuis e brancos’ arrebataram ainda a Supertaça Cândido de Oliveira, a abrir a época, em Aveiro, ao baterem o Benfica, de Jorge Jesus, por 2-0.

Quanto a ‘dobradinhas’, a selada no Jamor pelo ‘onze’ de André Villas-Boas, com tentos de James Rodríguez, autor de um ‘hat-trick’, Silvestre Varela, Rolando e Hulk, foi a sétima do clube ‘azul e branco.

Antes, o FC Porto já tinha conquistado o campeonato e a Taça de Portugal na mesma época em 1955/56, 1987/88, 1997/98, 2002/03, 2005/06 e 2008/09.

A primeira aconteceu sob o comando do brasileiro Dorival Yustrich, que ganhou o campeonato em igualdade pontual com o ‘vice’ Benfica e, na Taça, bateu na final o Torreense, nessa altura primodivisionário, por 2-0, com um ‘bis’ de Hernâni.

Trinta e dois anos depois, com o jugoslavo Tomislav Ivic ao comando, os ‘dragões’ impuseram-se facilmente no ‘nacional’, somando mais 15 pontos do que os ‘encarnados’, que também superaram nas meias-finais da Taça (1-0 em casa).

No Estádio Nacional, um golo de Jaime Magalhães, aos 83 minutos, selou a segunda ‘dobradinha’ dos ‘dragões’, face ao Vitória de Guimarães (1-0).

A terceira chegou 10 anos depois e foi a primeira conseguida por um treinador português. Com António Oliveira ao ‘leme’, o FC Porto selou o ‘tetra’ com mais nove pontos do que o Benfica, e, na final do Jamor, com Sérgio Conceição no ‘onze’, impôs-se ao Sporting de Braga por 3-1.

Os ‘dragões’ voltaram a ganhar as duas principais provas do calendário luso em 2002/03, época em que, liderados por José Mourinho, somaram mais 11 pontos do que o Benfica na I Liga e superaram a União de Leiria por 1-0 na final da Taça de Portugal, graças a um tento do ex-leiriense Derlei.

Na primeira temporada completa de ‘Mou’ nas Antas, o FC Porto já chegou ao Jamor com dois troféus, pois também arrecadou a outra competição que disputou, a Taça UEFA, ao bater em Sevilha o Celtic por 3-2, após prolongamento.

Os portistas ‘tomaram-lhe o gosto’ e conseguiram mais duas ‘dobradinhas’ com intervalos de três anos, a primeira em 2005/06, liderados por Co Adriaanse.

Mesmo derrotado duas vezes no campeonato pelo compatriota Ronald Koeman (0-2 no Dragão e 0-1 na Luz), o holandês levou o FC Porto ao título com mais sete pontos do que o Sporting e 12 face ao Benfica, para fechar a época com um 1-0 ao Vitória de Setúbal, graças a um golo do brasileiro Adriano.

Em 2008/09, a penúltima ‘dobradinha’ foi selada sob o comando de Jesualdo Ferreira, que somou mais quatro pontos do que o Sporting na I Liga e bateu o Paços de Ferreira por 1-0 (golos de Lisandro López) no Jamor.

Hoje, em Coimbra, à porta fechada devido à pandemia de covid-19, um ‘bis’ de Mbemba fez o FC Porto voltar às ‘dobradinhas’ e reforçar o segundo lugar do ‘ranking’, a três do recordista Benfica e com mais duas do que o Sporting.

Os ‘dragões’, que não venciam a Taça desde 2010/11, quando tinha feito a última ‘dobradinha’, somou o 17.º troféu e igualou o Sporting, ficando a nove do Benfica, que é o recordista de troféus.

Ficha de Jogo

Final da Taça de Portugal
80.ª edição
SL Benfica 1-2 FC Porto
Estádio Cidade de Coimbra.

Marcadores: 0-1, Mbemba (47″); 0-2, Mbemba (59″); 1-2: Vinicius (83″, penálti)

Árbitro: Artur Soares Dias.

SL Benfica: Vlachodimos; André Almeida, Ruben Dias, Jardel e Nuno Tavares; Weigl (Vinicius, 60″), Gabriel, Pizzi (Jota, 76″) e Cervi; Chiquinho (Taarabt, 60″) e Seferovic (Dyego, 76″).
Suplentes: Svilar, Tomás Tavares, Ferro, Florentino, Taarabt, Rafa, Jota, Dyego Sousa e Vinicius.

FC Porto: Diogo Costa; Manafá, Pepe, Mbemba e Alex Telles; Danilo e Uribe (Loum, 88″); Corona (Sérgio Oliveira, 80″), Otávio (Diogo Leite, 73″) e Luis Díaz (expulso aos 38″); Marega.
Suplentes: Marchesín, Diogo Leite, Romário Baró, Aboubakar, Loum, Sérgio Oliveira, Soares, João Mário e Vítor Ferreira.

Cartões amarelos: Luis Díaz (9″ e 38″), Ruben Dias (12″), Jardel (44″), Weigl (46″), Vinicius (75″), Alex Telles (90″).
Cartão vermelho: Luis Díaz (38″)

Anúncio

Futebol

“Temos a certeza que o Braga vai animar o campeonato”

Carlos Carvalhal

em

Foto: SC Braga

Declarações dos treinadores do FC Porto e do Sporting de Braga, Sérgio Conceição e Carlos Carvalhal, respetivamente, no final da partida da primeira jornada da I Liga portuguesa de futebol, que os ‘dragões’ venceram por 3-1:

Carlos Carvalhal (treinador SC Braga): “A palavra chave é o detalhe. No início, tivemos sempre o jogo controlado, não demos espaço entre linhas, e depois de estarmos a ganhar, acabámos por abrir para o FC Porto marcar.

Na segunda parte, ainda tivemos um remate do Ricardo Horta, que passou junto ao poste e uma outra jogada de Abel Ruiz, que podiam ter feito a partida ser diferente.

A minha proposta de ganhar o jogo foi posta em prática pelos jogadores, que foram bravos e valentes, mas defrontámos o campeão nacional, que é uma equipa muito forte.

Houve coisas positivas, como o nosso golo, que foi bonito, e outras coisas para ratificar, nomeadamente a questão dos detalhes que temos de trabalhar, porque temos a certeza que o Braga vai animar o campeonato.

O Paulinho não recuperou a tempo, há jogadores com apenas algumas semanas de trabalho e atrasados na recuperação, e outros lesionados, como Gaitan ou o Rui Fonte.

Alguns dos que apresentámos tiveram de acelerar a sua preparação, mas globalmente estou satisfeito com a prestação da equipa, mas insatisfeito com o resultado que me parece pesado.

Tenho certeza que vamos melhorar, se colocarmos toda a nossa energia em jogo, vamos mostrar o nosso real valor. O Braga é uma equipa competitiva, que pode discutir os três pontos com qualquer adversário, em Portugal e na Europa.”

Sérgio Conceição (treinador do FC Porto): “Foi um jogo bem disputado, estou feliz com esse facto, e com pena por não ter pessoas no estádio para ver duas boas equipas.

Entrámos bem na partida e tivemos ocasiões para fazer golos antes do Braga, com a equipa a perceber a ocupação dos espaços e a ter inteligência para recuperar bola, mas acabámos por sofrer no primeiro remate enquadrado do adversário.

Fomos à procura do empate, para depois conseguir algo mais, porque era importante não perder no intervalo, e com mérito no último terço, fizemos dois golos e podíamos ter feito mais.

Na segunda parte, o Sporting de Braga teve ocasiões, mas controlámos bem o jogo, e ainda chegámos a mais um golo, e se tivéssemos um pouco mais de critério podíamos ter feito mais. Foi um triunfo justo.

[Sobre a eventual saída de Alex Telles] O clube não me disse nada e estou tranquilo com o trabalho que temos feito com os jogadores.

Tenho de realçar o profissionalismo do Alex, que, apesar das notícias, fez um jogo muito competente, tal como a equipa. Tenho um grupo de jogadores com muito caráter, que sei que até ao último dia no clube, quer seja amanhã ou daqui a 10 anos, vão dar o máximo.

[sobre a ausência do público] Todos esperávamos ter público nos estádios, mas é uma coisa que não podemos controlar. O futebol é muito regulado, eu já fiz 23 testes [de despiste à covid-19], mas que o [Carlos] Carvalhal, e também tenho familiares na área da saúde e nunca foram testados.

Fico triste pelos adeptos, que não podem assistir a bons jogos como este. É uma atmosfera diferente, e apesar de quando começa o jogo os jogadores esquecerem tudo isso, no final é mau para o espetáculo.

[Sobre os reforços Taremi e Zaidu que se estrearam] Estiveram bem. Com todo o respeito com o Rio Ave e com o Santa Clara, jogar num clube com o FC Porto é diferente. O trabalho diário, a ambição e a exigência é outra. Mas, normalmente, os jogadores que vamos buscar, também pelo seu caráter, adaptam-se.

O Taremi é muito inteligente nas movimentações, procurando espaços onde não há, e o Zaidu é um jovem com muito potencial. Está em estado diferente de preparação, mas conto com eles.”

Continuar a ler

Futebol

SC Braga perde no ‘dragão’ com dois penáltis contra e um golo anulado

Futebol

em

Foto: Twitter de SC Braga

O SC Braga perdeu neste sábado frente ao FC Porto por 3-1, no Estádio do Dragão, num jogo marcado por um golo anulado a Abel Ruiz, por fora de jogo, e onde os nortistas marcaram dois golos de penálti.

O SC Braga, que surgiu com os reforços Castro e Al Musrati no ‘onze’, não tinha conseguido, até então, encaixar os seus contra-ataques, mas revelou-se letal na primeira jogada consistente que desenhou, conseguindo inaugurar o marcador, aos 21 minutos.

Também numa jogada de envolvência, construída por Ricardo Esgaio e Sequeira, o reforço Castro surgiu à entrada da área para desferir um remate certeiro, embora não festejando o 1-0, pela ligação emocional ao FC Porto, que representou na fase inicial da carreira.

O lance desestabilizou os ‘dragões’, que, dois minutos depois, viram o bracarense Abel Ruiz introduzir a bola na baliza portista, mas com o lance a ser invalidado por fora de jogo.

Apesar do calafrio, o FC Porto só conseguiu responder à contrariedade já no período de descontos, operando a reviravolta em menos de três minutos.

Aos 45+1, Sérgio Oliveira desviou de cabeça um cruzamento de Alex Telles, para resgatar o empate, e, aos 45+4, foi o defesa brasileiro a colocar a equipa portuense em vantagem, apontando o 2-1, numa grande penalidade a castigar falta de Raul Silva sobre Marega.

Logo após o intervalo, os minhotos reentraram no jogo apostados em recuperar e, em dois minutos, Ricardo Horta, depois de tirar dois adversários do caminho, surgiu isolado frente o guarda-redes Marchesin, mas desperdiçou rematando por cima.

Em vantagem, os ‘azuis e brancos’ não foram tão pressionantes, chegando até a dar a iniciativa ao Braga, para poder, depois, explorar, em contra-ataque, os espaços deixados pelo adversário.

Nesta toada, o desafio perdeu alguma intensidade, até porque os minhotos, mesmo com a entrada do reforço Schettine integrado no ataque e desfazendo o inicial esquema de três centrais, sentiam dificuldades na definição final das suas movimentações ofensivas.

Perante a incapacidade do adversário em chegar ao empate, o FC Porto acabou por desfazer as dúvidas sobre o desfecho do jogo já aos 89 minutos, com Alex Telles a ‘bisar de grande penalidade, para o 3-1, após falta de Tormena sobre Taremi, que, um minuto após ter entrado para se estrear de ‘dragão’ ao peito, foi derrubado na área.

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Estádio do Dragão, no Porto.

FC Porto – SC Braga, 3-1.

Ao intervalo: 2-1.

Marcadores:

0-1, Castro, 21 minutos.

1-1, Sérgio Oliveira, 45+1.

2-1, Alex Telles, 45+4 (grande penalidade).

3-1, Alex Telles, 89 (grande penalidade).

Equipas:

– FC Porto: Marchesín, Manafá, Mbemba, Pepe, Alex Telles, Danilo, Uribe (Loum, 86), Sérgio Oliveira (Zaidu, 71), Otávio (Fábio Vieira, 90+2), Corona (Taremi, 87) e Marega.

(Suplentes: Diogo Costa, Diogo Leite, Zaidu, Loum, João Mário, Fábio Vieira, Soares, Evanilson e Taremi).

Treinador: Sérgio Conceição.

– SC Braga: Matheus, David Carmo, Bruno Viana, Raúl Silva (André Horta, 61), Ricardo Esgaio, Al Musrati (Iuri Medeiros, 78), Fransérgio, Castro (Galeno, 61), Sequeira (Vítor Tormena, 78), Abel Ruiz (Guilherme Schettine, 61) e Ricardo Horta.

(Suplentes: Tiago Sá, Vítor Tormena, Rolando, Moura, João Novais, André Horta, Iuri Medeiros, Galeno e Guilherme Schettine).

Treinador: Carlos Carvalhal.

Árbitro: João Pinheiro (AF Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Bruno Viana (11), Ricardo Esgaio (60), Sérgio Oliveira (68), André Horta (72) e David Carmo (79). Cartão vermelho direto para Raúl Silva (75, no banco dos suplentes).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

(notícia atualizada às 00h07)

Continuar a ler

Futebol

Vizela goleado pelo Porto B

II Liga

em

Foto: DR

FC Porto estreou-se esta sexta-feira a vencer na II Liga portuguesa de futebol, com uma goleada, por 4-1, frente ao Vizela, na segunda jornada da prova.

Os portistas, que no primeiro jogo não conseguiram ir além de uma derrota em casa do Varzim, por 1-0, somam assim a primeira vitória na prova, apresentando uma exibição bem conseguida e com muitos momentos de golo.

O Vizela, por outro lado, no primeiro jogo recebeu e venceu a Oliveirense, por 2-1, não conseguindo agora contrariar a supremacia da equipa ‘azul e branca’.

As ameaças à baliza de Ivo começaram muito cedo, mas o golo só surgiu aos 25 minutos, por intermédio de Rodrigo Valente. A jogada começou no lado direito, nos pés do reforço Danny Loader, que lançou Francisco Conceição, acabando por fazer o trabalho quase todo. O avançado, de 17 anos, filho de Sérgio Conceição, deixou a bola para Rodrigo Valente, que apenas teve que encostar.

Pouco passava da meia hora e Matheus travou em falta Danny Loader dentro da grande área. O árbitro prontamente assinalou a marcação de grande penalidade e mostrou o segundo amarelo ao jogador do Vizela, ficando a equipa a jogar com 10.

O jogador inglês do FC Porto B foi chamado a marcar o castigo e não desperdiçou a oportunidade, fazendo o segundo dos ‘dragões’.

Ainda antes do intervalo, Johan Gómez praticamente ‘carimbou’ a vitória portista, ao fazer o terceiro golo do FC Porto B.

Na segunda parte manteve-se a pressão dos portistas, no entanto, e depois das saídas de Francisco e Rodrigo Conceição, a equipa ressentiu-se e permitiu ao Vizela subir no terreno. Aos 73 minutos, Koffi Kouao reduziu.

Mas a formação comandada por Rui Barros não desistiu e voltou a marcar. Igor Cássio, que havia entrado na segunda parte, aproveitou da melhor forma um passe de Mor N’diaye e fez o quarto dos portistas.

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Estádio Municipal Dr. Jorge Sampaio, em Vila Nova de Gaia.

FC Porto B – Vizela, 4-1

Ao intervalo: 3-0.

Marcadores:

1-0, Rodrigo Valente, 25 minutos.

2-0, Danny Loader, 33 (grande penalidade).

3-0, Johan Gómez, 37.

3-1, Koffi Kouao, 73.

4-1, Igor Cássio, 85.

Equipas:

– FC Porto B: Ricardo Silva, Rodrigo Conceição (Rodrigo Pinheiro, 71), Pedro Justiniano, João Marcelo, Diogo Bessa, Francisco Conceição (Angel Torres, 71), Mor N’diaye, Rodrigo Valente, Johan Gómez (Diogo Ressurreição, 81), Boateng (Igor Cássio, 59) e Danny Loader (Gonçalo Borges, 81).

(Suplentes: Ivan Cardoso, Tiago Matos, Angel Torres, Gonçalo Borges, Rodrigo Pinheiro, Carlos Gabriel, Diogo Ressurreição, Gonçalo Brandão e Igor Cássio.

Treinador: Rui Barros.

– Vizela: Ivo Gonçalves, Ofori (Kiki, 46), Matheus, Aidara, Koffi Kouao, Marcos Paulo, Samu, Zag (Ericson, 46), João Pais (Marcelo, 34), Diogo Ribeiro (Cassiano, 56) e André Soares (Tavinho, 46).

(Suplentes: Pedro Silva, Tavinho, Cassiano, Cardoso, Marcelo, Ericson, Kiki, João Pedro e Francis Cann).

Treinador: Álvaro Pacheco.

Árbitro: Flávio Lima (AF Algarve).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Ofori (12), Francisco Conceição (14), Matheus (21 e 32), Zag (27), Tavinho (54), Rodrigo Conceição (63). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Matheus (32)

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Continuar a ler

Populares