Seguir o O MINHO

Futebol

FC Porto sofre, mas sai ‘vivo’ de Leverkusen

Liga Europa

em

Imagens via Sport TV

Um golo de Luis Díaz manteve hoje o FC Porto na luta pelo apuramento para os oitavos de final da Liga Europa de futebol, apesar da derrota em casa do Bayer Leverkusen, por 2-1.


Na primeira mão dos 16 avos de final, Alario (29 minutos) e Havertz (57), na marcação de uma grande penalidade, marcaram os dois golos dos alemães, em dois lances com intervenção do videoárbitro, antes do tento do colombiano (73), que manteve os ‘dragões’ na luta.

Antes do encontro foi guardado um minuto de silêncio pelas vítimas do tiroteio de quarta-feira em Hanau, além de serem vistas várias mensagens de apoio ao portista Marega, após o incidente racista de Guimarães.

O treinador Sérgio Conceição alterou duas peças no ‘onze’ em relação ao triunfo sobre o Vitória SC (2-1), com as entradas de Manafá e Soares para os lugares de Otávio, castigado, e Zé Luís, que acabou por ser decisivo no golo.

Com menos um elemento no meio-campo, devido à ausência de Otávio, o FC Porto teve muitas dificuldades para criar lances de ataque, abusando no jogo longo para Marega e Soares, que raramente tiveram o apoio dos médios.

O Leverkusen, sempre com mais posse, ia conseguindo criar alguns lances de perigo, com destaque para o remate de Havertz à barra, aos 17 minutos, com Alario, na recarga, a ver Alex Telles desviar para canto.

Sempre mais agressivos sobre a bola, os ‘farmacêuticos’ iam encostando o FC Porto para perto da sua área, chegando ao golo sem grande surpresa, aos 29 minutos, por Alario, que, na sequência de um livre, encostou ao segundo poste um primeiro desvio de Demirbay.

O árbitro, após consulta do VAR, começou por anular o golo por fora de jogo, mas acabou por recuar na decisão e validar, uma vez que não havia qualquer irregularidade.

Com Corona a fletir várias vezes para o meio para dar igualdade numérica naquela zona, o FC Porto apenas conseguiu ameaçar com remates de longe, sendo que Sérgio Oliveira, aos 35 minutos, fez o primeiro remate dos ‘dragões’, para defesa segura Hradecky.

O guarda-redes finlandês brilhou oito minutos depois, com uma excelente intervenção após um forte remate de Uribe de fora da área.

Já na segunda parte, um erro de Manafá, que foi ultrapassado por Volland e acabou por cometer penálti, permitiu a Havertz a aumentar a vantagem, aos 57.

Contudo, o jovem alemão apenas converteu à segunda, uma vez que o árbitro, novamente por intervenção do VAR, acabou por mandar repetir, por o guarda-redes Marchesín ter dado um passo à frente antes de defender o primeiro remate.

Amiri, aos 60 minutos, obrigou o guarda-redes argentino a uma defesa apertada, naquele que foi praticamente o último lance de perigo do Leverkusen.

As entradas de Nakajima e Zé Luís, dentro da meia hora final, permitiram ao FC Porto melhorar e começar a aparecer mais perto da área dos alemães, sem, contudo, conseguir reais lances de perigo.

Numa bola parada, um ponto forte do seu jogo, o FC Porto acabou por reduzir, por Luis Díaz, aos 73 minutos, que com as costas, em cima da linha, a confirmar o golo, após um cabeceamento de Zé Luís, que Hradecky não conseguiu segurar.

Até ao final, o FC Porto conseguiu ter mais posse, mas sem conseguir ameaçar o golo do empate, com a qualificação para os oitavos de final a decidir-se em 27 de fevereiro, no Estádio do Dragão, no Porto.

Anúncio

Futebol

“É uma luta muito difícil”

Vítor Oliveira

em

Foto: Paulo Jorge Magalhaes / O MINHO

Declarações no final do encontro Sporting-Gil Vicente (2-1), da 29.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado no Estádio José Alvalade:

– Vítor Oliveira (treinador do Gil Vicente): “Penso que se tivéssemos marcado mais cedo podíamos ter perturbado a equipa do Sporting. Não foi possível, penso que a vitória foi justa – e é sempre justa porque o resultado reflete os golos marcados -, mas foi um jogo dividido, em que criámos três ou quatro ocasiões. O Sporting, a meio da segunda parte, teve também um período em que podia ter fechado o jogo. Teve um sabor um bocadinho amargo, porque fizemos talvez o suficiente para conseguir outro resultado.

[Sobre as contas da manutenção na I Liga] É uma luta muito difícil para as sete equipas, temos consciência de que ainda não está resolvido. Nós vamos preparar-nos para fazer mais pontos, temos consciência das dificuldades que vamos encontrar, assim como os outros clubes também vão encontrar dificuldades. Os mais competentes vão ficar e os menos competentes vão descer”.

– Rúben Amorim (treinador do Sporting): “Olho para cima e tenho um clube a nove pontos e olho para baixo e tenho um a cinco. O foco é segurar a posição, temos um calendário muito difícil e não acho que o terceiro ou até o quarto lugar esteja garantido. Não é falta de ambição. Sou realista e penso que jogo a jogo vamos fazer o caminho que temos de fazer.

Aquilo que tenho vindo a dizer é que sei que os adeptos do Sporting querem títulos. Temos até o exemplo do Liverpool, que levou muitos anos a conseguir aquilo que tem agora. Não sabemos o dia de amanhã e é difícil para os jogadores, sobretudo jovens, pensarem dois ou três jogos à frente. Desde que entrei aqui que o objetivo é que o próximo jogo é para ganhar e não há maior ambição do que essa.

[Trajetória melhor do que os rivais na retoma do campeonato] Parece que sim, mas tivemos tempo para preparar [a equipa]. Nisso a pandemia ajudou-nos um pouco. O sentido inverso é o nosso trabalho. Sofremos em todos os jogos, nunca sentimos o jogo claramente controlado, mas sofremos todos juntos e, para mim, é um prazer enorme sofrer com eles. Mais do que a técnica ou tática, por vezes é isso que faz uma equipa forte.

[Sobre a aposta em mais jogadores da formação] Sabemos que eles [Joelson Fernandes e Tiago Tomás] precisam de tirar a estreia do corpo e vão evoluir com os jogos. Temos também jogadores experientes que os ajudam nesta fase e os resultados também ajudam.

[Sobre o que tem a ensinar] Tenho tido bons jogadores, o que ajuda muito, e tenho tido sorte nos momentos certos, gente que acredita em mim, gente que acreditou aqui e foi contra outros pagando um valor alto. Não tenho nada a ensinar a eles, tenho, sim, a aprender muito”.

Continuar a ler

Futebol

Gil Vicente regressa às derrotas

Em Alvalade

em

Foto: Twitter

O Gil Vicente perdeu hoje com o Sporting, por 2-1, no jogo de encerramento da 29.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Um golo do médio brasileiro Wendel na primeira parte e outro de Gonzalo Plata logo a abrir o segundo tempo sentenciaram uma inédita sequência de quatro triunfos consecutivos para os ‘leões’ no campeonato, que reforçaram assim o terceiro lugar na prova, agora com cinco pontos de vantagem sobre o Sporting de Braga e somente a nove do ‘vice’ Benfica, quando restam cinco partidas por disputar.

Apesar de mais uma vitória segura sob o comando do treinador Rúben Amorim – que se mantém invicto de verde e branco, com cinco vitórias e um empate -, o Sporting encontrou hoje pela frente uma boa réplica do Gil Vicente. O emblema de Barcelos mostrou sagacidade e personalidade em Alvalade e ameaçou por várias vezes a baliza de Luís Maximiano, cuja atenção evitou males maiores para os anfitriões.

Sem contar com o extremo Jovane Cabral – figura de proa da equipa nos últimos encontros – por motivos físicos, o Sporting apostou em Rafael Camacho para o seu lugar. De resto, estrutura e identidade iguais a si mesmas e que se começam a consolidar em Alvalade, redundando numa entrada confiante e assertiva em campo, mas à qual se contrapôs com inusitado à-vontade um Gil Vicente ambicioso na procura da baliza ‘leonina’.

Entre a natural maior iniciativa por parte do Sporting e o atrevimento dos ‘gilistas’, sempre à procura de bolas rápidas para as costas da defesa verde e branca, os ‘leões’ acabam por chegar ao 1-0 logo numa das primeiras ocasiões, depois de ameaças por Ristovski e Coates. Uma boa jogada de Plata pela direita levou a um corte incompleto de João Afonso, ao qual Wendel respondeu com um remate de primeira, que ainda desviou no defesa e traiu o guardião Denis.

O conjunto de Vítor Oliveira não se deixou abater pelo primeiro golpe infligido pelo Sporting e até veio a colocar a bola na baliza ‘leonina’ aos 26 minutos, através de Sandro Lima, mas o lance foi anulado por fora de jogo. Poucos minutos depois, foi a vez de Luís Maximiano se aplicar a fundo para evitar o golo ‘gilista’ num remate forte de Baraye já dentro da área, impedindo que o Gil conseguisse o empate antes do intervalo.

E se o Gil Vicente deu uma boa resposta ao tento inaugural do Sporting, o segundo tempo trouxe outro duro revés para os ‘minhotos’, com o 2-0 para o conjunto de Alvalade. Depois de uma dupla ameaça de Wendel, aos 47, Plata assinou mesmo o segundo golo dos ‘leões’ aos 49, na sequência de um passe totalmente falhado por Claude Gonçalves, que caiu numa ‘terra de ninguém’, onde o equatoriano foi o mais rápido a chegar e superou a oposição de Denis.

A jovem equipa de Rúben Amorim mostrou-se mais tranquila, mas não encontrou mais o caminho do golo. Sem resolver as contas da partida, o Sporting deu esperança ao Gil Vicente, que nunca deixou de acreditar na sorte e acabou por ser premiado com o ‘tento de honra’ aos 90, numa grande penalidade concretizada por Rúben Ribeiro. Depois, já só houve tempo para as estreias de Tiago Tomás e Joelson Fernandes na equipa ‘leonina’ e para o apito final de Rui Oliveira.

Com o resultado de hoje, o Gil, que regressa às derrotas, está em 11.º, com 33, seis acima da zona de despromoção.

O Sporting soma 55 pontos no terceiro lugar, com cinco de vantagem sobre o SC Braga e a nove de distância do Benfica.

Ficha de Jogo

Jogo realizado no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

Sporting – Gil Vicente, 2-1.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores:

1-0, Wendel, 21 minutos.

2-0, Gonzalo Plata, 49.

2-1, Rúben Ribeiro, 90 (grande penalidade).

Equipas:

– Sporting: Luís Maximiano, Eduardo Quaresma, Coates, Borja, Ristovski, Matheus Nunes (Tiago Tomás, 81), Wendel (Battaglia, 81), Nuno Mendes, Rafael Camacho (Doumbia, 69), Gonzalo Plata e Soprar (Joelson Fernandes, 90+1).

(Suplentes: Renan Ribeiro, Ilori, Luís Neto, Battaglia, Miguel Luís, Tiago Tomás, Pedro Mendes, Joelson Fernandes e Doumbia).

Treinador: Rúben Amorim.

– Gil Vicente: Denis, Claude Gonçalves, Ygor Nogueira, Rodrigo, Ruben Fernandes, João Afonso (Kraev, 79), William Soares, Rúben Ribeiro, Baraye (Samuel Lino, 63), Lourency Rodrigues (Naidji, 87) e Sandro Lima (Hugo Vieira, 87).

(Suplentes: Bruno, Alex Pinto, Naidji, Hugo Vieira, Vítor Carvalho, Edwin Vente, Kraev, Samuel Lino e Ahmed Isaiah).

Treinador: Vítor Oliveira.

Árbitro: Rui Oliveira (Porto).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Samuel Lino (75) e Ygor Nogueira (90+2).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Continuar a ler

Futebol

Estádio do Dragão recebe estreia de Portugal na Liga das Nações

Com a Croácia

em

Foto: O MINHO / Arquivo

O Estádio do Dragão, no Porto, vai acolher a estreia da seleção portuguesa no grupo 3 da Liga das Nações A, diante da Croácia, anunciou hoje a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Portugal vai iniciar a defesa do título conquistado na primeira edição diante dos vice-campeões mundiais, em 05 de setembro, a partir das 19:45.

Três dias depois, em 08 de setembro, a equipa comandada por Fernando Santos desloca-se à Suécia, para o segundo embate do grupo 3, do qual também faz parte a campeã mundial, França.

A seleção nacional conquistou a primeira edição da Liga das Nações, em junho do ano passado, depois de vencer na final os Países Baixos por 1-0, com um golo de Gonçalo Guedes.

Continuar a ler

Populares