Seguir o O MINHO

Futebol

FC Porto Campeão Nacional 2019/2020

I Liga

em

O FC Porto sagrou-se hoje campeão nacional de futebol. Tomás Esteves, lateral-direito de Arcos de Valdevez, que se estreou na 27.ª jornada, conquista a sua primeira faixa.

O FC Porto recuperou de sete pontos de desvantagem para o Benfica e sagrou-se campeão da atípica I Liga de futebol de 2019/20, marcada pela covid-19, que ditou um interregno de três meses e jogos à porta fechada.

Os ‘dragões’, que começaram a prova com uma inesperada derrota por 2-1 em casa do recém-promovido Gil Vicente, levaram a melhor nos jogos com o adversário direto na corrido ao título, o Benfica, e foram superiores em momentos decisivos.

O FC Porto disfarçou o deslize em Barcelos com o triunfo em casa do Benfica (2-0), impondo à equipa da Luz os únicos pontos perdidos na primeira volta, à terceira jornada, a única que acabou com o Sporting, ainda com Bruno Fernandes, na liderança.

Os portistas chegaram pela primeira vez ao topo da I Liga à oitava jornada, com os mesmos 21 pontos do Benfica (segundo), após um triunfo por 3-0 sobre o então inusitado líder Famalicão, recém-chegado ao principal campeonato após um jejum de 25 anos.

A liderança do FC Porto foi testada e reprovada na ronda seguinte, com um empate a 1-1 em casa do Marítimo, que permitiu ao então campeão Benfica, com um robusto triunfo por 4-0 na receção ao Portimonense, ascender isolado ao primeiro posto.

Com o Sporting cedo fora da luta pelo título, Benfica e FC Porto seguiram separados por dois pontos até à 13.ª jornada, altura em que novo empate dos ‘dragões’, desta vez em casa do Belenenses SAD (1-1), deixou as ‘águias’ com quatro pontos à maior.

Na 15.ª jornada, o FC Porto venceu por 2-1 em casa do Sporting, sentenciando de uma vez por todas as aspirações dos ‘leões’, que caíram para o quarto lugar, a 16 pontos do líder, e reduziram a luta do título a um mano a mano com o Benfica.

No último jogo da primeira volta, o FC Porto perdeu na receção ao Sporting de Braga (1-2) e permitiu ao Benfica, que venceu por 2-0 em casa do rival Sporting, alargar a vantagem na liderança para sete pontos e começar a estender a passadeira para o título.

A formação da Luz estava com um pé nos ‘bis’, mas a chama portista voltou a acender-se com um triunfo obrigatório, por 3-2, na receção ao Benfica, à 20.ª jornada: os ‘dragões’ colocaram-se a quatro pontos, quando podiam ter ficado a 10.

O jogo no Dragão foi crucial para a reconquista do FC Porto, pelo qual marcaram Sérgio Oliveira, aos 10 minutos, Alex Teles, aos 38 (grande penalidade) e Vlachodimos, aos 44 (própria baliza). Vinícius, aos 18 e 50, fez os golos do Benfica.

Na jornada seguinte (21.ª), o FC Porto venceu em Guimarães (2-1) e tirou partido da segunda derrota consecutiva do comandante Benfica, em casa com o Sporting de Braga (1-0), para reduzir a desvantagem de quatro para apenas um ponto.

Em 02 de março, para a 23.ª jornada, o FC Porto vence o Santa Clara (2-0), nos Açores, e aproveitou novo deslize do Benfica, que empatou em casa com o Moreirense (1-1), para ascender à liderança isolada, com 59 pontos, mais um do que o Benfica.

O campeonato foi suspenso após a realização da 24.ª ronda, devido à pandemia de covid-19, com o FC Porto a liderar com um ponto de vantagem sobre o Benfica, e o seu reatamento só aconteceu em junho, com os jogos à porta fechada.

O desconfinamento da I Liga foi digno de um filme de suspense. O FC Porto perdeu em casa do Famalicão (2-1), abrindo a hipótese de liderança isolada ao Benfica, que jogou no dia seguinte, mas não foi além de um empate na receção ao Tondela (0-0).

O Benfica retomou o topo ‘estatístico’ da I Liga, com os mesmos 60 pontos do FC Porto, devido à diferença entre golos marcados e sofridos, mas com os ‘dragões’ em vantagem na ‘prática’, graças à vantagem do confronto direto.

Na jornada seguinte (26.ª), o FC Porto venceu em casa o Marítimo (1-0) e tirou partido de mais um empate do Benfica, em Portimão (2-2) para reassumir a liderança isolada, com dois pontos de vantagem sobre os ‘encarnados’.

A intermitente liderança prosseguiu na ronda seguinte (27.ª), com o Benfica, que venceu em casa do Rio Ave (1-2), a retomar o tal comando ‘fictício’, com os mesmos 64 pontos do FC Porto, que empatou a 0-0 na casa do lanterna-vermelha Desportivo das Aves.

A parceria foi desfeita definitivamente na ronda seguinte (28.ª), em que o FC Porto regressou à liderança, após a goleada por 4-0 ao Boavista, com três pontos de vantagem sobre o Benfica, que perdeu por 4-3 na receção ao Santa Clara.

Na 29.ª jornada, o FC Porto (4-0 ao Boavista) ficou ainda mais isolado na liderança, com seis pontos de vantagem sobre o Benfica, que voltou a perder – 10 pontos somados em 30 possíveis -, desta feita em casa do Marítimo (2-0).

A questão tornou-se apenas matemática e os ‘dragões’, com triunfos sobre o Belenenses SAD (5-0), em Tondela (3-1) e face ao Sporting (2-0) já puderam festejar hoje, a duas jornadas do fim, um título que chegou a parecer perdido.

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Estádio do Dragão, no Porto.

FC Porto – Sporting, 2-0.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:

1-0, Danilo, 64 minutos.

2-0, Marega, 90+1.

Equipas:

– FC Porto: Marchesín, Manafá, Mbemba, Pepe, Alex Telles (Diogo Leite84), Danilo, Loum, Fábio Vieira (Vítor Ferreira, 72), Otávio (Soares, 90+4), Luis Díaz (João Mário, 85) e Marega (Romário Baró, 90+3).

(Suplentes: Diogo Costa, Tomás Esteves, Diogo Leite, Romário Baró, Zé Luís, Soares, Fábio Silva, João Mário, Vítor Ferreira).

Treinador: Sérgio Conceição.

– Sporting: Maximiano, Eduardo Quaresma (Tiago Tomás, 78), Coates, Borja, Ristovski (Rafael Camacho, 73), Wendel, Matheus Nunes, Nuno Mendes, Jovane (Joelson, 78), Plata (Francisco Geraldes, 55) e Sporar.

(Suplentes: Renan, Rafael Camacho, Luís Neto, Rodrigo Battaglia, Francisco Geraldes, Tiago Tomás, Gonçalo Inácio, Joelson, Doumbia).

Treinador: Rúben Amorim.

Árbitro: João Pinheiro (AF Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Jovane (39), Alex Telles (50), Pepe (57), João Mário (88).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

 

Anúncio

Futebol

SC Braga convida adeptos a comemorarem centenário “à janela”

Esta terça-feira às 21:00

Foto: SC Braga

O SC Braga convidou hoje os seus adeptos a comemorarem o centenário do clube, na terça-feira, “à janela” por causa da atual situação pandémica da covid-19.

“Braga à janela! Cantar o hino e iluminar o céu”, apela o clube no seu sítio oficial na internet.

O SC Braga assinala na terça-feira 100 anos, “uma data histórica que enche de orgulho todos os bracarenses e marca um momento importante na história” do clube.

“No entanto, face à situação pandémica que vivemos, as celebrações do centenário serão condicionadas às medidas de contingência impostas em Portugal”, pode ler-se no sítio dos bracarenses.

Assim, o SC Braga convida os adeptos a cantar o hino do clube desde casa, pelas 21:00.

“Um ato simbólico que irá mostrar a união, a paixão e orgulho das nossas gentes pelo clube de todos nós”, desejam os responsáveis.

Antes, pela manhã (10:30), a direção presidida por António Salvador estará presente na cerimónia do hastear da bandeira, na cidade desportiva do clube.

A pandemia adiou para a segunda quinzena de fevereiro, em dia a confirmar, a cerimónia prevista para a tarde de terça-feira, o descerrar de uma placa comemorativa do centenário no Café Vianna, local onde ‘nasceu’ a ideia de criar o clube.

O clube anunciou ainda que, nesse dia a confirmar, será também lançado o Livro do Centenário, “um extenso registo literário que conta, detalhadamente, toda a história dos últimos 100 anos do clube, escrito por João Miguel Fernandes e Eduardo Pires de Oliveira”.

Continuar a ler

Futebol

Jovem de Cabeceiras de Basto que marcou na estreia pelo SC Braga renova contrato

Melhor marcador da equipa B

Foto: SC Braga

O ponta de lança Vítor, que se estreou pela equipa principal com um golo, prolongou o contrato com o SC Braga até 2024, revelou hoje o clube minhoto, quarto classificado da I Liga de futebol.

O jogador de 20 anos, a cumprir a quarta temporada nos minhotos, é o melhor marcador da equipa B dos ‘arsenalistas’ e da série A do Campeonato de Portugal, que lideram, com nove golos.

Na última quarta-feira, diante do Torreense (do Campeonato de Portugal), nos oitavos de final da Taça de Portugal, Vítor marcou o último golo da goleada por 5-0, na transformação de uma grande penalidade, na sua estreia absoluta pela equipa orientada por Carlos Carvalhal.

Jovem de Cabeceiras de Basto marca na estreia e deixa Carvalhal “super feliz”

“Estão a dar-me a oportunidade de continuar a evoluir com condições fantásticas. Fico muito feliz com este voto de confiança e agora vou dar tudo para demonstrar que o mereço. Esteja na equipa principal, na equipa B ou nos sub-23, o que importa é ajudar a equipa dando o meu contributo. Poder fazê-lo já me deixa muito feliz”, afirmou, em declarações reproduzidas pelo sítio oficial dos bracarenses.

Vítor recordou que, há três anos e meio, jogava no Águias Alvite, clube de Cabeceiras de Basto onde alinhou durante cinco temporadas antes de chegar aos juniores do SC Braga, em 2017/18.

“Agora, estreio-me pela equipa principal do SC Braga. Muita gente disse que não acreditava em mim, que já era tarde. Apenas continuei a trabalhar e a dar o meu melhor, provando agora que estavam errados”, disse.

Após o jogo contra a equipa de Torres Vedras, Carlos Carvalhal elogiou Vítor, destacando o “trabalhador incansável”, e o jogador frisa que “todos os sacrifícios valeram a pena”. “Toda a luta que tive ao longo destes anos está a ser recompensada”, concluiu.

Continuar a ler

Futebol

Conceição diz que duelo com o Sporting “não tem condições ideais”

Taça da Liga

Foto: DR / Arquivo

O treinador do FC Porto considerou hoje que não estão reunidas “as condições ideais” para disputar a meia-final da Taça da Liga de futebol, frente ao Sporting, esta terça-feira, aludindo aos casos de covid-19 que afetam as duas equipas.

Sérgio Conceição lamentou que para este jogo tenha as suas opções limitadas com as ausências de Otávio, Sérgio Oliveira, Luis Díaz e Evanilson, todos infetados com novo o coronavírus, mas também apontou que “parar não é solução”.

“A partida fica condicionada a partir do momento em que as duas equipas não estão completas. Quando tenho todo o grupo à disposição, não tenho problemas, mas com tantas limitações desta terrível pandemia fica complicado. Não são as condições ideais para se jogar uma meia-final Taça da Liga, mas temos de aceitar e ir à luta”, desabafou.

O treinador dos ‘dragões’ considerou ainda que o calendário apertado, as condições climatéricas, e o facto de ter mais cinco jogos oficiais esta época do que os ‘leões’ aumentam o desgaste da sua equipa, mas considerou que o grupo “tem de estar confiante com o trabalho que tem sido feito”.

“Estamos limitados nas opções, mas temos de ir para a frente com os disponíveis. Vamos encarar o jogo com a melhor estratégia para ganhar e estar na final de sábado”, vincou.

Sobre o adversário desta terça-feira, Sérgio Conceição falou de um Sporting “difícil de contrariar” se o FC Porto não estiver bem no jogo.

“É uma equipa com muita juventude, líder do campeonato e com ambição. Percebe-se a dinâmica que tem, faz parte do que é o pensamento do seu treinador. É fácil de interpretar a forma como joga, mas é difícil de contrariar se não estivermos bem no jogo. Mas estamos prontos para este desafio”, garantiu.

Questionado se as ausências no plantel o forçam a mudar a estratégia que usou, por exemplo, na partida da última jornada do campeonato, frente ao Benfica [empate por 1-1], o treinador do FC Porto lembrou que “são jogos e adversários diferentes”, embora reconhecendo as limitações sentidas na preparação.

“Quando definimos algo e nos dizem na véspera que não podemos contar com três elementos, dois deles titulares, fica mais difícil. Houve menos tempo para preparar, mas o conhecimento é grande”, vincou o técnico portista.

Ainda sobre o jogo passado com o Benfica, e questionado sobre se tinha feito uma análise mais aprofundada às declarações no final do técnico dos ‘encarnados’ Jorge Jesus, Sérgio Conceição reagiu desta forma.

“Pelo que vi, o ambiente no rival depois de empatar, e de continuar atrás de nós, foi de ganhar uma Liga dos Campeões. Ou melhor, passar a pré-eliminatória de uma Liga dos Campeões”, afirmou.

Sérgio Conceição abordou também, de uma forma mais abrangente, a pandemia de covid-19 que está a afetar Portugal, considerando que “país está a facilitar um pouco”.

“É um problema geral, não só do futebol. Em Portugal, estamos a sofrer e a facilitar um pouco. As estatísticas não são nada boas. Temos de ter essa consciência. Não devemos olhar para este problema e menorizá-lo. Todos os cuidados são poucos para nos protegermos e também aos outros. Aos jogadores, passamos uma mensagem de grande responsabilização nas suas vivências fora do clube, mas, mesmo com todos os cuidados, existem casos”, partilhou o treinador.

Também à margem da partida com o Sporting, o treinador dos ‘azuis e brancos’ analisou a saída de Nakajima para Al Ain, do campeonato dos Emirados Árabes Unidos, considerando que o japonês “não se ambientou a um clube como o FC Porto”.

“O Nakajima teve várias oportunidades, mas há jogadores que não se ambientam e não mostram todo potencial que têm. Por culpa deles ou por minha também. Há jogadores de dimensões diferentes e que têm mais sucesso num clube e depois noutro não. O Nakajima é muito respeitador, não é um jogador que complica, mas não se ambientou num clube como o FC Porto”, analisou.

Além de Nakajima, que já não faz parte das opções, Sérgio Conceição também não conta para este duelo com os ‘leões’ com Otávio, Sérgio Oliveira, Luís Diáz e Evanilson, infetados com covid-19, assim como os lesionados Marcano e Mbaye, e com Taremi, que tem de cumprir castigo.

O FC Porto defronta esta terça-feira o Sporting, nas meias-finais da Taça da Liga de Futebol, numa partida que será disputada no Estádio Municipal de Leiria, às 19:45, e terá arbitragem de João Pinheiro, da Associação de Futebol do Algarve.

Continuar a ler

Populares