Seguir o O MINHO

em

A jornalista da RTP Fátima Campos Ferreira manifestou o seu apoio a Braga, única cidade portuguesa envolvida na disputa pela eleição de Melhor Destino Europeu 2019.

A apresentadora do programa Prós e Contras, e que tem raízes em Valença, explicou as razões para o seu voto.

A votação para Melhor Destino Europeu 2019 decorre até ao próximo dia 05 de fevereiro em http://vote.ebdest.in

Braga segue no pelotão da frente na votação para “Melhor Destino Europeu 2019”

Segundo informação da semana passada, a cidade está entre as cidades que recolheram mais votos até ao momento.

Anúncio

Braga

UMinho quer “criar modelos preditivos” de riscos nas vias de transporte europeias

Projeto da Escola de Engenharia

em

Foto: O MINHO

Uma equipa da Universidade do Minho (UMinho) quer criar “modelos preditivos” do impacto e frequência de acidentes naturais na rede rodoferroviária da Europa e conceber uma aplicação “de alerta”, desenvolvendo sensores para comboios que detetem anomalias.

Em comunicado enviado à Lusa, a UMinho explica que a equipa, da Escola de Engenharia, está a analisar o “funcionamento da rede rodoferroviária na Europa perante riscos naturais e humanos, como incêndios, tempestades, derrocadas, atos de suicídio e choques”.

Segundo o texto, os investigadores querem “criar modelos preditivos do impacto e frequência daquelas ocorrências, conceber uma ‘app’ de alerta com a melhor via a seguir após um evento extremo, bem como inserir sensores em comboios e outros equipamentos para detetar anomalias nas infraestruturas, aperfeiçoar as barreiras em áreas críticas e, ainda, capacitar a sociedade neste âmbito”.

O grupo da UMinho, coordenado por José Campos e Matos, que lidera também o Atlantic SIRMA, que tem até 2021 dois milhões de euros do programa Interreg e junta entidades do Reino Unido, Irlanda, França e Espanha.

“Queremos desenvolver ferramentas e tecnologias para reforçar a gestão de risco nestas vias. Um suicídio, por exemplo, obriga a parar uma linha ferroviária e isso traz muitos custos sociais e económicos”, realça, no texto, o investigador, que assinalou que a origem dos riscos humanos tem um quadro psicológico e cultural próprio.

O projeto SIRMA está definido em três fases: “Mitigar rapidamente os problemas detetados, conceber modelos com a performance histórica das infraestruturas, estimando em gráfico quando ficarão ameaçadas, e criar soluções de prevenção e manutenção – por exemplo, desenvolvendo uma aplicação para alertar o cidadão sobre um caminho alternativo perante uma intempérie”, enumera.

Além disso, aponta como objetivo “a monitorização inovadora da ferrovia pelos próprios comboios que, através de sensores e vibrações, poderão detetar irregularidades e materiais em falta e a formação de técnicos para saber como agirem nos eventos extremos e junto das populações”.

“Na verdade, cada zona estará mais suscetível aos seus problemas específicos: as marítimas estão sujeitas a tempestades, as fluviais a cheias, as despovoadas a incêndios, os vales a torrentes, deslizamentos e descarrilamentos, as cidades a terrorismo”, enumera o investigador do Instituto de Sustentabilidade e Inovação em Engenharia de Estruturas (ISISE), no campus de Azurém, em Guimarães.

Segundo refere a UMinho no comunicado, as alterações climáticas têm afetado o Atlântico europeu, como sucede com tempestades tropicais ou grandes incêndios, levando à degradação imediata de certas infraestruturas de transporte.

“Os carris da ferrovia do Sul da Europa, face à subida das temperaturas, terão mais casos de dilatação, logo dificuldade de manutenção e disponibilidade do serviço, aumentando custos diretos e indiretos. Já a ferrovia na Irlanda, por exemplo, tem sofrido muitas cheias, ameaçando a segurança e as infraescavações em pontes”, descreve a universidade.

Campos e Matos assinala ainda a “má opção” pela construção de certos trajetos na proximidade marítima, afirmando ser “um problema sério, devido à subida progressiva do nível da água do mar”.

No caso das estradas e autoestradas, a prevenção aposta nas passagens hidráulicas (‘box culverts’) ou no corte temporário do acesso, como em derrocadas e no deslizamento de aterros.

“Há de facto uma grande interdependência das redes rodoviárias e por vezes passa despercebida; em muitos dos fogos, os sistemas de comunicação falham porque a via também ficou destruída, incluindo esta cabos de comunicação em fibra ótica”, refere o investigador.

Continuar a ler

Braga

Bombeiros de elite de todo país preparam ‘invasão’ ao Bom Jesus de Braga

Concurso Bombeiro de Elite

em

Arquivo

Entramos hoje em contagem decrescente para a III Edição da Prova Bombeiro de Elite. Faltam 10 dias para a maior prova do género em Portugal e esta edição promete surpreender pelo número de recordes já alcançados, mesmo antes da sua realização.

É também uma prova cada vez mais internacional, conforme comprovam as inscrições de participantes de vários pontos do mundo.

Este ano contamos com a participação de 800 atletas bombeiros, entre os quais 120 mulheres, de 11 nacionalidades. Ao todo, vão marcar presença 140 corporações, com o envolvimento de países como França, Alemanha, Espanha, Polónia, Inglaterra, Croácia, Luxemburgo, Cabo Verde e Portugal.

O desafio mantém-se: subir os 566 degraus, numa distância de 615 metros, com um desnível positivo de 116 metros, tendo como cenário o Bom Jesus de Braga, agora elevado a Património Mundial da Humanidade, pela UNESCO.

Promovida pela Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, esta prova realizou-se pela primeira vez em 2017, na altura com 100 participantes. Um número que quadriplicou em 2018 e que este ano atinge um número fantástico de 800 participantes.

Um sinal de que esta prova veio para ficar!

O apito inicial está marcado para as 9h00 do dia 28 de Setembro.

Continuar a ler

Braga

Homem que matou mulher em Braga fica em prisão preventiva

Pedro Fernandes, de 47 anos, confessou o crime à PSP

em

Foto: O MINHO

O homem de 47 anos suspeito de assassinar a ex-mulher, Gabriela Monteiro, em Braga na noite de quarta-feira vai aguardar julgamento em prisão preventiva, disse hoje à Lusa fonte da PSP.

Segundo a fonte, Paulo Fernandes já foi conduzido ao Estabelecimento Prisional de Braga.

Gabriela Monteiro morreu. Foto: DR

A vítima tinha 46 anos e foi assassinada pelo ex-marido, numa rua da cidade de Braga.

Segundo fonte da PSP, o homem utilizou uma navalha para consumar o crime.

Crime ocorreu esta quarta-feira. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O crime aconteceu pelas 22:00, numa rua junto ao Tribunal de Braga e a uma esquadra da PSP.

Após o crime, o suspeito entregou-se às autoridades policiais.

Continuar a ler

Populares