Seguir o O MINHO

Braga

Famalicão, Vizela, Terras de Bouro, Barcelinhos e Fão ajudaram Vila Verde no combate às chamas

Incêndios

em

Foto: O MINHO

Um incêndio florestal que deflagrou ao início da madrugada deste sábado em Pedregais, Vila Verde, mobilizou 36 bombeiros de sete corporações do distrito de Braga, tendo sido dado como em estado de conclusão perto das 06:00 horas.


Foto: O MINHO

No local estiveram 10 bombeiros e três viaturas dos Bombeiros de Vila Verde apoiados por uma equipa de cinco bombeiros de Famalicão, cinco de Vizela, cinco de Terras de Bouro, cinco de Barcelinho, cinco de Fão e um bombeiro dos Famalicenses.

Foto: O MINHO

Este foi um de vários incêndios que lavraram durante a madrugada no distrito de Braga, encontrando-se, pelas 11:46 deste sábado, ainda dois incêndios ativos, um em Revelhe, Fafe e outro em Rio Douro, Cabeceiras de Basto, que estão a ser combatidos por perto de 100 operacionais no total.

Anúncio

Braga

Operação policial de grande envergadura contra tráfico de droga em bairro de Braga

PSP

em

Foto: Ilustrativa / DR

A PSP está a desenvolver uma “operação policial de grande envergadura” de combate a tráfico de droga no Bairro das Enguardas, em Braga.

Em comunicado, a PSP refere que, através da Esquadra de Investigação Criminal de Braga, deu esta manhã início a “uma operação policial de grande envergadura que visa um conjunto alargado de indivíduos que de forma organizada se dedicam ao tráfico de estupefacientes junto do Bairro das Enguardas, na cidade de Braga”.

Esta operação conta com a colaboração da Unidade Especial de Polícia, através do Grupo Operacional Cintécnico e de vários elementos da estrutura de investigação criminal da PSP de Comandos vizinhos.

(em atualização)

Continuar a ler

Braga

Agente da PSP de Braga investigado por violência sobre mulher e filho em Barcelos

Violencia doméstica

em

Foto: DR

Um agente da PSP de Braga, de 45 anos, está a ser investigado por violência doméstica sobre a ex-mulher e o filho mais velho, agora com 12 anos, avança o Correio da Manhã (CM). As agressões terão acontecido maioritariamente na casa do casal, em Barcelos.

Segundo o CM, a primeira queixa foi feita já no final de 2019, após alegadamente o agente da PSP ter espancado a mulher à frente dos dois filhos. Na mesma altura, o filho mais velho, então com 11 anos, terá sido agredido com um cinto de couro por ter tentado impedir a agressão à mãe. A filha mais nova do casal, de 7 anos, assistiu a tudo.

O casal divorciou-se este ano, mas a violência não terá parado. O polícia terá chegado a atrair a mulher para um local ermo, para conversarem, e acabou por agredi-la. Segundo a denúncia, noutra ocasião, quando já decorria o processo de divórcio, o PSP, que estava impedido de visitar os filhos sem vigilância, surgiu na casa da família vestido com roupas de caça. Exigia ver as crianças, que ficaram em pânico.

Foram formalizadas pelo menos três queixas, que estão a ser investigadas pelo Ministério Público de Barcelos.

Ainda de acordo com o CM, o menino foi ouvido para memória futura e relatou à magistrada titular do processo os vários episódios de violência que presenciou.

Apesar de estar a decorrer um processo disciplinar, aberto pela Inspeção-Geral da Administração Interna, o agente da PSP de Braga continua ao serviço, prestando apenas serviço administrativo.

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Barcelos tem um inquérito a decorrer no âmbito do mesmo processo. Os menores foram ouvidos e confirmaram a violência.

O homem, caçador, no âmbito do processo, entregou todas as armas de caça registadas.

Continuar a ler

Braga

Cão salva mulher de incêndio em Braga mas acaba por morrer

Cabreiros

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

Uma mulher de 57 anos foi alertada esta noite, pelo cão, de um incêndio que deflagrou na cozinha da habitação, em Cabreiros, concelho de Braga, enquanto esta dormia na divisão ao lado.

A vítima, que vivia sozinha, conseguiu sair de interior da casa, mas o cão acabou por morrer por inalação de fumo, tendo ficado à espera que a dona acordasse e saísse da habitação. O incêndio ficou confinado à cozinha, com teto de madeira.

Os Bombeiros Sapadores de Braga acorreram imediatamente ao local após o alerta, dado às 23:10, verificando que a mulher estava aflita também pela inalação de fumos, uma vez que sofria de asma.

No local esteve ainda a equipa médica da VMER de Braga, que prestou primeira assistência à vítima, que acabou transportada para o hospital local.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Populares