Seguir o O MINHO

Ave

Famalicão vai ligar Noroeste do concelho com um “corredor ecológico”

Investimento de 100 mil euros

em

Foto: Clube BTT

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) vai investir 100 mil euros no rio Este em Vila Nova de Famalicão, criando “um corredor ecológico” que ligue o Mosteiro de Arnoso Santa Eulália à ciclovia de Gondifelos, anunciou, esta terça-feira, a câmara.

Em comunicado enviado à Lusa, o município de Famalicão explica que a intervenção de “valorização e revitalização” naquele curso de água será nas freguesias de Arnoso, Nine e Louro, e que o investimento nacional surge no âmbito do projeto “Os Nossos Rios”, promovido pela autarquia.

“O objetivo é criar um corredor ecológico pedonal e ciclável que ligue o Mosteiro de Arnoso Santa Eulália até à ciclovia, em Gondifelos”, lê-se.

Segundo o comunicado, o protocolo de colaboração entre a APA e a Câmara Municipal de Famalicão, celebrado em dezembro, “visa promover a prevenção e defesa da margem deste troço do rio Este, com a recuperação e valorização da zona envolvente, tendo em vista a proteção e salvaguarda de pessoas, infraestruturas e bens”.

Além disso, ambas as entidades querem assegurar “a defesa da galeria ripícola, evitando a erosão fluvial do leito e das margens e garantindo condições de escoamento da água”.

“O projeto incide sobre a recuperação do leito do rio e das margens, e, neste âmbito, temos vindo a trabalhar com os proprietários dos terrenos ribeirinhos”, assinala no texto o vereador do Ambiente, Pedro Sena.

Com esta ação, “a autarquia quer que a população possa usufruir do rio a partir das suas margens”, acrescenta.

O projeto “Os Nossos Rios” foi lançado em 2016, pela câmara do distrito de Braga e pela APA, visando a proteção do ambiente e a promoção do património natural do concelho.

As áreas de intervenção são Rio Este, Guisande, Pele, Pelhe e Ave, levando à reabilitação dos cursos de água e património envolvente, estabelecendo-se como princípio a valorização dos leitos e das margens fluviais como elementos fundamentais da dinâmica ecológica e paisagística.

Anúncio

Ave

Celorico de Basto pondera colocar autoridades de saúde em tribunal

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente da Câmara de Celorico de Basto está a ponderar recorrer aos tribunais para “obrigar a coordenação da unidade de saúde pública” a dar informações oficiais à autarquia sobre a evolução da Covid-19 no concelho.

Segundo Joaquim Mota e Silva, não tem sido possível à câmara municipal, nas últimas semanas, obter informações oficiais, em tempo útil, junto do Agrupamento de Centros de Saúde do Baixo Tâmega (ACES 1 Baixo Tâmega), que a unidade de saúde pública em vários concelhos, incluindo Celorico de Basto.

Joaquim Mota e Silva sublinhou que têm sido infrutíferas as sucessivas tentativas, “pelos canais próprios”, apesar de, como autarca, ser a “autoridade máxima da proteção civil no concelho”.

“Se nada for feito, não terei outra saída que não seja o recurso aos tribunais para exigir que as autoridades de saúde facultem à câmara municipal os dados da pandemia no meu concelho”, referiu, anotando que sem essas informações a edilidade não pode identificar um possível foco o terreno a atuar para evitar a propagação do novo coronavírus.

O edil disse não admitir que “outras entidades, até fora do [seu] concelho, tenham essa informação e a câmara não”.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 866 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 43 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 187 mortes, mais 27 do que na véspera (+16,9%), e 8.251 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 808 em relação a terça-feira (+10,9%).

Continuar a ler

Ave

Empresa de Famalicão oferece um milhão de luvas às IPSS

Covid-19

em

Foto: Divulgação

A empresa de Famalicão Raclac ofereceu um milhão de luvas à Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS), que agora as vai distribuir pelas suas associadas, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a CNIS refere que as luvas serão entregues às uniões distritais pela empresa de transportes Torrestir, com sede em Braga, que assegurará o serviço de igualmente de forma gratuita.

Segundo o comunicado, a Raclac arranjou, em dois dias, uma solução com tecido técnico para resolver a proteção em Portugal contra o novo coronavírus, “algo que se faz há anos apenas na China”.

“A sua solução está já a chegar a todos os hospitais nacionais”, acrescenta.

Diz ainda que a empresa está a trabalhar 18 horas por dia, “contribuindo para que mais de 30 confeções não fossem à falência nem entrassem em “lay-off”.

Fornecedora de descartáveis para a saúde a nível nacional, tem em curso um investimento de 23 milhões de euros numa fábrica em Famalicão, que arranca com a produção este mês, com a intenção de, nesta fase de crise, o fazer apenas para o mercado interno.

Vai fabricar mais de três milhões de luvas por dia, tendo também já contratada a produção de outros equipamentos de proteção individual (EPI) para os profissionais de saúde, como fatos com capuz e balaclavas.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 866 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 43 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos 172.500 são considerados curados.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 187 mortes, mais 27 do que na véspera (+16,9%), e 8.251 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 808 em relação a terça-feira (+10,9%).

Dos infetados, 726 estão internados, 230 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de quinta-feira.

Continuar a ler

Ave

Famalicão vai ter centro de rastreio ‘drive thru’

Covid-19

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

Um centro de diagnóstico móvel da covid-19 vai entrar em funcionamento na segunda-feira em Famalicão, no espaço de estacionamento do Parque da Devesa, anunciou hoje o município.

Criado em parceria com a Administração Regional de Saúde do Norte e o laboratório Unilabs, o centro funcionará num formato “drive thru”, não precisando as pessoas de sair do carro para a realização do teste.

Os testes serão realizados unicamente aos cidadãos que tenham prescrição médica passada pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS) e serão gratuitos e que, dsepois de receberem a prescrição, os cidadãos deverão fazer a sua marcação obrigatória através do contacto 220125001.

O centro funcionará de segunda-feira a sábado, das 09:00 às 18:00 e numa fase inicial terá a capacidade para realizar 50 testes por dia.

Continuar a ler

Populares