Seguir o O MINHO

Ave

Famalicão vai apoiar 303 famílias com as rendas em 2022

Programa “Casa Feliz”

em

Foto: DR

A Câmara de Vila Nova de Famalicão vai apoiar, ao longo deste ano, 303 famílias do concelho no pagamento das rendas, num investimento de 292.500 mil euros, foi hoje anunciado.

Em comunicado, o município refere que a proposta para a concessão dos apoios, atribuídos no âmbito do programa municipal “Casa Feliz – Apoio à Renda”, é um dos pontos em discussão na reunião de quinta-feira do executivo.

Os apoios são divididos em três escalões, sendo que o A corresponde a um apoio mensal de 100 euros e foi atribuído a 105 candidatos.

O subsídio mensal relativo ao escalão B é de 75 euros e foi atribuído a 159 candidatos.

O escalão C corresponde a um apoio mensal de 50 euros e foi atribuído a 39 candidatos.

Citado no comunicado, o presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, sublinha que se trata de uma “retaguarda importante para aliviar o peso que as despesas com a habitação têm no orçamento das famílias famalicenses”.

“O valor das rendas continua a ser um problema para muitas famílias e, por isso, faz todo o sentido que a Câmara Municipal continue atenta e disponível para as apoiar. Tem sido assim nos últimos anos e vai continuar a ser”, garantiu.

Este ano, volta a verificar-se um aumento do investimento municipal afeto ao programa “Casa Feliz – Apoio à Renda” e do número de famílias beneficiadas.

Recorde-se que em 2021 o investimento da Câmara Municipal fixou-se nos 284 mil euros, beneficiando 287 famílias.

Para além da vertente de apoio às rendas, em vigor desde 2012, o programa Casa Feliz arrancou em 2005 com uma vertente de apoio às obras.

Com este projeto, as famílias que mais precisam têm acesso a um apoio financeiro até 5 mil euros para a realização de obras de reparação da habitação, proporcionando as condições mínimas de bem-estar.

Na reunião do executivo de quinta-feira, vão estar também em análise mais 12 candidaturas apresentadas ao “Casa Feliz – Obras”, num investimento municipal que ronda os 60 mil euros.

Desde o seu lançamento, em 2005, já foram concretizados várias centenas de processos de reabilitação, tendo o município investido mais de um milhão de euros.

Populares