Seguir o O MINHO

Futebol

Famalicão perde em Alvalade para a Taça da Liga

Futebol

em

Foto: Twitter / SCP

O Sporting venceu hoje o Famalicão 2-1, em jogo do grupo B da Taça da Liga de futebol, no qual, apesar da diferença mínima, não deu hipóteses ao adversário e controlou-o desde o primeiro ao último minuto.

Finalmente Rúben Amorim quebrou o enguiço e, ao quarto jogo, depois de uma derrota e dois empates com o Famalicão, viu o ‘seu’ Sporting vencer com uma exibição segura e personalizada, que lhe permitiu sempre ter a bola e controlar o jogo, fazendo do guarda-redes João Virgínia, praticamente, um mero espetador.

A equipa de Alvalade marcou cedo, logo aos oito minutos, num remate feliz de Manuel Ugarte de fora da área, que desviou num adversário e ‘traiu’ o guarda-redes Luiz Júnior, e tomou conta do jogo, graças à forma como geriu a posse de bola, com segurança de passe e uma boa dinâmica coletiva, roubando-a literalmente ao Famalicão, que se cansou a correr atrás dela.

Outro aspeto decisivo para o Sporting hoje ter reduzido a equipa minhota à inoperância total, além da eficácia com que a sua linha defensiva neutralizou através do fora de jogo, os poucos ataques do Famalicão, foi a reação à perda da bola das poucas vezes que a perdeu, recuperando-a de imediato, o que só foi possível porque houve comprometimento de todos os jogadores e um acerto coletivo na pressão sobre os adversários com bola, não os deixando ‘respirar’.

Esta foi a razão por que o Famalicão, foi simplesmente inofensivo, não por falta de empenho, mas por os seus jogadores não terem bola para jogar na maior parte do tempo.

O resultado só não atingiu uma expressão mais pesada para o Famalicão porque o Sporting controlou o jogo, mas não conseguiu acertar com a ligação com o seu trio da frente, formado por Sarabia, Nuno Santos e Jovane Cabral, que trocavam constantemente de posições, sem darem uma referência na área à equipa e sem criarem situações de rotação com bola, que lhes permitisse virar-se de frente para a defesa famalicense.

Para essa falta de contundência no ataque do Sporting houve uma quota-parte de responsabilidade do Famalicão, a defender com eficácia em 4x5x1, quase sempre com o bloco médio/baixo, quando não tinha a bola, para tirar a profundidade ao ataque ‘leonino’ e neutralizar os lançamentos longos para as costas da sua defesa.

Na segunda parte, o Sporting não foi tão eficaz na gestão da bola, mas o jogo esteve sempre sob controlo, deixando a sensação de que o Famalicão não tinha hipóteses de chegar ao empate, apesar de estar a perder apenas por 1-0.

Aos 61 minutos, a equipa de Alvalade chegou ao 2-0, com um golo a culminar uma excelente jogada coletiva, que envolveu Esgaio, Pedro Gonçalves, Matheus Nunes, Sarabia e Nuno Santos, autor do remate fatal, embora o guarda-redes do Famalicão tivesse responsabilidade pela forma como largou a bola num primeiro remate do extremo espanhol.

Rúben Amorim, que apresentou apenas quatro titulares habituais, procedeu então às entradas de Palhinha, Matheus Reis, Paulinho e Tabata, mas o jogo estava feito, não fosse o relaxamento nos minutos finais, que permitiu ao Famalicão fazer o 2-1, aos 89, por Heriberto, e quase chegar ao empate em período de compensações, o que só não aconteceu porque Riccieli estava em posição de fora de jogo, num lance em que João Virgínia esteve francamente mal.

De destacar a exibição de Manuel Ugarte, que fez o primeiro golo e um grande jogo, quer pela sua ação na recuperação da bola, como pela capacidade técnica que revelou para a segurar e endossar sempre ‘redonda’ e com sentido de vericalidade, mas todos os não titulares agarraram a oportunidade para mostrar serviço, com exceção de Jovane Cabral, que esteve pouco inspirado.

Ficha de Jogo

Jogo realizado no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

Sporting – Famalicão, 2-1.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores:

1-0, Ugarte, 08 minutos.

2-0, Nuno Santos, 61.

2-1, Heriberto, 89.

Equipas:

– Sporting: João Virgínia, Neto, Feddal, Gonçalo Inácio, Ricardo Esgaio, Ugarte (Matheus Reis, 68), Matheus Nunes, Rúben Vinagre (Palhinha, 68), Sarabia (Paulinho, 69), Jovane Cabral (Pedro Gonçalves, 57) e Nuno Santos (Tabata, 75).

(Suplentes: Adán, Matheus Reis, Palhinha, Tabata, Paulinho, Pedro Porro, Pedro Gonçalves, Geny e Daniel Bragança).

Treinador: Rúben Amorim.

– Famalicão: Luiz Júnior, De la Fuente, Penetra, Riccieli, Rúben Lima, Pêpê Rodrigues, Pickel (Iván Jaime, 46), David Tavares, Marcos Paulo (Heriberto, 46), Bruno Rodrigues (Pedro Brazão, 46) e Ivo Rodrigues (Pablo, 86).

(Suplentes: Dalberson, Alex Nascimento, Adrián Marín, Pedro Brazão, Iván Jaime, Pablo, Ofori, Figueiras e Heriberto).

Treinador: Ivo Vieira.

Árbitro: Manuel Mota (AF Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Rúben Vinagre (28), Jovane Cabral (48) e Neto (54).

Assistência: 14.755 espetadores.

Populares